Sábado, 20 de Julho de 2024

Saiba por que chocolate é tóxico para os animais

2023-04-09 às 09:44

Quem nunca se deparou com um olhar pidão de um pet durante uma refeição? Muitas vezes, pensando em agradar cães e gatos, os tutores acabam oferecendo alimentos de humanos para os animais, o que é muito comum principalmente durante celebrações como a Páscoa. Nessas datas, costumamos reunir a família e, claro, os pets não ficam de fora. Mas a prática de oferecer os nossos alimentos para os bichinhos pode ser extremamente prejudicial para eles. O cacau do chocolate, por exemplo, muito consumido nessa data, contém uma substância que é tóxica para cães e gatos, conhecida como teobromina, e pode causar intoxicações de variados graus, desde mais leves até casos mais severos, inclusive podendo evoluir para o óbito do animal.

Além do chocolate, outros alimentos e ingredientes presentes no tradicional almoço de Páscoa também podem fazer mal à saúde dos nossos amigos peludos. De acordo com a médica veterinária especialista em nutrição Mayara Andrade, de GranPlus, marca de pet food Premium Especial da BRF Pet, nem tudo o que comemos, principalmente nessas ocasiões, são recomendados ou permitidos para os pets.

Quais os perigos do chocolate para os animais?

No caso do chocolate, o assunto é ainda mais complexo, já que um de seus componentes, o cacau apresenta uma substância altamente tóxica para pets, principalmente para cães: a Teobromina. Essa substância é um alcaloide da família das metilxantinas, mesma família da cafeína e, da mesma forma, fornece energia, ou seja, ajuda a tirar o sono, além de aumentar a capacidade de concentração. É uma substância normalmente encontrada no fruto do Theobroma cacao, que dá origem ao cacau encontrado no chocolate e também na semente do guaraná.

“Diferente dos humanos, cães e gatos não são capazes de digerir ou metabolizar a teobromina, o que pode levar a intoxicações de variados graus, causando desde sintomas gastrointestinais leves, como episódios de vômitos e diarreia, até casos mais severos com sintomas neurológicos, podendo evoluir para o óbito, dependendo da quantidade ingerida”, explica Mayara.

Entre os sintomas mais comuns, além dos gastrointestinais, estão as contrações musculares; alterações neurológicas, como excitação, respiração acelerada, taquicardia; e temperatura corporal elevada. Além disso, alterações de comportamento, como inquietação ou hiperatividade, e alterações na coordenação motora também podem ser vistos.

“O chocolate é um doce comum nessa época do ano e por isso orientar a todos, principalmente idosos e crianças, é um ponto muito importante na prevenção de acidentes, diminuindo as chances do oferecimento seja por descuido ou desconhecimento dos riscos”, orienta.

Leia a matéria completa do RicMais