Coronavírus é “flagelo” para fazer a humanidade evoluir, diz líder espírita

  • 25/03/2020
Coronavírus é “flagelo” para fazer a humanidade evoluir, diz líder espírita

Com a pandemia de coronavírus que atingiu o mundo, muitas pessoas têm se apegado à religião para conseguir passar por esse momento desafiador. Na visão dos espíritas, a hora é de evolução. “Quando Deus julga necessário que a humanidade progrida, e que por si só ela não apresenta as condições necessárias, como nós observamos na degradação moral dos dias atuais, surgem esses flagelos para que possamos avançar”, explica Edson Luiz Wachholz, vice-presidente da União Regional Espírita 2ª região do Paraná.

De acordo com Wachholz, o momento pelo qual passa o mundo faz parte de um processo natural da evolução. “A lei do progresso é uma lei natural, como também a lei de destruição. Se observarmos a história da humanidade, as civilizações tiveram um considerável progresso intelectual e moral após as grandes crises”, explica. “Basta observar o quanto a solidariedade surge entre todos nessas grandes calamidades. E, além disso, há o próprio progresso científico que disso decorre”, acrescenta.

Superação
Manter a calma e a fé são essenciais para a superação do momento, aconselha Wachholz. “A humanidade já viveu crises maiores e as superou. Agora é o momento de nos unirmos em pensamento, apesar da separação física”, sugere. Ele destaca também que a tecnologia pode ser uma grande aliada em tempos de isolamento social. “Mantenhamos em nosso lar os momentos de prece em que nos ligamos ao Criador. Incentivemos o convívio religioso utilizando a tecnologia para reuniões remotas de estudo e prece. Busquemos estreitar os laços de amor e solidariedade”, aponta.

Testemunho de fé
Wachholz observa ainda que ter em mente a imortalidade do espírito é uma forma de superar as preocupações e de ter mais tranquilidade. “Os primeiros cristãos ofereciam a própria vida em testemunho, mantendo a certeza da imortalidade da alma. Saibamos que, de uma forma diferente, hoje somos chamados ao testemunho da nossa fé e esperança, compreendendo que, após essa tempestade, tudo ficará bem”, conclui.

Por Camila Delgado | Foto: Reprodução

+ Notícias