Segunda-feira, 08 de Agosto de 2022

Carreata que pedia a volta do comércio em Carambeí é cancelada

28/03/2020 às 09:11

O movimento que pedia a reabertura do comércio em Carambeí foi cancelado. A carreata estava programada para acontecer neste sábado (28), às 14h, em frente à Prefeitura Municipal. 

“A ideia não era brigar com o prefeito, por que ele está obedecendo ordens do Governo do Estado. A nossa ideia era chegar no governador Ratinho Junior para que a gente pudesse voltar a trabalhar”, explicou o organizador do movimento Josué Junior. 

“A gente não pode parar o país por causa de um vírus. Nós temos que trabalhar, dependemos de vender o almoço para poder jantar. A gente tem vários funcionários e precisa desse dinheiro para poder pagar os boletos e voltar a viver”, desabafou. Ele acrescentou que a ideia era que pessoas com menos de 60 anos e sem problemas de saúde prévios pudessem voltar às atividades normais.

“Não vai ser preciso fazer a carreata. Para a nossa sorte, o prefeito sancionou um novo decreto e já podemos voltar a trabalhar, desde que não haja aglomerações”, comemorou. 

De acordo com o decreto, publicado no Diário Oficial, a partir de segunda-feira (30) estão autorizadas a funcionar as seguintes atividades comerciais: 

– tratamento e abastecimento de água, produção e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis.

– assistência médica, hospitalar, farmácias, consultórios e laboratórios.

– vendas de suprimentos como: açougues, padarias, mercearias, mercados e supermercados.

– Fica autorizado o funcionamento de restaurantes, lanchonetes e demais estabelecimentos de gêneros alimentícios, inclusive para atendimento de serviço de entrega delivery ou drive thru.

– lojas de conveniência e feira de produtos alimentícios, recomendando-se o não consumo no local e aglomeração.

– indústria e construtoras.

– produção, distribuição, comercialização e entrega de produtos de saúde, higiene e alimentos. 

– distribuição de encomendas e cargas.

– Postos de combustíveis.

– funerárias.

– lotéricas.

– distribuidoras de água e de gás.

– instituições financeiras.

– clinicas veterinárias.

– serviços de telecomunicações, internet e call center.

– órgãos de imprensa.

– assistência social e atendimento à pessoa em situação de vulnerabilidade.

– segurança e vigilância.

– coleta de lixo.

– agropecuárias.

– igrejas e atividades religiosas.

– serviços de táxi e transporte remunerado privado individual de passageiros.

– serviço postal.

– transporte de cargas em geral.

– serviços relacionados a tecnologia de informação e processamento de dados.

– atividades acessórias ou de suporte e a disponibilização de insumos necessários à efetivação de serviços e atividades essenciais como autopeças, material de construção, lavanderia e hotéis.

– transporte de numerários.

– fiscalização ambiental.

– produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados.

– atividades de advogados e contadores.

– transporte de profissionais da saúde.

– oficinas mecânicas e serviços de guincho e borracharia.