Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

CimSaúde retoma atendimentos eletivos aos pacientes dos Campos Gerais

2020-10-30 às 15:36

Para atender a demanda reprimida dos municípios com o período da pandemia, o Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Campos Gerais (CimSaúde) abrirá vagas para atender pacientes antes atendidos pela Rede MACC (Modelo de Atenção às Condições Crônicas). Pacientes dos municípios de Castro, Palmeira, São João do Triunfo, Sengés e Jaguariaíva poderão ser encaminhados ao ambulatório de Ponta Grossa para serem atendidos nas áreas de endocrinologia e cardiologia. “Devido ao momento não estamos com todos os profissionais da Rede, mas vamos disponibilizar essas consultas para aqueles pacientes que estão descompensados”, conta a diretora do CimSaúde, Pâmella Costa.

Da Rede MACC, estes cinco municípios é que contam com a estratificação correta realizada na Atenção Primária de Saúde para o encaminhamento dos pacientes. “Para este ano ainda continuamos atuando com o modelo já pactuado. Para o próximo ano vamos reorganizar as Redes e ampliar o número de vagas”, prevê Pâmella. Apesar da pandemia do Coronavírus, o CimSaúde ultrapassou a meta de atendimentos até o momento em 6 mil para esse ano. “Tínhamos que atingir 35.618, mas já passamos de 40 mil, e a perspectiva é que até o final do convênio possamos ampliar ainda mais estes atendimentos.”, exulta a diretora.

Para a enfermeira da Atenção Primária do município de Castro, Silvia Amorim, o retorno dos pacientes da Rede MACC é importantíssimo. “Utilizamos muito o trabalho do Consórcio. As necessidades dos pacientes são atendidas. E além disso, temos confiança e segurança na assistência à saúde”, avalia. Em sua Unidade, 100% dos pacientes foram estratificados. “Fizemos um mutirão de estratificação e todos os pacientes passaram a seguir a linha guia de hipertensão e diabetes”, exulta. Para Pâmella, o trabalho em conjunto da Atenção Primária e Consórcio é fundamental para o funcionamento das Redes. “É uma engrenagem que não pode parar”, disse.

Com a chegada da pandemia, Consórcio e municípios haviam pactuado a paralisação dos serviços eletivos. “As Prefeituras não tinham como nos encaminhar pacientes. Além do risco do transporte sanitário, há diversos pacientes do grupo de risco”, explica a diretora, lembrando ainda que neste período o CimSaúde estava como referência do ambulatório de gestação de alto risco e a partir do mês de novembro incluirá também o ambulatório de gestação de risco intermediário.

Da Assessoria