Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

UEPG inaugura Espaço de Ciência Lúdica

2024-06-21 às 17:32
Foto: Aline Jasper

Despertar o interesse pela ciência: esse é o objetivo do Espaço Ciência Lúdica, inaugurado na manhã desta sexta-feira (20), na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O parque com brinquedos e equipamentos pedagógicos a céu aberto fica no Campus Uvaranas e será utilizado pelos cursos de licenciatura para atividades diversas com crianças e adolescentes.

A localização é estratégica: entre o Museu de Ciências Naturais (MCN) e o Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (Caic). O objetivo é integrar um grande complexo de visitação e de lazer para crianças e adultos. A criação do espaço ao ar livre está em consonância com a proposta de Campus Parque, encabeçada pela gestão da UEPG – a abertura dos espaços da Universidade às pessoas. “Esse Espaço Ciência Lúdica é mais um equipamento do nosso conceito de Campus Parque, que é um Campus Universitário aberto para a comunidade para que todos frequentem, principalmente a comunidade externa”, destaca, “mas é, também, um laboratório de formação de crianças e de formação de futuros professores, que poderão utilizar a estrutura existente para as suas atividades didáticas”, acrescenta. O reitor ressalta a relevância da obra, que tem como pontos fortes a dimensão pedagógica e a dimensão inclusiva.

“Quero fazer um elogio ao corpo técnico da UEPG por ter feito o espaço tão bonito. O desenho ficou maravilhoso, convidativo não só para as crianças. Creio que as crianças terão uma disputa de espaço muito grande com os mais velhos que também gostarão de estar aqui”, enalteceu o diretor-geral da Itaipu Binacional, Enio Verri, por intermédio de quem aconteceu a destinação da verba, enquanto deputado federal, em 2021. “Quero fazer um agradecimento ao professor Miguel e toda a equipe por ter aceito a destinação do recurso e ter utilizado o recurso de forma tão competente e tão bem otimizada”, ressalta.

Lúdico, ecológico e científico

O Ciência Lúdica tem cerca de mil metros quadrados, com um parque de atividades, áreas arborizadas e acervo de jogos e brinquedos. O parque conta com kit para exercício de coordenação motora, bancos, suportes para rede, bicicletário, pergolados, kit minibasquete adaptado para cadeirante, balanços (comum e adaptado para cadeirante), pirâmide de cordas e domo de escalada para desenvolvimento do equilíbrio e coordenação motora. No acervo lúdico, estão disponíveis jogos de xadrez com peças gigantes, jogos da velha com peças gigantes, alfabeto (e números) gigantes, bandinha (instrumentos musicais) e cubos sensoriais.

A professora Andrea Tedesco, pró-reitora de Planejamento, explica que aproximar a Universidade de sua vizinhança é reforçar que o espaço é, efetivamente, de todos. “As crianças e jovens que acolhemos nos nossos campi hoje são nossos alunos de amanhã. Assim fomentamos o sonho, a perspectiva da continuidade dos estudos, a escolha de uma profissão, e despertamos a alegria no aprender e na busca pelo conhecimento”, diz. “Mas o espaço não é só para os pequenos, os adultos também poderão usufruir, sendo um local para lazer, descanso, prática de atividades físicas, leitura. O espaço também está destinado a ser um local de descanso e convívio, para acolhimento dos nossos servidores e nossa comunidade acadêmica, demanda recorrente que a Proplan tem procurado atender”, complementa.

O piso mescla concreto e pneus reciclados, material ecologicamente correto que é propício para parques infantis por amortecer impactos, além de ter uma mistura de cores e texturas, contribuindo para a experiência sensorial. As crianças podem caminhar sobre uma pequena montanha, circular em uma pista de corrida e de bicicleta, além de aproveitar os projetos que serão implantados no local.

“Esse ponto é onde a gente tem uma maior concentração de crianças e adolescentes e que fica de mais fácil acesso para esses usuários. O espaço é totalmente acessível”, comenta o prefeito do Campus, Elias Pereira. “Além disso, esse espaço conta com ampla iluminação e aumenta a sensação de segurança. Ele fica próximo à central de vigilância e é o local estratégico mais seguro que a gente tem dentro do Campus”, pontua.

O espaço do Campus Uvaranas já propicia um contato próximo com a natureza, mas o Ciência Lúdica vai ser um cantinho privilegiado, neste sentido. Ao redor do parque, foram plantadas mudas de ipê roxo, ipê amarelo, ipê branco, manacá-da-serra, Acer Palmatum, liquidâmbar, pitanga, amora, jabuticaba e acerola.

Histórico

A ideia surgiu a partir de outros locais como este, amplamente visitados em todo o mundo. O professor Pedro Henrique Weinrich Neto, do curso de Agronomia da UEPG, foi que idealizou e sugeriu à Proplan a implantação de um museu científico no Campus. “É um espaço mais livre, mais aberto, mesmo, que as crianças podem explorar da forma que elas acharem mais interessante”, explica. “A ideia foi dentro dessa proposição nova de Universidade em conjunto com a comunidade do entorno. Ainda vamos montar brinquedos que falem dos cursos da UEPG. Que o menino, a menina brinque, mas que tenha relação com a Odontologia, com Agronomia, e que tenha um aprendizado e um conhecimento melhor de tudo na Universidade”, assegura.

Os projetos foram elaborados pela arquiteta Emanuele de Almeida, da Diretoria de Planejamento Físico da Proplan, e o projeto foi aprovado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A obra teve início em junho de 2023 e incluiu serviços de terraplenagem, piso de concreto com pintura, piso emborrachado, iluminação, sistema de drenagem pluvial e plantio de grama. A obra foi fiscalizada pela Prefeitura do Campus, com apoio da Proplan; os equipamentos foram adquiridos pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Institucional, Científico e Tecnológico da UEPG (FAUEPG); as orientações e apoio para plantio das árvores vieram da Diretoria de Gestão Ambiental, Viveiro Florestal e Fazenda Escola.

“Antes da inauguração da obra já estamos vendo as crianças do Caic usando o espaço, o que nos enche de alegria”, comemora o diretor de Planejamento Físico da Proplan, professor Guilherme Vuitik. Para ele, o uso do espaço recompensa o trabalho desenvolvido com afinco e carinho. “Construções são primordialmente executadas para pessoas, e quando atingimos nosso público alvo, temos a satisfação do trabalho executado”, finaliza.

da UEPG