Paraná Rosa alerta sobre a importância do cuidado com a saúde da mulher

  • 01/10/2020
Paraná Rosa alerta sobre a importância do cuidado com a saúde da mulher

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, acompanhado da primeira-dama do Estado, Luciana Saito Massa, iniciou a segunda edição do Paraná Rosa na manhã desta quinta-feira (1º), por meio de uma transmissão online pelo Youtube. A campanha estadual realizada dentro do Outubro Rosa pretende fortalecer iniciativas de promoção e conscientização sobre a prevenção do câncer de mama e de colo de útero, além da saúde da mulher em geral.

O atual cenário da pandemia da Covid-19 também não permitiu a realização da caravana, que passou por diversos municípios em 2019. Assim, a Sesa propôs para este ano, ações realizadas de maneira não presencial, direcionadas à promoção de hábitos saudáveis de vida para a mulher, visando à redução dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis, em especial o câncer de mama.

“Embora a prevenção deva ser feita o ano todo, o mês de outubro dá destaque para a causa. Os bons hábitos alimentares, práticas de exercícios físicos, exames periódicos e demais cuidados de rotina ainda são a melhor estratégia pois, quando diagnosticado e tratado precocemente, as chances de cura do câncer são muito grandes”, alerta o secretário Beto Preto.

Luciana Saito Massa, madrinha e idealizadora do projeto Paraná Rosa falou sobre a relevância em levar a informação para todas as mulheres do Paraná.

“Outubro é um mês dedicado à saúde da mulher. Temos que aproveitar esse engajamento nacional para levar a informação sobre os cuidados e mostrar que a prevenção é sempre o melhor caminho. O Paraná Rosa não é somente um programa de alerta e de cuidado com a prevenção e diagnóstico precoce do câncer, mas sim com a saúde integral e o bem estar da mulher”.

AÇÕES – Durante o mês, entre as atividades já realizadas pela Sesa, está o apoio aos municípios para a realização de rastreamento de câncer de mama e colo de útero, a vacinação contra o HPV, além da elaboração de Nota Técnica nº 20/2020 aos municípios que reforça as medidas de prevenção e contágio da Covid-19 e segurança dos usuários com relação à coleta do exame citopatológico do colo do útero e mamografias.

DADOS – O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, em 2020, o Brasil registre 66.280 novos casos de câncer de mama. No Paraná este número pode chegar a 3.470.

Em 2019, 993 mulheres morreram pelo câncer de mama no Estado. Além disso, segundo dados de 2018, o câncer de mama é a primeira causa de mortalidade prematura em mulheres entre 30 a 69 anos.

Já para o câncer do colo do útero, a estimativa nacional é de 16.590 casos e, no Paraná, de 990 novos casos. O número de óbitos em 2019 foi de 336 mulheres.

Até o mês de junho deste ano, o Estado já realizou 92.642 mamografias e 181.674 exames de citopatológico do colo do útero. Para oferecer os testes gratuitamente, o Paraná conta com 184 mamógrafos no Sistema Único de Saúde (SUS) distribuído nas 22 Regionais de Saúde.

Após o início da Covid-19, houve diminuição em 56% na realização de mamografias e de 59% nos exames citopatológicos do colo do útero no estado.

A Sesa salienta que nas situações de sintomas suspeitos de câncer ou resultados anteriores alterados, a orientação é realizar os exames.

EXAME – A mamografia deve ser realizada a cada dois anos em mulheres de 50 a 69 anos. Fora da faixa etária e periodicidade, o exame é recomendado somente para mulheres com sinais ou sintomas de câncer de mama, como nódulo, retração do mamilo e outros; ou com histórico familiar em parente de primeiro grau, como mãe, irmã ou filha. 

Em relação ao câncer de colo de útero, a recomendação é que seja realizado nas mulheres de 25 a 64 anos, que já iniciaram a vida sexual. Os dois primeiros exames com intervalo de um ano e, se os resultados forem normais, os próximos podem ser realizados a cada três anos. Os exames fora deste critério podem ter resultados falso-negativos.

O Paraná disponibiliza anualmente aos municípios 720 mil kits para exames citopatológicos do colo do útero e mais de 230 mil exames de mamografia. Para a vacinação do HPV a meta do Estado é vacinar 458 mil meninas de 9 a 14 anos.

OUTUBRO ROSA – O Outubro Rosa é um movimento internacional de mobilização contra o câncer de mama que surgiu em 1997, nos Estados Unidos, e foi instituído no Paraná por meio da Lei nº 16.935/2011. O objetivo da campanha é conscientizar as pessoas em relação à prevenção do câncer de mama pelo diagnóstico precoce e o tratamento imediato, evitando mortes pela doença.

PALESTRAS – Além da abertura oficial, os participantes puderam acompanhar as palestras com o médico Arn Migowski, do Instituto Nacional de Câncer (INCA), da nutricionista Luciana Grucci Maya Moreira, também do INCA, e da médica psiquiatra Patrícia Piper Ehlke, sobre recomendações para o diagnóstico precoce e rastreamento do câncer de mama, a importância do autocuidado e a promoção da alimentação saudável e atividade física na prevenção da doença.

Durante o mês serão disponibilizados na página oficial da Sesa vídeos com profissionais da área alertando sobre os cuidados de forma integral à saúde da mulher e a qualidade de vida. “A informação é uma das melhores formas de prevenção. Precisamos fazer com que as orientações corretas sobre a doença e seus cuidados, cheguem a todo o Paraná”, afirmou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

PARTICIPAÇÕES – Participaram da abertura a vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná, Ângela Pompeu, o diretor-geral da Sesa, Nestor Werner Júnior, representantes de diversas áreas técnicas da Sesa e das 22 Regionais de Saúde, além de representantes municipais e profissionais de saúde que acompanharam a transmissão online.

+ Notícias