Domingo, 21 de Abril de 2024

Vídeo: Filho de diretor do Operário relata agressão sofrida por membros de torcida organizada

2020-10-19 às 10:30

Na noite de domingo (18), o jovem Guilherme Miranda usou as redes sociais para postar um vídeo onde relata ter sido agredido por membros da Torcida Organizada Trem Fantasma, em um bar da cidade de Ponta Grossa. Guilherme é filho do diretor do Sócio-Torcedor ‘Fantasma da Vila’, Joélcio Miranda.

No vídeo publicado, onde estão Joélcio e Guilherme, é relatado que aparentemente um dos motivos para o início da confusão seria o mau desempenho do Operário Ferroviário nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro da Série B. Segundo relato, Guilherme foi agredido por diversos membros da torcida, sendo um deles, de acordo com informações, um empresário da cidade.

Em conversa com o D’Ponta News, o jovem confirma a versão dada no vídeo sobre a agressão. “A confusão iniciou após eu ser puxado por um grupo de integrantes da torcida, os quais começaram a me questionar, e aí começou uma discussão”, conta. Além disso, Guilherme relata ter se ferido após levar um soco de um dos envolvidos na confusão. “Tenho provas dele me dando um soco, minha boca ficou ‘rasgada’ por conta dessa agressão”. Por fim, ele faz um desabafo sobre a situação ocorrida. “Tem inúmeras coisas que passam muito do limite, e hoje foi o ápice disso”, conclui.

Para o pai do jovem e diretor do Operário, tal fato é lamentável e preocupante. “Lamentavelmente eu como diretor do Operário tenho a minha família agredida, por conta de alguns selvagens, nem de torcedor dá pra chamar”, disse Joélcio. Ele ainda alerta que outros diretores do clube fiquem atentos a outras situações como esta. “Peço para que outros diretores tenham cuidado para que eles não passem pelo que a minha família passou”, disse.

Segundo a família, um boletim de ocorrência já foi confeccionado junto à delegacia de Ponta Grossa.

Procurada pela reportagem do D’Ponta News, a Torcida Trem Fantasma (TTF) disse que irá se manifestar em nota oficial na sequência, após consultar o departamento jurídico da entidade. Porém, a mesma fez questão de comentar que a história relatada no vídeo “não é 100% real”.

Veja o vídeo publicado por Guilherme no Facebook:

Imagens: Reprodução/Facebook