Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

“Plantei aquela muda ali com carinho”, conta homem que pode ter plantado a ‘árvore contorcionista’ de PG

2020-08-19 às 19:30

Na noite da última terça-feira (18), a queda da árvore histórica de Ponta Grossa, situada no cruzamento entre as ruas Comendador Miró e Coronel Francisco Ribas, movimentou as redes sociais.

O advogado Joaquim Antonio Almeida Carmo, de 69 anos, trabalhou na empresa NutriPrincesa, que ficava no prédio onde hoje funciona a empresa de informática Inicciativa. Ele conta que, em meados de setembro de 1969, ele pode ter plantado a ‘árvore contorcionista’. “Eu morava na Vila 31 de Março e descia no ponto de ônibus que ficava na praça Barão do Rio Branco, e um dia algumas pessoas estavam distribuindo mudas de árvores na praça. Eu peguei uma muda daquela ‘árvore de bolinha’ como chamam. No outro dia, eu levei algumas ferramentas de casa, inclusive terra e plantei aquela muda ali com carinho”, relembra.

Joaquim conta que teve a ideia de plantar a árvore ali porque viu no projeto da loja em que trabalhava, que na época ainda estava em fase de término de obra, uma planta desenhada naquele mesmo local. No entanto, ele não sabe afirmar se a ‘árvore contorcionista’ é a mesma que ele plantou. “No final daquele ano [1969] eu completei 18 anos, fui convocado para o Exército e fui mandado para o Rio de Janeiro. Alguns anos depois, quando voltei para Ponta Grossa, não me preocupei em ir verificar se a árvore estava lá. Então será que essa árvore que caiu ontem fui eu que plantei? Eu não sei, mas pode ter sido!”, explica.

A repercussão da queda da árvore deixou o advogado chateado. “Não foi a primeira vez que um caminhão enroscou naquela árvore. Eu não culpo aquele motorista. O que me deixa chateado é que nunca sinalizaram o local e não cuidaram enquanto a árvore estava lá. Se a árvore era tão importante, porque não sinalizaram antes?”, finaliza.