Sábado, 31 de Julho de 2021
foto: Clebert Gustavo

Caminhada noturna de Vila Velha está de volta! Saiba detalhes, veja fotos e dicas de quem já fez o passeio!

12/07/2021 às 12:47

A Caminhada Noturna do Parque de Vila Velha está de volta! O passeio, um dos mais procurados pelos visitantes, retorna a partir do dia 24 de julho com Lua Cheia no céu. E para abrir a temporada, no último sábado (10) o Parque convidou alguns jornalistas, produtores de conteúdo e influenciadores de Ponta Grossa e Curitiba para conhecerem o passeio. O D’Ponta News participou da atividade e conta tudo o que você precisa saber para viver e aproveitar ao máximo essa experiência.

O passeio começa oficialmente às 18h30, mas lá vai a primeira dica! Vale a pena chegar uma hora antes para apreciar um pôr do sol incrível! Olha só os registros do fotógrafo Sérgio Mendonça Junior, que acompanhou nosso grupo durante a caminhada.

 

COMEÇO DO PASSEIO

Antes mesmo de começarmos a caminhada, os olhos já ficaram encantados com a observação de satélites a olho nu e uma passagem da ISS – Estação Espacial Internacional sobre nossas cabeças. O ‘guia do mochileiro das galáxias’, em todo este passeio, foi o Matheus Frare, especialista em astronomia, que explicou que logo após o pôr do sol é o melhor horário para este tipo de observação devido aos reflexos dos raios solares nos objetos.

Desde a saída do Centro de Visitantes até a Taça, a caminhada tem cerca de 2 quilômetros, o que pode assustar os sedentários de plantão (incluindo este que vos escreve). Mas calma! Todo o caminho é tranquilo, feito com muitas pausas para aprendizado e observação.

A primeira parte, antes de chegar na trilha dos arenitos, foi transformada em uma ‘grande pequena’ escala do sistema solar, para que conheçamos a distância entre os planetas. Desta forma, caminha-se um pouco e, a cada planeta na escala, há uma pausa para explicações e curiosidades de cada um. Ahh, e o Matheus vai apontando com laser onde fica cada planeta para que todo mundo se localize em meio a tantas estrelas.

É um trecho que demora cerca de 40 minutos ao todo.

 

PRECISO LEVAR LANTERNA?

Não! Aliás, você não deve levar sua lanterna. Apesar de ser uma caminhada noturna, os guias explicam desde o início que, para que os nossos olhos se acostumem melhor com a escuridão e possam observar melhor o céu, o ideal é que pouca, ou nenhuma luz artificial seja ligada. Então lá vai a dica: vale respeitar o coleguinha e cuidar com os flashes, com a lanterna do celular e diminuir o brilho da tela. Em meio ao breu, eles fazem muita diferença para quem desejar aproveitar a observação.

“Ahh, mas será que eu vou enxergar?” Vai sim! Os olhos se acostumam com a claridade da noite, as trilhas são claras em meio à escuridão e, se precisar, os guias estão, o tempo todo, com lanternas para iluminar o que for preciso.

 

CHEGADA NAS TRILHAS

A segunda parte inicia na entrada da trilha para os arenitos com um bate-papo sobre o parque. É ali que descobrimos que os arenitos já estiveram debaixo d’água, já foram fazendas, área de entretenimento com piscinas e até já foram palco de um show da banda Engenheiros do Hawaii. Todo esse descontrole, por tanto tempo, fez com que o processo de desgaste das rochas fosse acelerado em décadas.

É neste momento que você, se não conhece, é apresentado à palavra ‘pareidolia’ – que o Matheus jura não ser doença para não assustar ninguém!

 

Pareidolia é um fenômeno psicológico comum em todos os seres humanos, conhecido por fazer as pessoas reconhecerem imagens de rostos humanos ou animais em objetos, sombras, formações de luzes e em qualquer outro estímulo visual aleatório.

 

Ou seja, o exercício da pareidolia é fundamental para que você possa imaginar as figuras esculpidas nos arenitos, bem como as constelações no céu. Nosso guia até desenha com laser, como as constelações de escorpião, de leão, e até uma que pode ser confundida com uma chaleira. Vê-las, depende de cada um!

