Quinta-feira, 09 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Especial D’P: Moacyr Fadel – experiência e liderança para enfrentar os desafios da região dos Campos Gerais

18/11/2021 às 11:20
Conteúdo exclusivo publicado na Revista D’Ponta #287 Outubro/2021

Liderança de destaque na cidade de Castro, único prefeito eleito pelo voto popular por quatro vezes, presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) por duas vezes, feito inédito também, e em seu segundo mandato à frente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG), o prefeito de Castro, Moacyr Fadel, tem grandes desafios para enfrentar nesse período afetado pela pandemia de Covid-19 e pelas crises econômica e política. A missão mais difícil será reorganizar o setor de Saúde, para que volte à normalidade, oferecendo aos municípios condições de infraestrutura para proporcionar todos os serviços que as cidades necessitam para atender suas populações.

Outra missão, já iniciada, visa fazer com que o governo do Estado crie mecanismos para que os municípios menores tenham melhores condições para atrair empresas, distribuindo a geração de emprego e renda de maneira mais igualitária. O fomento da atividade turística nos Campos Gerais, aproveitando o imenso potencial regional de uma natureza preservada e com belezas cênicas incomparáveis, está também no horizonte da administração de Moacyr Fadel. Para isso, ele conta com a simpatia e engajamento da totalidade dos prefeitos dos municípios que fazem parte da AMCG e, com sua experiência, tem as condições de unir os governantes para concretizar esse planejamento.

GESTÃO DA SAÚDE

Para o presidente da AMCG, o mundo está enfrentando uma das piores (senão a pior) crises sanitárias da História e o Brasil foi afetado de maneira muito intensa pela pandemia de Covid-19. Elaborar políticas públicas para vencer esse período e voltar à normalidade está sendo extremamente difícil, especialmente para quem administra um município. “Com a graça de Deus, a vacina está equilibrando as coisas, mas está sendo muito difícil para todos os prefeitos, por todas as consequências que a pandemia trouxe. Tivemos que tomar atitudes impopulares e muitas vezes com discordância entre os governos federal, estadual e municipal. Toda a carga ficou nas costas dos prefeitos, que assumiram com grande responsabilidade e tomaram as atitudes corretas na época, para que pudéssemos salvar o maior número possível de vidas”, avalia Moacyr.

Mas foi justamente na gestão da Saúde que o prefeito de Castro ganhou o apoio da quase totalidade da população do município, e que o levou a ser reeleito por três vezes. “A conquista do Hospital São Camilo, com atendimento de qualidade em várias especialidades, marcou muito a minha primeira gestão como prefeito. Infelizmente, depois que deixei a prefeitura, isso acabou. Quando retornei, quatro anos depois, voltei com o compromisso de que reabriria o hospital, o que fizemos nos primeiros nove meses, dessa vez numa parceria com a Cruz Vermelha, reabrindo dez leitos de UTIs e fazendo retornar as especialidades que havia antes”, relata.

Para ajudar as cidades da região a superar a crise pandêmica, Moacyr terá que reunir toda essa experiência e contar com apoio, tanto dos governos federal e estadual, como dos prefeitos. “Nosso principal desafio é a Saúde. Voltar o mais rápido possível à normalidade e vacinar o mais rápido possível com a segunda dose, pois vimos que essa é a solução real para a pandemia. Em conjunto com os municípios, vamos nos aproximar cada vez mais do governo do Estado, para garantir mais recursos e melhorar a infraestrutura e a qualidade dos serviços de Saúde para a população”, diz Moacyr.

EMPREGO E RENDA

Fazer com que os municípios menores consigam se industrializar, gerando emprego e renda, apresenta-se como outro desafio importante na perspectiva do presidente da AMCG. Moacyr relata que os prefeitos da região estão conectados em torno desse objetivo. De acordo com ele, os prefeitos estão unidos, pensando no desenvolvimento da região de forma homogênea, buscando gerar renda para as suas cidades com foco na industrialização. “Entregamos ao governo do Estado um projeto de lei elaborado pela AMCG para dar um diferencial  aos municípios com menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) na vinda de novas empresas. A intenção requer um subsídio maior para que o setor industrial não fique concentrado unicamente nas cidades polo”, afirma.

Para Moacyr Fadel, “os municípios menores precisam de mais apoio do governo, visto que os municípios maiores andam praticamente com as próprias pernas, mas as cidades pequenas precisam de mais força do Estado. Temos que focar nas cidades que mais necessitam. Para isso, existe uma instituição como a AMCG, ou seja, unir os prefeitos da região para trabalhar juntos pelos mesmos objetivos  e  para o bem estar da população”. Para cumprir essa meta, Fadel quer estender à região sua gestão exitosa em relação à industrialização.

“No meu primeiro mandato como prefeito de Castro, queríamos criar empregos e gerar mais renda para o nosso povo e não tínhamos sequer um parque industrial. No primeiro ano, nós compramos o parque, e no segundo ano lotamos. No terceiro ano, tive que comprar mais um pedaço de um parque industrial, o que possibilitou a vinda de novas  empresas, e no segundo mandato da primeira fase tivemos a felicidade de trazer algumas empresas internacionais como a Cargil e Evonik. Com elas, outras empresas vieram, gerando mais de dois mil empregos diretos e indiretos”, conta.

BELEZA INIGUALÁVEL

A Natureza foi generosa com os municípios dos Campos Gerais. Em todos há potencial turístico a ser explorado e a possibilidade de roteiros que ampliem as opções para quem visita os arenitos de Vila Velha se apresenta como real e viável.“Nós sempre pregamos a união dos municípios, principalmente os menores, para que possam juntos atrair mais investimentos e desenvolver o turismo, pois os Campos Gerais têm uma beleza inigualável”, aponta Moacyr.

Uma das iniciativas da AMCG para superar esse desafio é o estabelecimento de parcerias para divulgação. “Estamos trabalhando para conseguir apoio de empresas para divulgar, através de um plano bem elaborado de publicidade, as potencialidades turísticas dos municípios. Aguardamos ainda uma resposta para um patrocínio, visando executar esses projetos. Mas também já estamos fortes nas mídias sociais, com a intenção de realizar um trabalho específico para cada município. Aí vai restar a cada cidade fazer a sua parte para criar estruturas, com o objetivo de receber os turistas. Estamos conscientizando os prefeitos nesse sentido”, adianta Moacyr Fadel, presidente da AMCG.

 

União em torno de objetivos comuns

Uma das marcas do prefeito de Castro e presidente da AMCG, Moacyr Fadel, é sua capacidade de agir politicamente para reunir lideranças das mais diversas ideologias em torno de metas e objetivos comuns. Sua experiência na direção da AMP por dois mandatos, quatro mandatos no comando da prefeitura e agora pela segunda vez à frente da AMCG o credenciam para realizar o difícil trabalho de coesão.

“Todo prefeito deve ter um bom relacionamento com o governo do Estado. Isso independe de filiação partidária. Não podemos pensar em partidos, temos que pensar nas cidades e no povo. Em época de eleição, a conversa é outra, pois aí cada um faz aquilo que acha o certo”, pontua. “Minha interação com os prefeitos é muito boa. Tenho carinho especial por cada um deles, e assim procuramos fazer tudo em conjunto. Estamos descentralizando as reuniões da AMCG, antes feitas quase todas em Ponta Grossa, e isso valoriza as cidades.”