Quinta-feira, 09 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

A Pandemia em PG: “A gente tem que voltar a vida e enfrentar o problema”, afirma o presidente do Sindicato de Entidades Culturais e Recreativas de PG

04/06/2020 às 15:22

O portal D’Ponta News apresenta uma série de reportagens sobre ‘A Pandemia em PG’. Publicada sempre às terças e quintas-feiras, a série trará sempre uma entrevista exclusiva com a opinião de um convidado sobre as atitudes tomadas no início da pandemia, a atual situação e também como enxerga o futuro para Ponta Grossa.

Com as medidas de isolamento social para conter a pandemia de coronavírus, um setor que foi fortemente atingido é o de eventos e recreações, já que ficaram proibidas aglomerações. No entanto, para o presidente do Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais Recreativas de Assistência Social de Orientação e Formação Profissional de Ponta Grossa, Carlos David Veiga, as medidas iniciais tomadas pelo Executivo de Ponta Grossa foram acertadas. “Por ser uma coisa nova, uma coisa que no mundo não se conhecia, muitos outros países estavam tomando a mesma atitude, então acredito que era o que tinha que ser feito mesmo”, afirma.

Carlos David Veiga – presidente do Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais Recreativas de Assistência Social de Orientação e Formação Profissional de Ponta Grossa

Para Carlos, a cidade atualmente encontra-se num cenário favorável. “Eu acho que agora é a hora de se medir pela gravidade. Pelo que tenho visto em Ponta Grossa, o nível de gravidade não é tão alto. Aumentou o nível de contágio, acredito que por ter aumentado as testagens, mas a gravidade está estabilizada”, avalia. De acordo com ele, já está na hora da vida retomar a sua normalidade. “A gente tem que voltar a vida. Eu acho que a gente tem que enfrentar o problema, não adianta mais ficar se escondendo. Tem que voltar a vida, principalmente a área de lazer”, coloca.

O presidente lembra que a área de lazer e recreação está sofrendo muito com a crise. “Quem dependia deste tipo de evento não está tendo renda. Muita gente dependia que tivesse um evento para ter seu sustento”, comenta. Para Carlos, essas áreas deveriam voltar a funcionar e os cuidados deveriam ser pensados individualmente. “Eu acho que cada integrante de um evento de lazer ele tem que ter a responsabilidade sobre si próprio e sobre seus familiares. Cada um tem que assumir sua responsabilidade”.

Dentre as ressalvas feitas com relação às atitudes tomadas pelo poder público na cidade, Carlos destaca a forma como foi trabalhada a questão do transporte público. “O governo em si, não só Ponta Grossa mas em todo o Brasil, deveria ao invés de diminuir o transporte público, aumentar, para diminuir a aglomeração”, finaliza.

SAIBA MAIS

Na última quarta-feira, 3, uma reunião entre empresários ligados ao setor de eventos e o Comitê municipal responsável pelas medidas de combate à pandemia discutiu o retorno das atividade. Clique aqui para ler esta matéria completa.