Já nas trilhas, para alguns (inclusive para mim), o passeio noturno permite que você identifique com mais clareza algumas das figuras esculpidas. A bota e a garrafa, famosas, não tem erro. Mas pela primeira vez identifiquei com clareza a índia – belíssima, por sinal. Já com a pareidolia em alta, a figura do índio Dhui também pode ser vista como Frankstein, Bart Simpson e até a de um grande gorila.

Mas o que ninguém negou foi a existência do ‘gato’. A iluminação noturna faz com que o bichano seja visto com perfeição, arrancando frases dos visitantes. “Meu Deus, é um gato mesmo!” E até um “ai, que cuti, cuti” cheguei a ouvir da moça que estava trás de mim. Em certo momento, até o Cid, do filme ‘A Era do Gelo’ pode ser observado com maestria.

A chegada na Taça é o ápice aguardado por todos. Um momento em que é preciso paciência para que todo mundo possa fazer sua foto com calma e perfeição. Aliás, lá vai mais uma dica. Se você quiser fotos de verdade em meio à escuridão, não esqueça de levar o tripé para sua câmera ou celular. Somente as fotos no modo pro, com longa exposição, poderão ser vistas em meio ao breu.

 

Na volta para o Centro de Visitantes, o turista ainda tem a oportunidade de uma observação em telescópio. No nosso caso, o escolhido da vez foi Saturno. Um planeta a mais de 1 bilhão de quilômetros de distância, a centímetros dos nossos olhos através de poderosas lentes.

 

Apesar de uma noite sem luar, pudemos ver de perto a lua! Dois itens raros: um pedaço rochoso lunar, encontrado na Argélia. Também pudemos observar um composto com fragmentos de milhões de anos antes da formação da Terra. Relíquias da coleção pessoal  do Matheus.

Assim como vale a pena conhecer a beleza de Vila Velha durante o dia, o passeio noturno traz experiências diferentes, mesmo para quem já é acostumado com o parque. Uma noite de conhecimento sobre astronomia, mitologia e muitas imagens para se gravar na memória!

 

DICAS RÁPIDAS

– Nos dias de Caminhada Noturna, o restaurante Girassol fica aberto até 22h. Vale experimentar as delícias, entre elas o ‘Pão no Bafo’, considerado patrimônio imaterial do município de Palmeira;

– Apesar da caminhada dar aquela esquentada no corpo, não se engane! O frio pode bater em alguns momentos de pausa. Por isso, a dica é ir bem agasalhado e com um calçado confortável para caminhada;

–  A caminhada toda leva cerca de 4 horas. Leve sua água, mas não esqueça que não há banheiros disponíveis durante o percurso.

 

Vale o registro: Para esta atividade com os jornalistas, o transporte foi realizado pela Expresso Princesa dos Campos, com o moderno e luxuoso ônibus Paradiso 1600 LD (low driver). Um show a parte!

 

Gostou? Ficou interessado em fazer a Caminhada Noturna em Vila Velha? Então anota aí! O passeio retorna a partir do próximo dia 24 de julho com Lua Cheia no céu. Os ingressos para o primeiro passeio de 2021 já podem ser comprados pelo site www.parquevilavelha.com.br.

Os passeios serão realizados aos sábados mais próximos da Lua Nova ou Lua Cheia, com recepção dos participantes a partir das 17h30 para poder curtir o maravilhoso pôr do sol no Parque e início da atividade às 18h30 com término às 22h30.

O valor do estacionamento para veículos de passeio é de R$12,00, para vans e microônibus, R$18,00, e ônibus, R$24,00. Os ingressos são vendidos exclusivamente pelo site tickets.parquevilavelha.com.br até se esgotarem e tem o custo de R$ 88,00 por pessoa.

Ao adquirir a experiência, o participante deve entrar em contato com o Parque até às 14 horas do dia do passeio para confirmar a realização pelo telefone (42) 3122-4488, pois dependendo das condições climáticas, o evento poderá ser cancelado. Nessa situação, ocorrerá a remarcação do passeio.

 

Por: Eduardo Vaz
Fotos: Sergio Mendonça Junior / Divulgação
com informações da assessoria