Segunda-feira, 27 de Maio de 2024

Congresso de Educação destaca a importância da equidade no processo de ensino-aprendizagem

2022-09-09 às 11:58

O 9º Congresso de Educação de Ponta Grossa, que se estende até o dia 15 de setembro, discute a importância da equidade no processo de ensino-aprendizagem, com o tema “Educação com equidade: compromisso com o direito de aprender”. A secretária municipal de Educação, Simone Neves, comemora o fato de o evento retomar o modelo presencial, depois de dois anos, ainda que não tenha deixado de ser realizado, remotamente, no ano passado.

Simone, em entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero e levado ao ar pela Lagoa Dourada FM (105.9 para Ponta Grossa e 90.9 para Telêmaco Borba), nesta sexta (9), frisa que é um grande evento para o município de Ponta Grossa, em sua semana de aniversário, e o Congresso, em que se traçam metas e se discutem metodologias, já se firmou como tradição no calendário.

“Educação com equidade é trazer a dignidade da pessoa, é respeitar as diferenças e atender a cada um como único”, ressalta Simone. A diferença entre igualdade e equidade é que a primeira considera todos a partir do mesmo ponto de vista, devendo ser regidos pelas mesmas regras e ter os mesmos direitos e deveres. A equidade, no entanto, reconhece que não somos todos iguais e busca ajustar esse desequilíbrio.

“Sabemos, principalmente, durante a pandemia, que houve um agravamento das condições que cada criança teve para o seu desenvolvimento, para o seu processo de aprendizagem”, pondera a secretária. Simone reconhece que, apesar do esforço hercúleo dos professores para garantir o acesso ao ensino e aprendizagem das crianças, as condições de recepção foram diferentes entre elas e, dessa forma, o retorno exige um atendimento mais individual para garantir que todas aprendam e para que as turmas voltem a evoluir de forma nivelada e simultânea.

Segundo a secretária, a pandemia e o retorno à sala de aula depois dela exigiram processos de adaptação, tanto da parte dos professores, quanto dos alunos. Foi necessário, ressalta Simone, se atentar aos fatores socioemocionais e promover o acolhimento das crianças, porque a pandemia impactou muito seu processo de desenvolvimento e de aprendizagem. “Tomamos muito esse cuidado, quando retornamos, fizemos todo um processo de acolhimento aos profissionais, garantindo segurança nesse retorno ao trabalho, formação continuada, assistência psicológica e atendendo às questões socioemocionais”, aponta.

Para a comunidade

Diferente do que possa parecer, o Congresso de Educação não se restringe aos profissionais da área e tem atividades abertas para toda a comunidade. Conforme Simone, o Congresso tem duas dinâmicas: uma mais acadêmica e uma mais comunitária.

A parte voltada aos profissionais de educação é aberta não só aos professores da rede municipal, mas também aos da rede privada, da rede estadual, das universidades e aos estagiários. “Todos os professores podem aproveitar as conferências e oficinas e, para isso, estamos agregando todas as áreas de conhecimento: Alfabetização, Língua Portuguesa, Matemática e Formação Humana”, aponta.

Ao longo do Congresso, serão 32 oficinas e grandes conferências diárias, com capacidade de público de 700 pessoas. O professor César Nunes ministrou a palestra de abertura e, a partir desta sexta (9), as conferências serão realizadas no auditório da Faculdade Sant’Ana, toda noite, às 18h30.

Espaço da Inovação e Aprendizagem Criativa

Para a família e a comunidade em geral, as atividades se concentram no Parque Ambiental, onde, além da mostra de pôsteres, com os cartazes e trabalhos dos professores, se destaca uma novidade: o espaço da inovação e aprendizagem criativa. Esse novo pavilhão do Congresso, com capacidade de 600 lugares, recebe os alunos das escolas da rede municipal para apresentações culturais e para que eles mesmos demonstrem o resultado da aprendizagem.

