Sábado, 04 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Caravana Requião realiza encontro no Sindicato dos Metalúrgicos em PG

23/10/2021 às 16:32
Foto: Reinald Mendes

Neste sábado (23), a Caravana Requião viveu mais um encontro e reuniu cerca de 500 lideranças, vereadores, deputados, apoiadores, sindicatos, movimento sociais e entidades representantes de toda região dos Campos Gerais. Um evento que, a cada etapa, ganha, mais força em todo o Paraná, nos preparativos para as eleições 2022.

Em Ponta Grossa, a reunião foi realizada no Sindicato dos Metalúrgicos, seguindo todos os protocolos de segurança e respeitando a capacidade máxima exigida pelo local.

Na abertura, o deputado estadual Arilson Chiorato (PT) deu as boas-vindas e falou da importância do apoio ao Requião nessa jornada. “É a Caravana da Esperança, um evento de transformação, que vem sendo construído por várias mãos, sob vários olhares e aspectos, na construção de um Paraná voltado a todos e todas. Um Paraná de políticas públicas que respeitem o cidadão, que defenda seu patrimônio público e de um um Governo de essência e não de aparências como temos hoje”.

Claudir, representante do Sindicato dos Metalúrgicos, entidade que cedeu o espaço para realizar o evento, destacou o papel fundamental da Caravana para esse momento político do país: “A classe trabalhadora todos os dias tem perdido direitos que só serão reconquistadas com esse compromisso com o povo. O histórico do Lula e do Requião representa valorização da mão de obra, do pleno emprego e de tudo o que a gente precisa”.

A Deputada Estadual Mabel Canto (PSC), enumerou dezenas de obras realizadas pelas três gestões de Roberto Requião à frente do Estado, e que hoje fazem a diferença na vida da população não só de Ponta Grossa, mas de todos os municípios dos Campos Gerais.

“Requião foi o melhor Governador para a região dos Campos Gerais e todos nós temos um grande objetivo em comum – queremos um Paraná que seja justo novamente para todos. Do pequeno ao grande, igual para toda população, não só para alguns grupos, como é o que está acontecendo neste momento. Queremos um Governo que sente e debata com seus parlamentares na Assembleia Legislativa. O que nos motiva a fazer política é mudar a vida das pessoas, é pra isso que estamos aqui”.

Foto: Reinald Mendes

Mabel ainda destacou a importância do Hospital Regional, considerada a maior obra de Requião em Ponta Grossa, que salva muitas vidas e foi essencial nesse período de pandemia.

“Precisamos de um Governo que tenha sensibilidade, que olhe nos olhos das pessoas mais simples, das que sofrem com o abandono do Estado. Estamos contigo, Requião. Meu muito obrigado em nome de toda população dos Campos Gerais. Me Chama que eu Vou!”

Wagner Nascimento, do Sindicato de Alimentação de Carambeí, falou das lutas diárias e das dificuldades enfrentadas por todos os movimentos sociais, por um Paraná melhor.

“Nossa luta se dá no dia, nas campanhas salariais, nos conglomerados que mutilam e matam trabalhadores, nos enfrentamentos com as empresas. Queremos dias melhores para a classe trabalhadora e confiamos isso ao Requião com sua vitória, vamos firmes nessa luta”.

A Coordenadora de Mulheres da Fetraf Paraná, Roselaine presenteou Requião com uma cesta de produtos da agricultura familiar e relembrou em sua fala as grandes dificuldades enfrentadas pelos pequenos produtores de alimentos no Paraná, nos últimos anos.

“Temos que somar forças com nossos movimentos sociais, porque a nossa classe sofreu vários cortes em vários programas importantes. O que nos queremos agora é nos fortalecer cada vez mais, a partir da construção de um programa, de uma política diferenciada, que ela seja igualitária, justa e não escolhida a dedo para favorecimento de alguns. Precisamos de programas específicos para mulheres agricultoras e acreditamos que só teremos isso com Requião Governador novamente”.

Representando as Centrais Sindicais, o Presidente da CUT Paraná Márcio Kieller, também apontou a perseguição sofrida pela classe trabalhadora nos últimos anos e que, para solução, é preciso discutir com todos os setores, do campo e da cidade, com destaque para a nossa juventude, uma nova proposta, para um novo Paraná melhor para todos e todas.

“Não é o Requião que precisa da gente, somos nós quem precisamos do Requião novamente. Vamos juntos”.

Foto: Reinald Mendes

Da mesma forma, Nelsão da Força, enalteceu o poder de liderança na figura de Roberto Requião e o quanto isso enche os trabalhadores de esperança.

“ O Requião é o maior trabalhador, o maior líder que o Paraná já teve. Estamos com você, porque no seu governo tínhamos mais empregos de qualidade, os micro e pequenos empresários recebiam ajuda para manter seus funcionários e hoje estamos perdendo direitos”.

Adriana, representante do MST na região, falou da importância da união entre todos os setores para vencer essa fase de uma política retrógrada que vem agredindo a população.

“Nós do MST e da agricultura familiar estaremos assumindo essa tarefa, com nosso povo aguerrido. Podem contar com a nossa força, de cada um de nós aqui. Parabéns pela coragem dos nossos amigos, de fazer essa caravana, de puxar essa frente e, Requião, pode chamar que a gente sempre vai”.

Representando o PSOL, João Luiz Stefaniaki, a construção de um projeto novo para o Paraná e o Brasil é urgente. “Precisamos disso para construir uma frente forte de combate ao fascismo que está instalado no país. E essa luta não pode se limitar a uma campanha eleitoral, porque essa força, esse movimento precisa persistir, na rua, no nosso dia a dia”.

O Presidente do PDT de Ponta Grossa, Rodrigo Ghedini, reforçou o apoio a Caravana Requião e lembrou da importância do ex-Governador para o avanço da Educação. “Estamos juntos, precisamos vencer com união e coragem. Sou professor da rede pública estadual e em toda escola que a gente vai, tem educador doente e com dívida. Mas tem uma coisa que supera isso. Em todas elas tem a maioria dos educadores com esperança de que o Requião vai voltar para mudar o Paraná”.

Representando o PT de Ponta Grossa, o ex-prefeito e ex-deputado estadual Péricles de Mello também deu destaque em sua fala pela representatividade de Requião nos Campos Gerais.

Foto: Reinald Mendes

“O Requião é uma das maiores lideranças do Brasil”.

Ariele, da União Nacional dos Estudantes, que também esteve no evento em Jacarezinho, acredita que com Requião o Paraná terá mais projetos voltados a juventude e ao acesso à educação.

“Nosso sempre e eterno Governador tem um papel fundamental nisso tudo, para pautar novamente a Educação que tem sido tão desvalorizada no Estado, com mais atenção aos professores”.

Joce Canto, vereadora de Ponta Grossa pelo PSC, também enalteceu a trajetória de Requião e declarou apoio ao movimento.  “Sempre estarei aqui para te defender, em qualquer lugar. Não precisa me chamar. Sempre vou estar aqui”.

Elio Ratinho, presidente da Câmara de Vereadores de Carambeí pelo PSB, relembrou programas importantes implantados por Requião no Paraná, como o Leite das Crianças.

“Graças a esse programa abençoado, hoje nossa população tem como alimentar seus filhos. Se não fosse isso, o que seria de nossas crianças? Tínhamos um Governo que não judiava das pessoas, com altas tarifas de água e luz e ajudava o pequeno a crescer. Uma vez Requião, sempre Requião”.

O Deputado Estadual do PT, Tadeu Veneri falou dos desafios, mas que há esperança de vencer essa balata. “Nós temos muito pra caminhar, muito pra fazer, mas é verdade também que hoje temos muito mais esperança. Quando o povo quer o povo conquista. Não queremos viver de lembranças, mas com o que faremos pra frente. E nessa construção de um novo programa para o Paraná é importante lembrarmos dos anônimos, daqueles que não estão representados pelas Câmaras de Vereadores e pela Assembleia Legislativa. Porque quem está lá são minorias organizadas que tomaram o poder, minorias financistas, religiosos e outros mais. Por isso, é para os anônimos que nós queremos nos dirigir, porque eles precisam de Estado”.

Tadeu destacou também uma fala que Requião sempre tem expressado em vários discursos: “Companheiro é aquele que compartilha o pão; o pão doce e o pão ruim, azedo. Todos os momentos”.

E prosseguiu: “Precisamos derrotar a extrema direita, por tudo o que foi destruído no nosso país, pelos milhões de empregos destruídos, pelos elogios falsos aos Moros da vida, dos procuradores protegidos pela justiça, que se tornou um braço o poder econômico. Podemos ser derrotados, mas sabemos que nós não nos entregamos, não nos vendemos, e que estaremos sempre nas lutas. Por isso essa frente é tão necessária, para reconstruir o Estado e o país”.

O Deputado Estadual Professor Lemos (PT) acredita que com esta frente será capaz de formar um programa que valorize mais o Paraná como um todo.

“Estamos juntos porque precisamos de mais respeito à população, em todas as áreas, defender a reforma agrária, uma educação de qualidade, enfim, avançar em todas as nossas lutas”.

O Deputado Estadual Requião Filho (MDB) foi objetivo e disse que o Estado tem pressa e sede de mudança.

“O Paraná se transformou num queijo suíço nas mãos dos ratos, com buracos nas estradas, na segurança, na saúde e na educação. Eu tenho pressa de ver o nosso Estado mais uma vez nos trilhos, ajudando a agricultura familiar, ajudando a educação pública a ser gratuita e de qualidade, porque esse é o principal dever de um Governo. Ajudar a saúde pública e não utilizar o sistema público de saúde para fazer campanha pré eleitoral. O Paraná tem buracos que precisam ser preenchidos de maneira rápida. O Paraná precisa de experiência, coragem, firmeza para ser colocado novamente nos trilhos”.

