Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

Coluna Draft: ‘Sessão, Seção ou Cessão?’, por Edgar Talevi

2022-08-26 às 11:00

Duvido de que alguém duvide de que ninguém tenha dúvidas sobre Língua Portuguesa! E, para selar esta nossa prosa, aqui vão algumas das mais notáveis indagações bem “aportuguesadas!”

Sessão, Seção ou Cessão? Qual o uso adequado para cada uma das formas? Bem, vamos lá!

Sessão supõe uma reunião de pessoas (cinema, assembleia). Por exemplo. “Os ingressos para a sessão do cinema estavam esgotados”.

Seção indica uma divisão, um departamento, uma repartição (seção de compras, seção de vendas). Exemplo. “A seção de ortopedia estava lotada de pacientes”.

Cessão é o ato de ceder alguma coisa, ou seja, doar, entregar. Exemplo. Cessão de bens, cessão de roupas dentre outros.

A delícia em nosso idioma é que as dúvidas não param por aí. Elas se multiplicam. Estamos, portanto, “A ponto de” ou “Ao ponto de” desanimar? Opa! Esperemos um pouco! Ninguém aqui poderá ficar desanimado, pois nesta coluna todos aprendemos semanalmente, não é mesmo? Sendo assim, reflitamos: Usamos ‘A ponto de’ quando quisermos expressar o sentido de “prestes a”, “na iminência de” ou “de tal modo que”. Exemplos. “A ponto de chorar; a ponto de cair; a ponto de acontecer”.

Exemplos.

“Estamos a ponto de rir”

“Sérgio está a ponto de chorar”

“O homem estava a ponto de perder a paciência”

Por sua vez, a expressão “Ao ponto de”, ou simplesmente “Ao ponto” é usada quando o termo “ponto” for um substantivo, assim como mostram os exemplos a seguir:

“O professor, em sua explicação, voltou ao ponto de partida”

“Quero meu churrasco ao ponto”

“A carne já chegou ao ponto desejado?”

Sim, nós podemos, e esta não é uma frase retórica, de efeito ou uma cópia de campanha política. Nós podemos conhecer mais nosso idioma. Para isso, basta que aceitemos nossas fragilidades e construamos, dia a dia, novos conhecimentos a partir da leitura. “A partir” com ou sem crase? A resposta é “SEM”. Mas essa será uma outra crônica. Tá ok?

Coluna Draft

por Edgar Talevi

Edgar Talevi de Oliveira é licenciado em Letras pela UEPG. Pós-graduado em Linguística, Neuropedagogia e Educação Especial. Bacharel e Mestre em Teologia. Atualmente Professor do Quadro Próprio do Magistério da Rede Pública do Paraná, na disciplina de Língua Portuguesa. Começou carreira como docente em Produção de texto e Gramática, em 2005, em diversos cursos pré-vestibulares da região, bem como possui experiência em docência no Ensino Superior em instituições privadas de Ensino de Ponta Grossa. É revisor de textos e autor do livro “Domine a Língua – o novo acordo ortográfico de um jeito simples”, em parceria com o professor Pablo Alex Laroca Gomes. Também autor do livro "Sintaxe à Vontade: crônicas sobre a Língua Portuguesa". Membro da Academia Ponta-grossense de Letras e Artes. Ao longo de sua carreira no magistério, coordenou inúmeros projetos pedagógicos, tais como Júri Simulado, Semana Literária dentre outros. Como articulista, teve seus textos publicados em jornais impressos e eletrônicos, sempre com posicionamentos relevantes e de caráter democrático, prezando pela ética, pluralidade de ideias e valores republicanos.