Domingo, 18 de Abril de 2021
foto: Clebert Gustavo

Morte de Ivo Rodrigues, da banda paranaense Blindagem, completa onze anos nesta quinta (8); confira especial

08/04/2021 às 16:47

Vocalista da banda Blindagem, cantor Ivo Rodrigues marcou época nos palcos de Ponta Grossa e levou o rock do Paraná a todo o Brasil

Ícone do rock paranaense, Ivo Rodrigues Júnior, a voz da banda Blindagem, era, na verdade, gaúcho. Ele nasceu em Porto Alegre (RS), no dia 28 de fevereiro de 1949. Mas, com apenas três anos de idade, migrou para Curitiba, onde faria história como cantor de rock. Para lembrar os onze anos da morte do cantor, completados nesta quinta-feira (04), o D’Ponta News resgatou uma matéria mega especial nos nossos arquivos para relembrarmos a trajetória, além de dois relatos especiais de cidadãos ponta-grossenses que o conheceram.

O princípio

Ainda muito cedo, Ivo já participava de programas de calouros em canais de TV do Paraná, enquanto conciliava os estudos no Instituto Adventista Paranaense. No ano de 1966, ele participou, na TV Paranaense, de um programa apresentado por Júlio Rosemberg, que lhe daria o título de melhor cantor do sul do Brasil, o chamado ‘Troféu Barra Limpa’. Foi ali que Ivo conheceu o guitarrista Paulo Teixeira, que participou do programa com a banda Os Jetsons e que mais tarde seria o braço direito do cantor na Blindagem.

Com o sucesso na TV, Ivo ganhou um programa de duas horas, o ‘Juventude Alegria’, transmitido nas tardes de sábado na TV Paranaense.

No ano de 1969, durante um show na Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ivo e o grupo A Chave se conheceram. Juntos, eles saíram em excursões com nomes consagrados do rock nacional, como Rita Lee, Made in Brazil e Joelho de Porco. Mas, apesar de promissora, a formação teve vida curta. No entanto, em razão de seu grande sucesso nos palcos do país, o cantor foi convidado a ser vocalista da banda Blindagem, em 1979.

O meio

Na década de 1970, o rock era o estilo musical em voga e o que melhor representava os anseios dos jovens da época. A Blindagem já existia desde 1977, e até então se apresentava apenas em pequenos eventos. A formação, àquela altura, era composta por Paulo Juk (baixo), Amauri Stochero (guitarra e vocal), Alberto Rodriguez (guitarra) e Mário Júnior (bateria).

A entrada de Ivo aconteceu no show ‘Adeus 70’, ocorrido no Círculo Militar do Paraná, em Curitiba, no ano de 1979. Junto com Ivo, entra para a banda o guitarrista Paulo Teixeira, em substituição a Stochero.

O primeiro álbum do grupo, autointitulado, foi lançado em 1981, após um contrato com a gravadora Continental ser assinado. O primeiro sucesso da banda foi a canção “Marinheiro”, composta por Ivo Rodrigues em parceria com o poeta Paulo Leminski.

Em 1984, o baterista Mário Júnior deixa o Blindagem. No lugar dele, assume o argentino Ruben ‘Pato’ Romero. Com a entrada de Romero, a clássica formação do Blindagem se consolida, ficando Ivo Rodrigues (vocal), Alberto Rodriguez (guitarrista), Paulo Teixeira (guitarrista), Paulo Juk (baixista) e Ruben “Pato” Romero (baterista).

Confira a faixa “Marinheiro”:
E o fim

Essa é a formação que se manteve até 8 de abril de 2010, quando Ivo morreu, aos 61 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória decorrente de complicações de um câncer. Após a sua morte, o cantor foi substituído por Rodriggo Vivazs, músico com mais de 30 anos de carreira e por muito tempo vocalista da banda curitibana de heavy metal Gypsy Dream.

Discografia do Blindagem Discografia:
Ano Álbum
1981 Blindagem
1987 Cara & Coroa
1997 Dias Incertos
2003 Greatest Hits

Confira abaixo dois depoimentos de cidadãos ponta-grossenses que conheceram Ivo Rodrigues

O dia em que fui roadie da Banda Blindagem Por Jair Marques Júnior

A minha relação com a banda Blindagem começou muito cedo, ainda na infância. Com uma fita k-7 do álbum ‘Blindagem’, que havia sido lançado anos antes, em 1981, emprestada pelo meu cunhado, eu passava horas ouvindo aquela que, para mim, é a obra mais expressiva da banda. Os vocais do Ivo sempre me impressionaram, e a parceria com o poeta Leminski enriquecia o texto, repleto de referências ao Paraná (pinhão, cheiro do mato, Sete Quedas). Finalmente dava prazer ouvir uma banda paranaense, pois sempre vivemos a reboque da música produzida no eixo Rio-São Paulo.

O tempo foi passando, outras bandas surgiram, mas a Blindagem sempre ocupou um espaço importante na minha memória. Aproveitava cada oportunidade para ver a banda ao vivo. Somente em Ponta Grossa, foram vários shows, dos menores, realizados no Empório Avenida, até os maiores, realizados no Aeroanta / Arena.