Foto: Reinald Mendes

E continuou: “O Requião tem 80 anos, sim, e são 80 anos dedicados a causa pública, ao Estado do Paraná, a cada um dos nosso municípios. E a diferença será simples na próxima eleição. Eles irão prometer o que não cumpriram. E nós vamos fazer mais e melhor de tudo o que já fizemos. Estamos reunidos aqui com representantes de vários partidos, mas acima de qualquer bandeira, o nosso partido é o Estado do Paraná e a nossa população”.

O Deputado Federal Zeca Dirceu, do PT, também destacou a confiança que Requião sempre representou ao Paraná.

“Nós queremos o Requião de volta. Tínhamos um Governo que olhava pelos pobres, pelos pequenos agricultores, pequenos empresários e preocupado em valorizar os servidores públicos, apostava na estruturação do SUS. Nós construímos naquele período a melhor educação do Paraná. E agora, não queremos só ter tudo isso de volta, mas fazer mais e melhor. Ter novamente nossas prioridades restabelecias que só com a experiência de Requião será possível realizar. Teremos que trabalhar muito, com muita dedicação de todos unidos contra essa ação midiática de fake news que impera no momento, pra desfazer tantas mentiras”.

A Deputada Federal Gleisi Hoffmann, do PT, destacou toda a trajetória de Requião, seu legado pela Educação e que o ex-Governador e ex-Senador nunca mudou de lado.

“Ele sempre soube pra quem ele exerceu seu mandato público e deixou um legado muito importante. Sempre foi um Governador humano, e isso faz toda a diferença. Nunca governou pra números, pra estatísticas, governou para as pessoas. Valorizou a escola pública e esse foi um de seus maiores legados”.

Gleisi ainda agradeceu a solidariedade de Requião diante dos momentos difíceis da história vividos pela esquerda, pelos posicionamentos firmes e corajosos contra o golpe de 2016 e os últimos acontecimentos políticos no país.

“Nos admira sua disposição pra colocar seu pé na estrada pra gente fazer esse resgate, esse movimento. Parabéns e nossa gratidão para fazer esse enfrentamento e estar aqui com a gente. A caminhada não vai ser fácil, lutaremos contra a máquina, o G7, a máquina que manda a economia paranaense, com gente poderosa. Mas quando temos uma causa, temos um projeto, um programo, ganhamos força. E o Paraná está precisando de alguém pra enfrentar esse Governo. Estamos vivendo um período triste de pobreza e fome, enquanto somos o maior estado produtor de alimentos. Não é possível viver uma situação dessas, tem que mudar”.

Aplaudido de pé, Requião iniciou seu discurso falando da importância do companheirismo, de pessoas que dividem os fartos e bons momentos, assim como os amargos de momentos terríveis e cruciais.

“O que me traz aqui é a indignação de alguém que está vendo homens e mulheres tendo que comer sopa de ossos, pés de galinha, e mal conseguem pagar as contas de água e luz. Temos um povo passando fome num Estado que é o maior produtor de alimentos do país. E onde é que está a indignação do povo?”, questionou.

Foto: Reinald Mendes

Assim como nos demais encontros da Caravana, Requião também frisou em Ponta Grossa a importância de se conhecer o que acontece em profundidade sobre o liberalismo econômico, dos interesses geopolíticos, para transformar a realidade brasileira. Destacou os problemas econômicos enfrentados pelo Paraná, que vive sob um Governo preocupado apenas em privatizar e entregar as empresas estatais nas mãos de acionistas, que não estão preocupados com a geração de empregos das pessoas que vivem aqui.

“São empresas que hoje vivem as regras da bolsa de valores, da cobiça, da acumulação de recursos nas mãos de uma pequena parcela rica do mundo, que nem sabe o onde fica o Paraná. Sangram o povo nos momentos de necessidade, para financiar campanhas e pensar no próprio lucro”.

Requião relatou seu orgulho por ter criado grandes programas transformadores para o Paraná, lembrados até hoje pela população, com destaque para a melhoria da Educação, que foi premiada como a melhor do país, em consequência de investimentos pesados em formação continuada, na estruturação das universidades e das escolas públicas.

“Temos como mudar este jogo do descaso privatista e entreguista. Ao longo dos meus 80 anos, acumulei conhecimento com todas as experiências que tive, em 40 anos de vida pública, e acredito que sim, temos condição de colocar o Paraná nos eixos. Precisamos construir uma parceria de verdade, estabelecer compromissos sérios para a devolução da soberania brasileira, isso tem que ficar claro. O meu sonho é termos um único candidato que represente todos os nossos projetos”.

da assessoria