Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

Pesquisa indica ônibus como principal meio de transporte dos viajantes no Brasil

2022-08-24 às 15:58

Uma pesquisa realizada pela Quaest neste ano revela que o ônibus é o principal meio de transporte dos viajantes brasileiros. Conforme o levantamento, 61% dos entrevistados já realizaram ao menos um deslocamento utilizando esse tipo de veículo, seguido pelo carro de passeio que representa 41%. Os dados de companhias em 2022 indicam uma recuperação progressiva dos números registrados em 2019, período pré-pandemia, especialmente em se tratando de meses específicos, como janeiro e julho, considerado períodos de férias escolares e universitárias.

A Expresso Princesa dos Campos (EPC), empresa paranaense de transporte de passageiros e de cargas, é uma das que registrou em julho deste ano um aumento de 48% no número de viajantes comparado ao mesmo período de 2021. Com 171,9 mil passageiros nos ônibus da companhia, o mês foi considerado o de melhor movimento do ano, conforme os dados da empresa.

Na Princesa dos Campos, comparado a média dos outros meses do ano, no mês de julho, o número de viajantes aumentou em 8,5%. Em 2021, o número de passageiros registrados pela Companhia no mesmo período foi 116 mil. Vale lembrar que no ano passado, as viagens aconteciam também com regularidade pelas companhias ao redor do Brasil, mas com a adoção de medidas mais rígidas para prevenir a Covid-19, como a obrigatoriedade do uso de máscaras.

Em 2022, mais de 1,1 milhão de viajantes utilizaram os ônibus de linha da Princesa dos Campos para irem aos destinos desejados. De acordo com o CEO da Princesa dos Campos, Gilson Barreto, além de o mês de julho dispor de datas oportunas para viagens, outros fatores também acarretaram no crescimento na demanda, como o aumento no preço das passagens aéreas e nos custos de combustíveis e peças.

“Observamos um crescimento especialmente nos serviços de leito dos ônibus nas linhas de média a longa extensão. Isso acontece porque muitas pessoas estão optando por viagens mais baratas e cômodas do que as realizadas em aviões ou em carros de passeio. Essa crescente pode ser justificada tanto pela aquisição de uma nova frota com 14 veículos leito cama que fizemos, quanto pela fidelização dos clientes do setor rodoviário, que utilizam os trechos ofertados com certa frequência”, argumenta Barreto.