Segunda-feira, 27 de Maio de 2024

Morre Aldir Blanc, compositor de ‘O Bêbado e A Equilibrista’, vítima do coronavírus

2020-05-04 às 09:27

O compositor e escritor Aldir Blanc, de 73 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (4) no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio. Ele estava com Covid-19 e seu quadro de saúde era considerado grave.

No dia 10 de abril, o compositor deu entrada na CER do Leblon com infecção urinária e pneumonia, que evoluíram para um quadro de infecção generalizada.

Cinco dias depois, a partir de uma campanha de amigos e artistas, ele conseguiu transferência para o Hospital Pedro Ernesto.

Na unidade, chegou a apresentar sinais de melhoras, mas como seu estado era muito grave, foi mantido sedado o tempo inteiro.

Morre o cantor e compositor Aldir Blanc, aos 73 anos

Mariana Baltar canta Aldir Blanc

No fim de 2019, a cantora Mariana Baltar lançou “Os Arcos – Paixão e Morte”, um disco inteiramente dedicado à obra de Aldir Blanc.

A obra ganhou elogios da crítica, entre elas, a do blogueiro Mauro Ferreira, e do próprio homenageado:

‘Tiro pra ouvir, choro pra caramba e boto na minha arca do tesouro. (…) É só ouvir o CD e volto pra Vila Isabel da minha meninice”, disse Aldir na época.

A cantora comentou o elogio:

“Receber as palavras do Aldir foi o maior presente que a gente poderia receber, um tesouro de valor inestimável. É como se, além de tudo, a gente passasse a integrar o incrível universo de personagens das suas canções.”

Carreira musical

Aldir Blanc Mendes nasceu no Rio de Janeiro, no dia 2 setembro de 1946. Em 1996, ingressou na Faculdade de Medicina, especializando-se em psiquiatria. Em 1973, abandonou o curso para dedicar-se exclusivamente à música, tornando-se um dos mais importantes compositores de Música Popular Brasileira (MPB).

Uma de suas canções mais famosas, “O Bêbado e a Equilibrista”, feita em parceria com João Bosco, ficou eternizada na voz de Elis Regina.

Outras composições famosas são “Bala com Bala”, “O Mestre-Sala dos Mares”, “De Frente Pro Crime” e “Caça à Raposa”.

A obra de Blanc reúne, ainda, dezenas de canções conhecidas, feitas em parceria com outros ilustres artistas, como Moacyr Luz, Maurício Tapajós, Paulo Emílio, Carlos Lyra, Guinga, Edu Lobo, Wagner Tiso, César Costa Filho, Cristóvão Bastos, Roberto Menescal, Ivan Lins, entre outros.

Leia a matéria completa no Portal G1, clicando aqui.

Imagens/informações: Portal G1.