Segunda-feira, 27 de Junho de 2022

A câmera enxerga a energia que as pessoas emitem, afirma fotógrafo Rodrigo Covolan 

19/05/2022 às 15:10

O fotógrafo Rodrigo Covolan participou de bate-papo no programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero na rádio Lagoa Dourada FM, nesta quinta-feira (19).

Covolan reflete que, atualmente, a imagem vive o seu melhor momento. “Hoje estamos no século da imagem. Nossos relacionamentos nas redes sociais são por imagem. O peso que isso tem para a nossa sociedade é muito significativo. Não duvide da força da sua imagem, da representatividade que a tua foto vai ter para as pessoas”, pontua.

Neste cenário, Rodrigo Covolan explica a teoria de que tudo pode ser melhorado ou piorado na fotografia. “Nós enxergamos o reflexo luminoso das coisas e a câmera também enxerga o reflexo luminoso daquilo que está na frente dela. A luz transporta energia, a luz do sol nos aquece, então quando a luz bate em você e reflete em mim, eu acho que ela também traz um pouco da sua energia vital”, afirma.

Ele ainda completa. “E isso vai fazer com que algumas pessoas que pessoalmente são bonitas, mas nas fotos não ficam bem e pessoas que parecem que não são tão bonitas, mas têm uma energia, transmitem uma coisa bacana, te fazem crescer. E eu quero transformar isso em um projeto de ciência, porque eu acho que a luz que reflete das pessoas determina mais o resultado final dela do que a nossa própria impressão sobre ela”, completa.

Experiência

Fotógrafo com 22 anos de carreira e mais de nove mil ensaios pessoais clicados, hoje Covolan também é professor na Allumè Escola de Fotografia. “Ponta Grossa é a minha base. As pessoas me questionam por que eu não fui pra fora, pra Itália, mas todas essas oportunidades a gente teve, só que eu gosto do meu seio familiar, então não estou disposto a fazer nada que coloque isso em risco. A gente floresce onde a semente foi plantada”, destaca.

Na fotografia é preciso estar disposto a aceitar as mudanças e os desafios que surgem no caminho, segundo o profissional. “Trabalhei por 12 anos com fotojornalismo, isso também me deu uma experiência para ser um profissional diferenciado. Como fotógrafo, hoje eu também me realizo muito vendo projetos de alunos que deram certo, que fazem sucesso com seus clientes, que vivem do seu trabalho. Eu gosto de proliferar essa mensagem que a fotografia tem como arte, atividade laboral, meta de vida”, conclui.

Confira a entrevista completa: