Domingo, 21 de Julho de 2024

Governo Estadual e embaixadora da Finlândia no Brasil alinham parcerias na educação e ensino superior

2023-05-15 às 17:16
Foto: Roberto Dziura Jr/AEN

O governador em exercício Darci Piana recebeu nesta segunda-feira (15), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, a visita oficial da embaixadora da Finlândia no Brasil, Johanna Karanko, com o objetivo de estreitar a relação entre o país e o Paraná nas áreas de educação e ensino superior.

O Paraná tem leis que estimulam o meio acadêmico por meio da colaboração entre o poder público e a iniciativa privada, contemplando empresas e instituições de ensino superior. Além disso, na educação, em apenas quatro anos, o estado deu um salto do 7º para o 1º lugar do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do ensino médio entre as redes estaduais de ensino de todo o País.

“Temos um grande futuro pela frente e queremos expandir a relação com a Finlândia para melhorar ainda mais não só o ensino superior do Estado, mas a educação como um todo. O Paraná é o que mais tem universidades estaduais e todas trabalham em conjunto com empresários em diferentes áreas de pesquisa, principalmente em relação ao meio ambiente e sustentabilidade”, disse Piana.

Uma das parcerias já está em andamento com o país. Trata-se do programa de intercâmbio ‘Ganhando o Mundo’, do Governo do Estado, voltado aos professores e pedagogos da rede estadual de ensino do Paraná. Os candidatos já selecionados terão uma experiência de até quatro semanas de formação continuada em uma instituição de ensino superior da Finlândia e Canadá.

O país foi escolhido devido ao modelo bem-sucedido de educação pública, já que ocupa os primeiros lugares no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), pesquisa internacional que ocorre a cada três anos e visa avaliar os sistemas educacionais básicos em todo o mundo.

A ideia é expandir a capacitação feita com os professores da rede estadual para os níveis acadêmicos: graduação, mestrado e doutorado. Referência no País, o Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná é composto por 21 mil doutores e 23 mil mestres que contribuem para que o Estado esteja entre os mais inovadores do Brasil.

De acordo com o secretário estadual da Educação, Roni Miranda, o país é um exemplo de educação pública que deve continuar sendo seguido pelo Paraná. “A Finlândia é uma inspiração pelo resultado no Pisa. Estamos trabalhando para sermos a melhor educação da América Latina e tornar a educação do Paraná referência. Por isso queremos fazer essa troca com a Finlândia”, destacou.

O secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Nelson Bona, acrescentou que as universidades tem programas de internacionalização e trabalham de maneira integrada com a sociedade em Agências de Inovação e arranjos de pesquisa. “Nossas universidades tem tradição em cooperação internacional. Nós vemos na Finlândia um modelo no qual podemos avançar, principalmente na formação de professores, para trocar experiência e enriquecer nosso processo de formação já que a Finlândia é nossa referência”, disse.

Educação e sustentabilidade

A embaixadora afirmou que, por conta desse bom ambiente do Paraná, que extrapola fronteiras, seu país tem interesse em ampliar a relação com a administração estadual. A comitiva deve marcar mais encontros para dar continuidade às discussões nos próximos dias.

“Foi um encontro muito importante. Temos muitas áreas em que podemos colaborar, em inovação e educação. Agora precisamos fazer uma programação para cada área específica porque não conseguimos fazer todas ao mesmo tempo, mas essas áreas são as principais”, disse.

A conselheira de Educação e Ensino Superior da Embaixada da Finlândia, Johanna Kivimäki, ressaltou que o país pode contribuir por meio das instituições finlandesas que têm experiência em cooperação internacional.

“A formação de professores pode ser uma área de colaboração. Temos muitas universidades abertas para pesquisa em ciências educacionais, a educação está bastante forte”, disse. “Há uma universidade no centro da Finlândia que tem como forte a colaboração global para mestrados. Conheço duas brasileiras que fazem mestrado lá, estudando e adquirindo conhecimentos de alto nível”.

As autoridades do país europeu ainda ressaltaram que têm interesse em parcerias na área de sustentabilidade. O Governo da Finlândia tem como estratégia incrementar investimentos em pesquisa e inovação até 2030. As áreas com maior interesse local são agricultura e agronegócio, biotecnologia, energias renováveis e sustentabilidade.

Os finlandeses têm interesse, ainda, na produção da madeira engenheirada, que são pré-fabricadas, com o objetivo de potencializar o seu uso na construção. “Fazemos muitos andares de prédios em madeira. Na Finlândia nós acreditamos que tudo pode ser feito em madeira. Há oportunidades de cooperação além do campo das empresas que já se conhecem e o Paraná tem boas oportunidades nesse mercado”, destacou o comissário de comércio da Business Finland, Matti Landin.

Presenças

Participaram do encontro o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig; a assessora de relações internacionais da Fundação Araucária, Eliane Segati; e a cônsul honorária da Finlândia, Roseanne Lunardelli Salomon Fontana.

da AEN