“Estou acompanhando todas essas atividades, estou muito presente. Foi magnífico. Na abertura, estive presente com a prefeita, que também tem valorizado muito a educação e nos dado grande apoio em todas essas atividades. Ela é professora, então nos apoia muito e está sempre presente”, ressalta Simone, que convida todos os pais e a comunidade em geral a prestigiar as apresentações de canto, dança, coral, entre outras, dos alunos.

Em paralelo ao Congresso, também no Parque Ambiental, ocorre a Feira do Livro, onde há tendas de contação de histórias. “No feriado, tivemos um movimento muito grande, à tarde, de famílias, de crianças, de pais, de avós. Um movimento muito bonito da educação do município”, salienta.

Envolvimento da família na educação

A secretária de Educação reforça a importância do envolvimento da família e de toda a comunidade escolar no processo de ensino-aprendizagem, de forma que o slogan da gestão é “Juntos na construção da escola pública que ensina e humaniza”. Simone explica que o “juntos” do slogan envolve a família, a escola, os professores, os alunos, a sociedade em geral.

“A família é muito importante para a aprendizagem, neste momento de recomposição de aprendizados, porque, nesses dois anos, sabemos que trouxeram muitas defasagens e agora é o momento de nos unirmos, cada vez mais”, frisa.

Simone considera que o Congresso é o momento ideal para que a população em geral possa conferir as realizações da escola pública para o ensino de qualidade.

A carga de responsabilidade dos professores da educação infantil e das séries iniciais é bastante grande e, por isso, a Secretaria Municipal de Educação investe em formação continuada para os docentes, que não se limita ao período de realização do Congresso. “Temos um núcleo de formação de professores que trabalha diariamente. Temos cronogramas de atividades, de oficinas de formação para nossos professores e no Congresso trazemos nomes de fora para estarem discutindo e trazendo as tendências para refletirmos e trazermos novas metodologias”, observa.

Projeto Inspire

O Projeto Inspire está presente, também, no Congresso, com a Tenda da Saúde e do Bem-Estar. “O Projeto Inspire é uma parceria que já surgiu com a UEPG, são eles que coordenam o projeto, logo que retornamos da pandemia, com essa necessidade de trabalhar a saúde mental e as questões socioemocionais dos funcionários, professores, alunos e agora eles vieram compor, também, no Congresso”, pontua Simone.

Na tenda, profissionais da saúde integrativa proporcionam atendimento gratuito para a população, nas variadas modalidades, como a prática de yoga, terapia floral, fitoterapia, auriculoterapia e terapia comunitária.

União das instituições

Simone reforça que a Secretaria não faz o Congresso sozinha e agrade o apoio e envolvimento de outras instituições, como as faculdades Unicesumar, Sant’Ana e UniSecal, que recebem as palestras e oficinas e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), que através da Nutead, tem promovido atividades online. “A pandemia nos trouxe essa necessidade. Aqueles que não podem vir para atividades presenciais, temos palestras também online, que estão sendo muito bem frequentadas, assistidas. Essas parcerias são muito importantes”, afirma.

O Congresso, conforme a secretária, ainda tem o envolvimento de outras instituições, como o Sesi e o Sesc. O Sesi, por exemplo, está envolvido num projeto de inovação para instalar 15 laboratórios de aprendizagem criativa, em que as crianças vão lidar com a robótica e a tecnologia em sala de aula. “Os professores já estão passando por formação, numa parceria que estabelecemos com o Sesi”, aponta.

Outra modalidade de aprendizagem que será aplicada nas escolas em breve, que a secretária destaca, envolve as aulas de dança, capoeira e judô, para as quais houve, recentemente, o credenciamento de instrutores. “Progressivamente, queremos trabalhar em todas as escolas”, anuncia.

O 9º Congresso de Educação se encerra no dia 15 de setembro, quinta, com atividades ao longo de todo o dia e término previsto para as 18h.

Confira a entrevista da secretária Simone Neves na íntegra: