Domingo, 21 de Abril de 2024

Empresários de eventos de PG fazem campanha nas redes sociais pedindo a liberação do setor

2020-09-03 às 15:30

Nesta quinta-feira (03) diversos empresários do setor de eventos começaram a fazer uma campanha nas redes sociais, postando uma foto em preto e branco com o seguinte recado: “Vivo de Eventos. Mas não tenho trabalho, nem voz”.

Desde o início da pandemia, a realização de eventos sociais em Ponta Grossa está proibida e diversos empresários estão passando por momentos difíceis. Caru Biagi, assessora de eventos sociais, é uma destas empresárias e quem começou a campanha nas redes sociais. Segundo ela, o objetivo da ação é chamar a atenção das autoridades para o setor. “Nosso objetivo é que a classe de eventos seja respeitada, porque os bares, shoppings e outros entretenimentos estão abertos, lugares onde somam mais de 50, 60 pessoas, e os eventos não podem acontecer”, afirma.

Caru ainda reconhece que os eventos podem colaborar para a disseminação do coronavírus, no entanto pede mais coerência nas proibições por parte da prefeitura. “Concordo que eventos são grandes contribuintes para a disseminação e por isso estamos proibidos de trabalhar. Mas os bares também são e quem sabe sejam mais perigosos por não ser pessoas de convívio”. E ela ainda finaliza: “Queremos poder fazer as mini comemorações somente com as famílias, pois nos renderia um mínimo de valores para entrar e com todos os protocolos de segurança. E também queremos uma coerência nas proibições”.

Rafaele Tybuchewsky também é assessora de eventos sociais e está participando da campanha. Devido à pandemia, ela teve que cancelar o seu CNPJ e atualmente está trabalhando de maneira informal, contando com o apoio financeiro do marido. “Como pessoa estou muito triste, pois trabalho com eventos há dez anos e nunca havia passado por uma situação assim. Tenho apoio financeiro do meu marido e meus familiares, mas sempre tive minha independência e no momento está difícil”, conta.

Para Rafaele, uma retomada gradual seria o ideal para o setor de eventos na cidade. “Se possível a retomada seria o ideal! Poderia ser algo gradual, mas o quanto antes para podermos dar uma previsão para os clientes que se planejam a longo prazo e já ir realizando os eventos menores. Claro que o apoio financeiro [da prefeitura] seria bem-vindo, mas se ocorresse a liberação dos eventos isso não seria preciso, pois nosso setor já iria voltar a girar economicamente”, finaliza.

Pronunciamento do Prefeito

Nas redes sociais, Marcelo Rangel se pronunciou sobre o assunto e afirma que será o primeiro a ajudar o setor de eventos, quando uma solução aparecer.

“Se alguma cidade DO MUNDO, tiver alguma solução para os eventos, shows, bailões e etc.. fiquem sabendo que serei o primeiro, a querer ajudá-los.. mas enquanto houver apenas xingamentos sem apresentar propostas, não haverá evolução pra nada.. Em oito anos de governo, fui sempre o maior o incentivador deste setor, pois me fiz como empresário de eventos e voltarei.. Não inventei o vírus da aglomeração, não inventei os métodos de prevenção, não inventei a lei de restrições ao setor.. O MUNDO fez isso.. portanto, o que posso fazer é ajudar, mas não realizar milagres sobre a disseminação do vírus”, afirma.

Fotos: reprodução