Domingo, 24 de Outubro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Maryon Carbonare: O que monitorar no momento da colheita da silagem de milho planta inteira?

13/08/2020 às 15:54

O alimento mais utilizado para as vacas de leite em todo o mundo é a silagem de milho planta inteira, sendo uma fonte de energia e fibra. Neste artigo, serão discutidos dois pontos importantes para serem monitorados no momento da colheita da silagem de milho e, dessa forma, otimizar o aproveitamento dos nutrientes pelos animais.

Monitoramento do tamanho de partículas da silagem de milho

Manter o tamanho ideal de partículas da silagem é um dos pontos fundamentais para os animais ruminarem, produzirem saliva e manterem as condições favoráveis no rúmen.

No silo, partículas muito grandes dificultam a compactação e aumentam a entrada de ar na massa ensilada, podendo favorecer o desenvolvimento de fungos e leveduras, que degradam os nutrientes e reduzem a qualidade final da silagem. Além disso, partículas grandes reduzem a ingestão dos animais e aumentam a seleção no cocho.

O tamanho médio das partículas vai variar de acordo com a afiação das facas e contra facas da ensiladeira. As recomendações geralmente variam entre 10 mm a 13 mm para silagens confeccionadas com máquinas sem processador de grãos e cerca de 19 mm para silagens com processador. Porém, o tamanho ideal de partículas pode variar de fazenda para fazenda, dependendo das outras fontes de fibra efetiva disponíveis para a dieta.

Como a determinação do correto tamanho de partículas apenas a olho nu é mais difícil, a Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, desenvolveu um conjunto de peneiras para classificação do tamanho de partículas, que consiste em três peneiras com diâmetros de 19,0, de 8,0 e de 4,0 mm, mais uma caixa de fundo.

As peneiras são empilhadas e, após a agitação, a distribuição adequada da porcentagem de silagem retida em cada peneira deve ser conforme descrito abaixo:

(Clique na imagem para ampliar)

Esse conjunto já pode ser adquirido em lojas do Brasil, e alguns técnicos, nutricionistas, produtores e prestadores de serviço já têm o equipamento. Neste caso, ele deve ser usado no momento da colheita para monitorar o tamanho das partículas e fazer possíveis ajustes.

O monitoramento do processamento de grãos da silagem

Além da fibra da silagem, otimizar o aproveitamento de toda a energia do amido dos grãos é importante. O momento mais adequado para avaliar esse processamento é durante a colheita, considerando que ajustes e correções ainda podem ser realizados nas colheitadeiras.

Vamos abordar três técnicas práticas e rápidas, que podem ser executadas de maneira eficiente na propriedade.

Balde com água:

A técnica de separação do balde com água foi desenvolvida para ser aplicada de forma fácil, simples e rápida no campo. Consiste em separar a planta em duas frações: os grãos e a porção vegetativa (colmos e folhas).

No momento da colheita, uma amostra da forragem é coletada e colocada em um balde com água, onde os colmos e folhas flutuam, enquanto os grãos permanecem submersos na água.

Após a separação, a avaliação do grau de processamento dos grãos é subjetiva. A presença de muitos grãos inteiros é uma indicação de que o nível de processamento é insuficiente. Se quase não houver grãos inteiros, mas muitos forem simplesmente cortados, rachados ou quebrados, o nível de processamento pode ser considerado pouco adequado. Materiais adequadamente processados não devem apresentar grãos inteiros ou rachados.

Copo de monitoramento de processamento de grãos:

A técnica de monitoramento de processamento de grãos por meio do copo foi desenvolvida pela empresa Pioneer, dos Estados Unidos.

A técnica consiste em coletar o volume de um litro de uma amostra de massa fresca da silagem de milho processada pela máquina durante a colheita, em pelo menos três cargas a cada hora, espalhar essa amostra em uma superfície plana e, manualmente, separar todos os grãos maiores que uma metade de grão.

O padrão ideal de processamento é não mais que dois grãos inteiros ou metades. Até quatro grãos inteiros ou metades, o processamento ainda pode ser considerado adequado. A partir disso, já é aconselhável rever os processos de colheita.

(Clique na imagem para ampliar)

Imagem por foto com separação dos grãos:

Esta técnica, que ainda está sendo validada no Brasil, consiste em determinar o grau de processamento dos grãos por meio de uma foto feita por um tablet ou smartphone.

Os grãos devem ser separados das outras frações da planta e colocados em um papel com um fundo preto, ao lado de uma moeda ou um metal com tamanho conhecido, para servir como escala. O software, desenvolvido pela SilageSNAP, filtra a foto, detecta a borda de cada grão e determina o tamanho real.

(Clique na imagem para ampliar)

Monitoramento

A palavra-chave para o momento da colheita da silagem de milho planta inteira é: monitoramento. Sendo assim, monitore o tamanho de partículas e o processamento dos grãos, dois fatores fundamentais para uma silagem de qualidade.

Maryon Strack Dalle Carbonare é zootecnista pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), doutora pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), pesquisadora na área de Forragicultura e proprietária da MS.DC Consultoria. Foto: Carol Santos Fotografia.