Sexta-feira, 25 de Junho de 2021
foto: Clebert Gustavo

Banco do Agricultor é apresentado para produtores de Ponta Grossa

02/06/2021 às 15:30

Produtores da agricultura familiar de Ponta Grossa compareceram nesta semana em uma reunião na Prefeitura para entender mais sobre o Banco do Agricultor Paranaense. O encontro contou com a gerente regional do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), Luciane Curtes Porfírio, que tirou dúvidas de quem pode ser beneficiado e como fazer para utilizar do Programa do governo do Estado.

Segundo Luciane, o Banco do Agricultor Paranaense é um instrumento que possibilita ao governo do Estado conceder subvenção econômica para produtores rurais, cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e a agroindústrias familiares, além de projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e programas destinados à irrigação, entre outros. “O Banco não é bem banco, mas acaba sendo uma proposta de equalização de juros, feito pelo governo do Estado. O produtor acessará o banco em que é correntista e no momento da operação de crédito, através do Programa, poderá ter a redução de juros”,

A gerente explica que o Banco do Agricultor Paranaense subsidia juros apenas de investimentos e não de custeio, por exemplo, um sistema de irrigação e energia renovável no meio rural, o abatimento do juro do financiamento pode chegar a 100%. Em outros tipos de investimentos, a equalização varia entre 2% a 3% de devolução do valor do juro para o produtor. “O produtor paga mensalmente o valor integral com o juro e a Fomento Paraná devolverá na conta corrente o valor do juro, como forma de subsídio do Programa”, disse.

Ela explica que são diversas as possibilidades e valores que beneficiam empresas ou também pessoa física.  “Os beneficiados são pessoa física e jurídica com faturamento de até R$ 360 mil reais no ano-calendário, nas operações de microcrédito; a micro, a pequena e a média empresas; o produtor rural; a agroindústria familiar; a cooperativa da agricultura familiar; as cooperativas de produção, de comercialização e de reciclagem e as associações regularmente constituídas; a pessoa física ou jurídica, independentemente de seu porte, em projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e em projetos de irrigação por qualquer sistema, modalidade ou método”, disse Luciane.

Os investimentos possíveis para conseguir o subsídio do juro podem ser algumas categorias como em projetos de cooperativas; de agroindústria; pecuária de leite; produção, captação e preservação da água; projeto de produção de pinhão e erva mate; piscicultura; seda, café, olericultura, produção orgânica e agroecológica; floricultura e fruticultura; produção e consumo sustentável; projeto de pesquisa, desenvolvimento e inovação; energia renovável e irrigação.

Bruno Costa, secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, relata que é muito importante que os produtores da agricultura familiar tenham ciência de oportunidades para incrementar sua propriedade de forma a produzir mais. “A Prefeitura cumpre um papel de informar e fomentar estes investimentos proporcionando orientação sempre que necessário, através dos técnicos da SMAPA, com o intuito de potencializar o setor em Ponta Grossa”, finaliza Costa.

Mais informações podem ser obtidas nas unidades municipais do IDR Paraná. Em Ponta Grossa pelo telefone (42) 3228-3700.

da Assessoria