Sábado, 31 de Julho de 2021
foto: Clebert Gustavo

‘Caravana do leite’, com a presidente da Comissão do Agro Aline Sleutjes, chega ao Rio Grande do Sul

06/07/2021 às 10:06

A presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados Aline Sleutjes afirmou, nesta última quinta-feira (01) e sexta-feira (02), durante visita técnica aos municípios gaúchos de Encantado (RS), e Cruz Alta (RS) que “o leite é muito importante para o Brasil, tanto na questão nutricional,  econômica e social”, ela explicou que, “99% dos municípios do Brasil produzem leite. E a cadeia do leite contribui na renda e no emprego de 20 milhões de pessoas direta e indiretamente.” Esta é a etapa Rio Grande do Sul, do conjunto de visitas que os deputados estão realizando com o propósito de buscar alternativas e sugestões para diferentes problemas da cadeia produtiva do leite brasileiro.

A Comissão começou a visita técnica na quinta-feira (01) conhecendo as atividades da sede regional da cooperativa de crédito Sicredi, na cidade de Encantado, e ouviu produtores e dirigentes da cooperativa Dália, sobre os casos de sucesso da Instituição e também sobre os grandes desafios enfrentados, com destaque para elevação do custo de produção e a dificuldade da previsibilidade.

A parlamentar esteve ao lado de deputados da Subcomissão do Leite da Câmara Federal, representantes da Embrapa, Mapa, Abraleite, buscando conhecer os modelos de produção gaúcho. Na passagem pelo estado, os parlamentares visitaram a sede da CCGA, em Cruz Alta (RS), onde estiveram na unidade fabril e visitaram ainda a cooperativa Dália Alimentos em Encantado (RS), os deputados foram recebidos pelo Presidente do Conselho de Administração Gilberto Pisciniini e o Presidente Executivo Carlos Alberto de Figueiredo Freitas.

A cooperativa conta com 2946 famílias de cooperados, de 131 municipios do Estado do RS. Há um forte envolvimento com as Comunidades, apoiando causas sociais voltadas principalmente à Saúde. Por outro lado, no final de cada exercício fiscal a Cooperativa distribui 5% do lucro (sobras) entre os empregados. Isso traz um forte comprometimento dos colaboradores com o desempenho econômico da Cooperativa.Com a marca Dália, a Cooperativa tem o ciclo completo da cadeia produtiva: produz ração, processa leite e tem supermercados. A Cooperativa atua na produção de suínos, frangos e leite.

As 31 cooperativas vinculadas à CCGL promovem a Integração entre os 15 campos experimentais e o Centro de Pesquisa, visando o desenvolvimento e validação de práticas agrícolas, buscando inovação tecnológica com escala e rentabilidade.

Segundo o deputado federal Alceu Moreira, que participou da visita, “leite não suporta o coitadísmo, precisamos de soluções”. Para ele, a produção de leite depende de pesquisa, sanidade, alimentação de boa qualidade, entre outras ações.

O Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat) entregou aos parlamentares na ocasião relatório com dados compilados do setor lácteo gaúcho e de sua atuação. O documento contém informações sobre a produção do estado, ações de fomento, atuação do Conseleite, além de material sobre a retomada do Fundoleite. “Os deputados se mostraram interessados com o andamento do Fundoleite, pois é uma proposta que se assemelha ao projeto Mais Leite Saudável. A expectativa deles é para saberem como o Fundoleite irá funcionar para levá-lo a outros estados”, destacou o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini, ressaltando que espera que o Fundoleite seja um modelo para o país.

Durante a visita pela CCGL, os deputados também tiveram a oportunidade de conversar com produtores e conhecer mais sobre a assistência técnica disponibilizada pela cooperativa.

“O testemunho dos produtores impactou de maneira positiva os deputados”, afirmou Palharini. Os parlamentares ainda estiveram na indústria e no tambor da cooperativa, onde pôde se ver a tecnologia do uso do robô na ordenha através de vacas em sistema sem confinamento a base de pasto, com custo produção reduzido e sem acompanhamento de funcionário no manejo.

O presidente Caio Viana foi enfático ao ressaltar a importância do Programa Leite + Saudável, do Ministério da Agricultura, que se baseia em renúncia fiscal para aplicação de recursos em programas de transferência e desenvolvimento de tecnologia. A CCGL e cooperativas contam com 105 técnicos promovendo assistência técnica aos produtores cooperados. Desde 01 de julho de 2015 decidiram não captar leite de produtores que produzem menos de 50 litros/dia, reduzindo o custo de produção,  o aumento de qualidade e o incentivo para que os produtores cresçam.

Neste ano este mínimo é de 100 litros/dia. Também exigem que o produtor esteja enquadrado na IN 76. A média dos produtores atualmente é de 450 litros/dia, sendo que 30% dos produtores entregam mais de 500 litros/dia e correspondem a 66% da quantidade captada.

A tecnologia empregada na produção de leite também foi destaque nesses dois dias de visitas. “Também visitamos um estábulo leiteiro com animais de alta qualidade genética e produção média por animal de 38 a 42 litros/dia/vaca. A planta projetada e equipada com sistemas de robôs está nos níveis mais modernos em termos tecnológicos”, destacou a deputada Aline Sleutjes.

Os Deputados visitaram um dos quatro “Condomínios Leiteiros”, que faz parte do Programa de Parceria Integrada na Produção de Leite. Trata-se de um Modelo de Negócio inovador, e por isso recebeu financiamento da FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos. É uma parceria público-privada (PPP), no qual as prefeituras doam terreno com terraplenagem, energia elétrica e poço artesiano, como são comuns em investimentos industriais. Cabendo à cooperativa fazer os investimentos em instalações e equipamentos. Já os produtores arcam com o investimento em animais ou com a compra de cotas. Eles também conheceram nos dois dias de visita os mecanismos e tecnologias de ponta, ordenha robotizada, genética, prioridade sanitária e muito zelo e avanço nas pastagens.

No sistema de Condomínio o produtor fica liberado de toda a parte de gestão da produção e custos relacionados à mão de obra, aquisição de alimentos e cuidados veterinários. Portanto, todo o manejo é feito por técnicos da Dália/Cosuel, que utiliza robôs na ordenha, nutrição equilibrada,  genética avançada etc.

Os parlamentares conheceram a realidade de grandes empresas, com capacidade de produção de até 1,2 milhão de litros de leite por dia, exemplo que nasceu da união de esforços dos produtores com apoio técnico e econômico das Cooperativas.

“O condomínio de leite’ chamou a atenção da Comissão. Eles são o resultado da união dos produtores que reúnem seus melhores animais ou se associam ao sistema de cota por animal. Com isso, alcançam escala e eficiência de produção que jamais conseguiriam individualmente”, explicou Domingos Sávio.

“Encontramos um modelo de governança corporativa e de negócios avançado, com vários cases de sucesso, estamos colhendo subsídios e informações dos problemas enfrentados pelo setor leiteiro nestas regiões que temos visitado, estamos produzindo um relatório oficial de nossas visitas técnicas para amparar os produtores de lácteos brasileiros.”, ressaltou a Líder do agro nacional deputada Aline Sleutjes.

Além da presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural deputada Aline Sleutjes, participaram da visita técnica de dois dias os deputados federais Alceu Moreira, Benes Leocádio e Domingos Sávio, Heitor Schuch bem como o deputado estadual Clair Kuhn, produtores e técnicos da Embrapa, Mapa e Presidente da Abraleite.

“ Nós vimos experiências positivas para termos condições de sugerir ao Governo Federal políticas públicas que resolvam os principais desafios dos produtores no Brasil”, afirmou Alceu Moreira. “Sabemos das dificuldades que o setor enfrenta e vamos representar o produtor em defesa de condições mais justas”, completou o Deputado do RN Benes Leocádio.

A missão parlamentar às cooperativas Dália Alimentos nos municípios gaúchos de Encantado, e CCGL – em Cruz Alta, referências para o setor leiteiro no país, foi finalizada com sucesso nesta sexta-feira (02/07), mostrando a força do cooperativismo gaúcho para oferecer novas possibilidades ao setor lácteo no Brasil.

da assessoria