Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2022

Especial D’P: O olho do dono – conheça a história de Jorbel Griebeler, da Cellshop

16/12/2021 às 16:46
Conteúdo exclusivo publicado na Revista D’Ponta #288 Nov/Dez/2021

O olho do dono – por Ismael de Freitas

Quem costuma fazer compras na fronteira, e até mesmo turistas ocasionais dispostos a gastar alguns dólares em Ciudad Del Leste, passa obrigatoriamente pela Cellshop, a maior loja de departamentos de importados do lado de lá da Ponte da Amizade. Com reputação de credibilidade construída ao longo de 15 anos, a loja de departamentos se tornou referência vendendo produtos de qualidade dos mais variados, ganhando também espaço no mundo virtual por meio do site da empresa.

No entanto, muitos não sabem que a Cellshop pertence a um brasileiro, filho de uma família simples, que, aos 17 anos, tomou gosto pela área de vendas e transformou esse hobby num empreendimento que agora também está disponível para quem pretende permanecer no Brasil, ao visitar Foz do Iguaçu. Em abril deste ano, Jorbel Griebeler inaugurou a Cellshop Duty Free, já considerada a maior loja franca dentro de shopping center do país.

O título desta reportagem tenta sintetizar como é possível construir empreendimentos que se destacam na imensa paisagem comercial da fronteira em tão pouco tempo, e em meio a uma das maiores crises financeiras pelas quais o Brasil e o mundo já passaram. Mas muito além dos “olhos do dono”, Jorbel nos conta que também é preciso “colocar a mão na massa” para que o boi, e o bolo, engordem.

A receita não é desconhecida do mundo empresarial, mas o que parece fazer a diferença, nesse caso, é a aplicação correta dela. Usando outra analogia culinária, tudo depende da mão do cozinheiro. “Atribuo o sucesso ao trabalho, dedicação e à coragem. Amo o que faço e trato de transmitir isso aos nossos clientes, colaboradores e fornecedores. Acredito que, quando direcionados por este trio, nossas ações são muito mais assertivas. E é dessa maneira que conseguimos entregar a todos os nossos clientes uma experiência de compras cada vez melhor”, avalia.

RUMO CERTO

A conquista da confiança dos consumidores, principalmente em épocas de crise, é trabalho dedicado, focado em detalhes. “A maior dificuldade de qualquer empresa é conquistar a sua credibilidade. Em mais de 15 anos de história, a Cellshop jamais deixou a desejar neste quesito, sempre garantindo uma experiência completa para o cliente, do primeiro contato até o pós-vendas. Hoje, temos equipes robustas que trabalham diariamente e arduamente para trazer a esses clientes, que confiam nas nossas empresas, uma variedade de produtos originais com garantia, preço e atendimento especializado”, conta Jorbel.

Para o empresário, o mais difícil não é fazer uma empresa crescer, e “sim fazer com que ela siga brilhando. O nosso maior projeto é fazer a Cellshop continuar como referência em termos de experiência de compras, credibilidade e inovação na fronteira”. Atualmente, a Cellshop Paraguay conta com 600 colaboradores diretos, enquanto a Cellshop Duty Free tem 110.

 

FORMAS DE INOVAR

A coragem para investir em tempos de pandemia, no mesmo momento em que outras empresas fecham as portas ou reduzem sua capacidade de atuação no mercado, se tornou a principal ferramenta para o desenvolvimento dos negócios de Jorbel. “Quem não inova, nos dias de hoje, definitivamente para no tempo e fica pra trás. Estou constantemente buscando novas formas de inovar nos nossos negócios, tanto no Paraguai quanto no Brasil. Construímos a maior loja franca de fronteira terrestre do Brasil e a trouxemos com uma arquitetura de padrão internacional, cada detalhe pensado na experiência do cliente”, relata.

Se já é difícil enfrentar as eventuais crises do varejo, nos últimos anos, a coragem pode ter sido a diferença entre evoluir ou estagnar. No caso das empresas Cellshop, enxergar os problemas como desafios foi a maneira que Jorbel encontrou para superar de forma rápida e crescer. “Se existe algo que adoro é resolver problemas. Por isso, acredito que a administração deles depende do ponto de vista de cada um. Busco enxergar os problemas como desafios, não permitindo que eles se transformem em estresse, e sim em motivadores para encontrar soluções”.

Obviamente, as empresas não estão em um mundo paralelo, imune às consequências globais que afetaram e ainda afetam as pessoas em todo planeta. Para enfrentar o período da pandemia, com todas as restrições e, inclusive, o fechamento da Ponte da Amizade, a Cellshop teve em seu CEO a tranquilidade e o otimismo para atravessar a tormenta.

“Sem dúvidas, vivemos um momento único da história. As dificuldades foram gigantes. Cada empresa viveu problemas diferentes, mas sem dúvidas todas sentiram e ainda estão sentindo os reflexos dessa catástrofe. Acredito que o mais grave já passou, mas que vamos seguir sofrendo sequelas econômicas por mais alguns anos”, prevê o empresário.

 

CONTATO DIRETO

Outra ferramenta para o sucesso das empresas parece ter vindo do passado. O contato ‘cara a cara’ com o cliente. Uma atuação próxima do consumidor seja para resolver demandas ou para simplesmente bater um papo despretensioso. “No mundo em que vivemos, já não há mais espaço para empresários ocultos, que se escondem. Mais do que nunca, as pessoas querem conhecer a empresa, saber quem está por trás dela. O consumidor demanda transparência. Particularmente, confesso que demorei um pouco para entender isso. Mas desde que comecei a aparecer mais no chão das lojas, além de uma atuação mais intensa nas redes sociais e noticiários, nossos resultados melhoraram muito, e tenho tido feedbacks muito positivos.”

 

DOIS PAÍSES

Outra curiosidade é entender como o mesmo empresário consegue administrar negócios em países distintos, ainda que irmãos, como é o caso do Paraguai e Brasil. “Estamos vivendo uma nova experiência no Brasil com a Cellshop Duty Free em Foz do Iguaçu, e posso dizer que cada país tem suas burocracias e peculiaridades. Estou encantado com os desafios que surgem a cada dia e espero conseguir gerir esses desafios e crescer, assim como crescemos no Paraguai”, resume Jorbel.

Quem acaba de conhecer a rotina de Jorbel Griebeler pode imaginar que se trata de um workaholic, alguém que vive em função do trabalho, mergulhado em números, planilhas, agendas das mais variadas. Não é o caso de Jorbel. Ainda que o dia a dia das empresas seja intenso, o empresário dedica muito tempo para a família e para atividades de lazer. Gosta de cozinhar, se exercitar, pratica esportes, gosta de viajar e ainda é um conhecedor de vinhos, o que exige boa carga de informação e conhecimento. “O segredo da vida é o equilíbrio. Portanto, trato de administrar meu tempo de uma maneira em que posso fazer atividades que me geram prazer, cuidando da minha saúde e nunca deixando as responsabilidades de lado. Mas confesso que o trabalho é meu principal hobby.”

 

Leia a revista completa!