Quinta-feira, 25 de Abril de 2024

Mais de 700 cursos online são realizados nas penitenciárias

2020-08-08 às 11:06

O administrador Marcio Pauliki destaca que é muito importante manter os projetos neste momento, pois demonstra que o IMM continua trabalhando em prol da sociedade através dos recursos que a tecnologia oferece.

Desde 2012, o Instituto Mundo Melhor possui convênio com SESP/DEPEN para a oferta de cursos de iniciação e qualificação profissional na modalidade a distância no sistema prisional.Isso possibilitou que, nos últimos dois meses, o projeto alcançasse números significativos em suas atividades online, totalizando 757 cursos realizados.

Os cursos são disponibilizados nos estabelecimentos prisionais que possuem laboratórios de informática (telecentros ou salas virtuais). Segundo a responsável pelo ambiente virtual de aprendizagem (AVA), Fernanda Matos, o formato de cursos online, por ser interativo, possibilita que as pessoas privadas de liberdade possam acessar e realizar o curso a qualquer tempo.  

Neste período, foram ofertados cursos na Casa de Custódia de Curitiba contabilizando 537, PCE (UP) com 76, Complexo Médico Penal com 75 e Patronato Central do Estado do Paraná com 39 cursos realizados. “Entendemos que é muito importante que os cursos continuem, principalmente, considerando que o tempo está correndo e eles precisam de atividades educacionais que contribuam para a ressocialização e para a preparação quando vierem a sair”, ressalta Fernanda.

Desde o final de março, respeitando as orientações da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e da Organização Mundial de Saúde (OMS), foram realizados cursos das mais variadas áreas, abrangendo: noções básicas de informática, gestão de negócios, noções de empregabilidade, saúde, idiomas, hotelaria, governança doméstica, entre outros. Para a chefe do setor de educação e capacitação do Depen, Janaína Luz, os cursos online oportunizam a aprendizagem e consequentemente o comportamento das pessoas privadas de liberdade que veem no estudo uma forma de ampliar suas possibilidades de vida.

O vice-presidente da Lojas MM, empresa mantenedora do IMM, Marcio Pauliki, destaca que é muito importante manter os projetos mesmo em momentos de desafios, pois isso demonstra que o Instituto continua trabalhando em prol da comunidade, através dos recursos que a tecnologia oferece. “A educação aliada ao mundo digital é essencial para que os apenados possam voltar a sociedade com qualificação, graduação e capacitação profissional”, garante.

O setor de educação e capacitação do Depen, em parceria com o Instituto Mundo Melhor, criou uma grade agrupando os mais de 160 cursos por módulos, com temas afins e carga-horária de 12h a 60h. O intuito do projeto é que as pessoas privadas de liberdade possam se aperfeiçoar e utilizar o tempo de estudo para remir sua pena. “Esses cursos são de extrema importância, pois propiciam a flexibilidade de horário para serem realizados, oportunizando o acesso à qualificação profissional das pessoas privadas de liberdade que estudam e (ou) trabalham”, realça a presidente do IMM, Cirlei Simão Pauliki.  

Direito à educação

A educação é um direito fundamental previsto na Constituição Federal de 1.988, em seu artigo 205, e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei 9.394/1996. Da mesma maneira que, a oferta educacional voltada especificamente às pessoas privadas de liberdade, também está prevista através da Lei de Execução Penal, Lei n. 7.210/1984, bem como no Plano Nacional de Educação.

As ofertas educacionais do Paraná ocorrem por meio de parcerias sociais, ou seja, sem custos ao estado, nem a pessoa privada de liberdade e (ou) sua família. “Todas as atividades educacionais no sistema prisional têm como função primordial o resgate da identidade, do conhecimento e da qualificação profissional, preparando essas pessoas para que, ao retornar a sociedade, encontrem maiores oportunidades de reinserção social, por meio do estudo e do trabalho”, finaliza Janaína Luz.