Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Procuradoria do STJD pede suspensão preventiva de ex-jogador do Operário e de outros sete atletas investigados na Operação Penalidade Máxima

2023-05-16 às 13:59
Foto: Pixabay/ jarmoluk

Oito jogadores investigados na Operação Penalidade Máxima foram alvos de um pedido de suspensão preventiva da Procuradoria-Geral do STJD, segundo informações do portal “ge”. A solicitação da punição, que é de 30 dias, agora está nas mãos de Otávio Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça Despotiva.

A procuradoria do STJD pediu a suspensão preventiva de Eduardo Bauermann (Santos), Moraes (Aparecidense, ex-Juventude), Gabriel Tota (do Ypiranga-RS, ex-Juventude), Paulo Miranda (Náutico, ex-Juventude), Igor Cariús (Sport, ex-Cuiabá), Matheus Gomes (ex-Sergipe), Fernando Neto (São Bernardo, ex-Operário-PR) e Kevin Lomonaco (Red Bull Bragantino). Ao todo, seis jogadores dessa lista foram denunciados pelo Ministério Público de Goiás.

Lomonaco e Moraes assumiram a culpa, fizeram acordo com o MP-GO, viraram testemunhas e não foram denunciados. Porém, eles foram inseridos na denúncia da procuradoria do STJD.

Os jogadores foram denunciados no Superior Tribunal de Justiça Despotiva pelos artigos 243 e 243 A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em “atuar, deliberadamente, de modo prejudicial à equipe que defende e “atuar, de forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado de partida, prova ou equivalente”.

Assim, os acusados podem pegar uma suspensão de até 720 dias, além de multa de até R$ 100 mil. Caso algum deles seja reincidente, a punição pode ser o banimento do futebol.

leia a matéria completa no Lance!