Coluna Draft: ‘As 5 Palavras mais Estranhas da Língua Portuguesa!’, por Edgar Talevi | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2024

Coluna Draft: ‘As 5 Palavras mais Estranhas da Língua Portuguesa!’, por Edgar Talevi

2023-06-27 às 17:40

É bem verdade que vivemos em um mundo, de certo modo, desconhecido, ou melhor, a ser conhecido. Neste contexto, a Língua Portuguesa se apresenta como mais uma incógnita no universo em que vivemos.

Muitas Palavras soam divertidamente e outras curiosamente. Vamos descobrir juntos algumas preciosidades de nosso poderoso e rico idioma?

Lá vai: “Perebento”. Aqui muita gente já identificou o uso em dado momento da adolescência! Rica homenagem às mais tenras idades de nossas vidas!

A palavra supracitada, na verdade, quer dizer/significa: “Feridento; Ferido; Machucado”. Parece, em primeira instância, um xingamento (quem nunca usou a expressão aqui estudada?!), mas trata-se de uma condição de machucadura de uma pessoa.

Vamos mais: “Escangalhado”. Esta é lendária e diversas vezes usada. O significado imediato é: “Estragado; Danificado; Destruído; Partido”. Novamente deparamos não com um xingamento, mas com uma situação infeliz, vivenciada por alguém.

E não para por aqui: “Batráquio”. Esta palavra, em verdade, soa com estranheza a nós, mas é mais simples do que sua ortografia nos revela, senão vejamos: “Anfíbio”. É isso mesmo que vocês leram: Anfíbio!!! Gostaram? Então sigamos:

“Espiroqueta”. “Bactéria”. Evidentemente que estamos absortos, mas o significado revela que não há nada de espantoso no verbete, apenas sua sonoridade e escrita.

Bora para a última? “Bufarinha”. Aqui temos outra palavra de bem pouco uso, mas de simples significado. Vamos a ele: “Bugiganga; Cacareco; Insignificância”. Viram como não há nada de horroroso?

Muito bem, meus queridos leitores! Chegamos ao fim desta primeira jornada de muitas que virão.

Encerro esta crônica com os versos do espetacular Haicaísta da Língua Portuguesa, Mestre Róbison Benedito Chagas:

luz no céu

estampados na lua cheia

o santo e o monstro

Coluna Draft

por Edgar Talevi

Edgar Talevi de Oliveira é licenciado em Letras pela UEPG. Pós-graduado em Linguística, Neuropedagogia e Educação Especial. Bacharel e Mestre em Teologia. Atualmente Professor do Quadro Próprio do Magistério da Rede Pública do Paraná, na disciplina de Língua Portuguesa. Começou carreira como docente em Produção de texto e Gramática, em 2005, em diversos cursos pré-vestibulares da região, bem como possui experiência em docência no Ensino Superior em instituições privadas de Ensino de Ponta Grossa. É revisor de textos e autor do livro “Domine a Língua – o novo acordo ortográfico de um jeito simples”, em parceria com o professor Pablo Alex Laroca Gomes. Também autor do livro "Sintaxe à Vontade: crônicas sobre a Língua Portuguesa". Membro da Academia Ponta-grossense de Letras e Artes. Ao longo de sua carreira no magistério, coordenou inúmeros projetos pedagógicos, tais como Júri Simulado, Semana Literária dentre outros. Como articulista, teve seus textos publicados em jornais impressos e eletrônicos, sempre com posicionamentos relevantes e de caráter democrático, prezando pela ética, pluralidade de ideias e valores republicanos.