Domingo, 21 de Abril de 2024

COVID-19: Vacina de Oxford apresenta reações adversas e estudo é paralisado

2020-09-09 às 10:30

A indústria farmacêutica AstraZeneca comunicou, nesta terça-feira (08), que irá interromper os testes realizados com a vacina desenvolvida em parceria com a universidade e Oxford, no Reino Unido. Segundo a empresa, a medida está sendo tomada devido a uma reação adversa apresentada por um dos voluntários que recebeu uma dose da vacina. A notícia primeiramente foi dada pelo site de conteúdo médico STAT, ligado ao jornal The Boston Globe, e mais tarde foi confirmada através de comunicado oficial da empresa.

“Como parte de um teste controlado, randomizado global da vacina de coronavírus de Oxford, nosso procedimento padrão de revisão desencadeou uma pausa na vacinação para permitir a revisão de dados de segurança”, disse a empresa no comunicado. “Esta é uma ação de rotina que precida ocorrer sempre que há problema de saúde inexplicado em potencial em um dos testes, enquanto é investigado, garantido a manutenção da integridade dos testes”.

Em junho, o Ministério da Saúde do Brasil anunciou um acordou com a Universidade de Oxford, para produção da vacina. Teriam sido encomendados, inicialmente, 30,4 milhões de doses da vacina, contabilizando um investimento de mais de 127 milhões de reais. Os testes com voluntários brasileiros já tinham começado, em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A divisão brasileira da AstraZeneca e a Unifesp ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

Segundo o site STAT, interrupções como esta são comuns em estudos clínicos, e mutias vezes acontecem por cautela em abundância. A AstraZeneca ainda não divulgou qual seria a natureza da reação adversa apresentada pelo paciente.