Professores Daniel Frances e Nelson Silva Jr. destacam relevância do Teatro para história de PG | D'Ponta News - Notícias do Paraná - Jornalismo sério para leitores exigentes!
Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Professores Daniel Frances e Nelson Silva Jr. destacam relevância do Teatro para história de PG

2023-11-17 às 14:13
Foto: D’Ponta News

O professor e diretor do Grupo de Teatro Universitário da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Daniel Frances, juntamente com o Diretor de Assuntos Culturais da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais (Proex) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Nelson Silva Júnior foram entrevistados hoje no programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,3 para Ponta Grossa e região e 92,9 para Telêmaco Borba), nesta sexta-feira (17) e falaram sobre o Grupo de Teatro Universitário (GTU) e o Fenata.

Leia os principais pontos da entrevista:

Grupo de Teatro Universitário (GTU)
Daniel conta que o grupo ficou por trinta anos inativo, e ele então recebeu a missão de resgatar. “Foi um trabalho árduo. É difícil fazer renascer coisas que estão extintas dentro da instituição”, declara.

A ideia surgiu e foi anunciada no Fenata de 2022. Em março deste ano foram abertas as inscrições e receberam 70 inscritos. Atualmente conta com quase 50 participantes, conta Frances.

O professor explica que o grupo não é apenas para estudantes da universidade, mas é aberto para toda a comunidade. Atualmente, conta dom participantes de 16 anos até 65 anos de idade, experientes no teatro e também iniciantes.

Ele ainda diz que teatro não é só subir no palco, mas sim tudo o que envolve a arte: cenografia, iluminação, sonoplastia, direção. “Tem muita gente por trás do espetáculo que possa colaborar (…) todo mundo é bem-vindo”, assinala Frances.

Fenata
Nelson Silva, diretor da Prox, conta que o Festival Nacional de Teatro (Fenata), nasceu junto com a UEPG. A Universidade surgiu através da fusão de várias faculdades em 1969, mas foi em 1973 que ela foi consolidada como instituição de ensino superior.

Neste mesmo ano, o reitor da época, Álvaro Augusto da Cunha Rocha, ao final de uma mostra do festival, noticiou que a instituição havia sido reconhecida como Universidade pelo Conselho Federal de Educação, e declarou: “a Universidade Estadual de Ponta Grossa nasce sob o signo do Teatro”.

O festival, segundo afirma o diretor da Proex, é um “evento que começa e não para mais”. Além de ser um festival nacional, esse ano começou um processo de internacionalização.

“Se pararmos para pensar, Ponta Grossa tem 200 anos; o Fenata está aqui há 50. Um quarto deste tempo a gente convive com um festival importante deste”, assinala Nelson, dizendo que o festival tem um impacto na formação cultural do ponta-grossense.

Confira a entrevista na íntegra: