Segunda-feira, 19 de Abril de 2021
foto: Clebert Gustavo

Grupo CCR ganha concessão dos aeroportos do Paraná

07/04/2021 às 11:54
Aeroporto Internacional Afonso Pena – Curitiba – PR Foto: Geraldo Bubniak/AEN

A CPC (Companhia de Participações em Concessões), que pertence ao grupo CCR, levou os aeroportos do Bloco Sul no leilão realizado nesta quarta-feira (7), na B3, em São Paulo. O valor ofertado pela companhia foi de R$ 2,128 bilhões, ágio de 1.534,36%. No Paraná, pelos próximos 30 anos, a CCP administrará os aeroportos de Londrina, Foz do Iguaçu (Oeste) e dois na Região Metropolitana de Curitiba, Afonso Pena e Bacacheri.

O Bloco Sul inclui ainda os aeroportos de Navegantes (SC), Joinville (SC), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O contrato prevê investimentos de R$ 2,85 bilhões. A oferta do CCR equivale a um ágio de 1.534,36% e ao dobro da segunda proposta, feita pela espanhola Aena, que ofereceu R$ 1,05 bilhão. O bloco teve ainda um terceiro interessado, Infraestrutura Brasil Holding, que ofereceu R$ 300 milhões.

A Companhia de Participações em Concessões levou também o bloco Central, com proposta de R$ 754 milhões, ágio de 9.156%. Nesse bloco, estão os aeroportos de Goiânia, São Luiz, Teresina. Palmas e Petrolina.

O leilão é a sexta rodada de concessões aeroportuárias realizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Na quinta (7) e na sexta (8), o governo (sem partido) leiloará ainda a Fiol (Ferrovia de Integração Oeste Leste) e cinco terminais portuários.

GOVERNADOR RATINHO JUNIOR ACOMPANHOU O LEILÃO

Quatro aeroportos paranaenses, incluindo os Aeroportos Internacionais Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e das Cataratas, em Foz do Iguaçu, foram a leilão nesta quarta-feira (7) na Bolsa de Valores (B3). O Bloco Sul, do qual os terminais paranaenses fazem parte, foi arrematado pelo valor de R$ 2,128 bilhões, um ágio de 1.534% da proposta inicial. O lance foi dado pela Companhia de Participações em Concessões, do grupo CCR.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário estadual da Infraestrutura, Sandro Alex, acompanharam o leilão na sede da B3, em São Paulo. Além dos dois terminais internacionais, também serão concedidos pelos próximos 30 anos os aeroportos Governador José Richa, em Londrina, e Bacacheri, em Curitiba. A expectativa é que eles recebam investimentos na ordem de R$ 1,4 bilhão pelos próximos 30 anos, com obras de ampliação, manutenção e a exploração da infraestrutura dos terminais.

A sexta rodada de concessões aeroportuárias foi promovida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e contou com a negociação de 22 aeroportos em 12 estados brasileiros: Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Tocantins. No total, o governo federal arrecadou R$ 3,3 bilhões com o leilão.

O Paraná foi o estado com o maior número de aeroportos leiloados. No Bloco Sul, do qual o Estado faz parte, também foram ofertados os aeroportos de Navegantes e Joinville, em Santa Catarina, e de Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul. O leilão contou ainda com outros dois blocos: Central, com seis aeroportos nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, além do Tocantins; e Norte, com a participação de sete terminais de quatro estados do Norte do País.

da Folha de Londrina e Aen