Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020

Aulas devem retornar em setembro com protocolo de prevenção à COVID-19

31/07/2020 às 17:24

A Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed-PR) já tem o modelo de como ficarão as salas de aulas nas escolas. Entre as medidas estão o distanciamento de 1,5 metros, dispenser de álcool em gel, espaços de higienizações de mãos, termômetros, equipes de limpeza, que serão usadas nas 2.143 escolas estaduais no Paraná. 

A estimativa inicial de retorno é em setembro. No entanto, a data pode ser mudada caso os infectologistas da Secretaria da Saúde considerem que haja algum risco, em função do cenário da pandemia do novo corononavírus. 

“Após amplo debate com todas as entidades que integram a Educação do Paraná, foi criado um modelo que garante a melhor segurança sanitária para nossos alunos, adotando os melhores modelos do Brasil e do mundo”, disse o diretor-geral da Seed, Gláucio Dias. Dias reforça que o retorno das aulas só acontecerá quando houver um ambiente seguro, estabelecido pela Secretaria de Saúde.

ESCOLAS PARTICULARES

O D’Ponta News conversou com Esther Cristina Pereira, presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (SINEPE-PR). Segundo ela, “o SINEPE ainda não recebeu o protocolo em mãos, o documento final, e que isso deve acontecer na segunda. E assim que isso ocorrer, as escolas poderão ter acesso ao documento para se organizarem diante dessa previsão do retorno em setembro”.

ESCOLAS MUNICIPAIS EM PONTA GROSSA

O decreto municipal de nº 17.567, publicado no diário oficial desta sexta-feira (31), suspense as atividades escolares e extraclasse do ensino municipal enquanto o Estado de Emergência em Saúde. De acordo com o decreto, “entende-se como atividades extraclasse presenciais os encontros, as aulas de reforço escolar, a contação de histórias e outras atividades de interação direta entre professor e aluno”.

MEDIDAS DO GOVERNO DO PARANÁ PARA RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS

Medidas –  O protocolo prevê um distanciamento de 1,5m em todos os espaços, incluindo na sala de aula. Será feita também a aferição de temperatura de todos que entrarem a escola, tendo como limite 37º.

Já os horários de entrada e saída, e intervalo/recreio devem ser redefinidos e intercalados, de modo a evitar a aglomeração de pessoas e a circulação simultânea de grande número de alunos, nas áreas comuns e nos arredores do estabelecimento.

Modelo híbrido e escalonado – O ensino híbrido será adotado. As aulas remotas permanecem diariamente e as aulas presenciais ocorrerão de forma escalonada. Para isso, os estudantes serão divididos em grupos, que farão revezamento permanecendo por uma semana em aulas presenciais e por uma semana em aulas remotas (on-line).

A retomada de conteúdos também é uma das preocupações do protocolo, com atividades, recuperação e atendimento de estudantes com maior dificuldade.

Consulta aos pais – O protocolo prevê uma consulta aos pais. A Seed fará com os pais de estudantes da sua rede estadual e orientou as demais redes a fazerem o mesmo. A consulta tem objetivo de entender em qual modelo os pais se sentem mais seguros em manter seus filhos, se presencial ou apenas remoto. A resposta vai permitir que a Secretaria e demais redes se organizem para cumprir o protocolo com estrutura e pessoal adequado. 

Volta gradual – Quando a data for definida pela Sesa o protocolo prevê um retorno gradual, por faixa etária, na seguinte ordem:

– Estudantes do 3º ano do Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental

– Estudantes do Ensino Médio

– Estudantes do Ensino Fundamental I e II

– Estudantes da Educação Infantil

O Protocolo – Entre as principais medidas sanitárias previstas pelo protocolo estão a compra de insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos. Só para a rede estadual serão adquiridos:

– 5 milhões de máscaras de tecido

– 200 mil litros álcool em gel por mês

– 200 mil litros de álcool 70% por mês

– 95 mil luvas

– 10 mil termômetros

– 15 mil toucas

– 105 mil dispensers

– 15 mil macacões

– 15 mil botas

Participaram das 33 horas de discussão do Comitê de Volta às Aulas a Casa Civil do Governo do Paraná, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte-SEED,  a Secretaria de Estado da Saúde – Sesa, a Secretaria de Estado do Planejamento e Projetos Estruturantes – Seplan, a Secretaria de Estado da Fazenda, a Comissão de Educação Assembleia Legislativa do Paraná- ALEP, o Ministério Público do Estado do Paraná – MPPR, o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional – FUNDEPAR, o Conselho Estadual de Educação – CEE, a UNICESUMAR, a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior-SETI, a APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná- SINEPE, a Associação dos Municípios do Paraná-AMP, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Paraná- UNDIME, a UNCME-União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação e a Federação das Associações de Pais, Mestres e Funcionários das Escolas Públicas do Estado do Paraná- FEPAMEF-Pr.