Uma dessas apresentações, na casa de shows Arena, me marcou de modo especial. Seria um show em que, além dos clássicos da banda, eles apresentariam covers dos Rolling Stones. E que apresentação! Casa lotada, um astral bacana e, claro, muita cerveja… Ao ponto de este que vos escreve contar uma pequena “história” (leia-se mentira) para o segurança que cuidava da porta que dava acesso ao palco. Lá pelo meio da apresentação, resolvi olhar para aquele “brutamontes” de dois metros de altura e dizer que eu era roadie da banda. Sim, eu disse que eu era o cara que carrega e monta os equipamentos do grupo. Àquela altura, o álcool já estava um grau acima, e, mesmo assim, o segurança acreditou.

Logo estava eu subindo os degraus da escada que dava acesso ao palco. Lá do fundo, acenei para alguns amigos que estavam na plateia, até que então, para a minha surpresa, Ivo deixou os vocais por um instante para beber no gargalo alguns goles de Jack Daniels no fundo do palco. Não perdi a oportunidade e fui até lá cumprimentá-lo. Com a cortesia e o carisma de sempre (já havia trocado algumas palavras com ele em outras oportunidades), ele me estendeu a mão com a garrafa e ali, por alguns instantes, dividimos um whisky no bico enquanto a banda tocava um puta som dos Stones. Claro que, logo em seguida, eu fui convidado a me retirar do palco e, talvez, da casa. Mas o meu dia estava ganho, e hoje tenho essa história para contar.

Depois disso, continuei acompanhando a banda, coisa que faço até hoje. E a imagem que tenho do Ivo é a do rocker gente boa e com um vocal surpreendente que, mesmo nos momentos mais delicados da saúde, continuava a vomitar rock’n’roll com muita competência aos quatro cantos desse Paraná.

Vida Longa à Blindagem. Vida Longa ao Rock’n’Roll. Um viva a Ivo Rodrigues. Ivo, bem-humorado e amigo Por Lourenço Andreatta

Eu trabalhei como empresário e produtor de eventos durante 20 anos. Realizei vários shows em toda a região sul do Brasil, e, em Ponta Grossa, fiz grandes eventos, como a München Fest, de 1999 e 2000, para a qual trouxemos bons artistas, como O Rappa, Raimundos, Jota Quest, Capital Inicial… Nessas duas décadas, fiz mais de 150 shows nacionais (Charlie Brown Jr., Detonautas, Biquini Cavadão, Ira!, Blitz, etc.)

Montei uma produtora de shows e representei vários artistas da nossa região. Entre eles, estava a banda Blindagem, que deve ter feito mais de 20 shows em Ponta Grossa (Aeroanta, Arena, Emporio e clubes locais). Fiz uma grande amizade com todos da banda — Ivo, Paulo Juk, Alberto, Paulinho e Pato Romero.

O Ivo eu considero um dos maiores vocalistas do rock nacional. Ele era dono de uma voz imponente. Sabia reunir a potência e a sensibilidade em uma maneira de cantar sem igual.

Certa vez, em uma de suas apresentações em Ponta Grossa, por volta de 2001, a banda já tinha feito uma entrada e estava no final da segunda, com um repertório autoral e clássicos do rock (Rolling Stones, Beatles, Deep Purple, etc). Já tinha se passado duas horas de show e o público estava ali, incansável, cantando todas as musicas com o Blindagem. De repente, o Ivo me chamou em frente ao palco e falou em meu ouvido:

– Quero fazer algo diferente hoje. Eu gostaria de cantar todos os comerciais que fiz para campanhas publicitárias. O que você acha? Eu falei, dando risada, “Ivo, você é quem manda, meu amigo”.

Ivo Rodrigues emprestou a sua voz para várias campanhas publicitárias de marcas famosas na época, e, inusitadamente, começou a cantar os jingles, acompanhado pelo Blindagem. Foi muito divertido ver aqueles jingles, que tocaram inúmeras vezes nos comercias das rádios, serem tocados ao vivo em um show. Demos muitas risadas, e o público se divertiu com a ideia, que depois virou uma constante nos shows da banda em Ponta Grossa.

Sou fã de carteirinha do Blindagem, e o Ivo Rodrigues, sem dúvida, foi uma das pessoas de maior coração que eu já conheci. Era um cara extraordinário, simples, humilde, e de um talento imensurável. A sua voz estará sempre em nossos ouvidos por meio de sua música.

Deixo aqui o meu agradecimento a todos os meus amigos da banda Blindagem por terem estado comigo em várias oportunidades. Ivo, onde você estiver, meu amigo, saiba que a sua voz continua ecoando em nossos corações.

Veja a última entrevista de Ivo Rodrigues

Ouça abaixo um dos álbuns de maior sucesso da banda Blindagem

Por: Matheus Fanchin/Com informações de: Gazeta do Povo/Imagem: Marcelo Elias – Arquivo Gazeta do Povo/Vídeos: Youtube: Canal Rock 80 Love, Canal Memória Paraná e Canal Rafael Arthur Soares