Sexta-feira, 12 de Abril de 2024

Hipervitaminose: Por que a vitamina D em excesso pode levar à morte

2024-03-03 às 16:03
Foto: Freepik/Reprodução

A morte de um aposentador inglês de 89 anos chamou atenção na semana passada. De acordo com as autoridades médicas do Reino Unido, o paciente morreu de hipercalcemia – excesso de cálcio no sangue – porque vinha consumindo doses excessivas de vitamina D.

A vitamina D, na verdade, é um hormônio. O corpo humano obtém precursores dela via alimentação, e os transforma no hormônio por meio de reações fotoquímicas. É por isso que tomar sol faz parte das indicações para ter bons níveis de vitamina D.

Sintomas da hipercalcemia

A deficiência de vitamina D é associada há vários problemas de saúde, entre eles fraqueza muscular, fadiga, dores no corpo e problemas imunológicos. Como não há controle na venda dos suplementos – vitaminas não são consideradas remédios -, é muito comum que as pessoas comecem a tomar vitamina D por conta própria ou sugestão de amigos.

Casos recentes, como o do paciente inglês, vem mostrando que suplementar vitamina D sem orientação médica é colocar a saúde em risco. Quando o corpo produz o hormônio a partir da alimentação e do estímulo da luz solar existe uma autorregulação, via suplemento isso não existe.

A vitamina D em excesso provoca alta concentração de cálcio no plasma (hipercalcemia), levando a sintomas como prisão de ventre, aumento da quantidade de urina, sonolência, fadiga, dor de cabeça, arritmias e, até, coma.

Leia a matéria completa do Metrópoles