“Para a saúde existem reflexos positivos, mas para a economia é um desastre”, afirma prefeito sobre lockdown

  • 30/06/2020
“Para a saúde existem reflexos positivos, mas para a economia é um desastre”, afirma prefeito sobre lockdown

Na manhã desta terça-feira (30), o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, comentou sobre a ação do Ministério Público pede que lockdown seja decretado em algumas regiões do Paraná devido à pandemia de Covid-19.

“Ponta Grossa tem outros números. A preocupação do Ministério Público é com Curitiba, Maringá, Londrina, Cascavel e eles não estão errados. Nós estamos passando pelo pico da doença no Paraná”, afirma Rangel.

O prefeito pediu cautela e lembrou que a doença ataca na saúde e na economia com a mesma gravidade. “Para a saúde existem reflexos positivos [do lockdown], mas para a economia é um desastre. A saúde vem em primeiro lugar, depois vem a economia, mas tem que ter um equilíbrio”, enfatiza.

Rangel acredita que Ponta Grossa possa ter encontrado esse equilíbrio ao permitir que o comércio funcionasse de forma escalonada e com horário reduzido, o que justificaria os melhores resultados do município no enfrentamento ao coronavírus.

De acordo com dados da Fundação Municipal de Saúde, Ponta Grossa tem 424 pacientes confirmados com Covid-19, dos quais 108 já estão recuperados e apenas um óbito em decorrência da doença.

O prefeito também comentou o novo decreto do Governo do Estado, que deve ser publicado ainda hoje (30), com novas medidas restritiva em todo o Paraná. “Eu estou pedindo sabedoria, para que Deus ilumine o governador [Carlos Massa Ratinho Junior], porque está nas mãos dele vidas, assim como está nas mãos dos prefeitos e da população. Tomara que ele tome a decisão mais correta e, é claro, que eu estarei apoiando todas as ações do estado”, garante.

As declarações foram dadas durante o ‘Programa Nilson de Oliveira’, apresentando por Rangel na Rádio Mundi FM.

+ Notícias