Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

Compositor de PG busca intérpretes para suas melodias

2022-09-09 às 15:32

O compositor Assis, de Ponta Grossa, reúne já uma coletânea de letras que ele escreveu, mas, por enquanto, nenhuma delas ganhou “uma voz” para ficar eternizada no imaginário popular. Durante o programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba), desta sexta (9), o artista mostrou algumas de suas composições.

“Acredito que qualquer pessoa pode compor, mas existem técnicas, encaixe de harmonia, de letra”, afirma. O compositor avalia que não existe um tempo determinado para uma letra nascer e que esse tempo varia para cada artista, para cada letra que se pretende fazer, cada estilo que se pretender adotar.

“A música é uma história que você transmite o que você sente, o que pensa, em forma de letra e música, para que as pessoas que ouvem possam sentir essa emoção”, explica.

O compositor aponta que nem toda história relatada nas letras de músicas, especialmente as comerciais, refletem o sentimento ou a história do intérprete, porque são letras encomendadas. Podem ser histórias de amigos do compositor ou que simplesmente surgem na sua imaginação, em tópicos que envolvem o amor, a traição, o ódio. “A vida proporciona uma letra de música”, comenta Assis.

Entre letras prontas e letras em andamento, Assis já soma uma lista de 25 composições. No entanto, por não ter muito acesso ao meio artístico, ainda não teve a oportunidade de oferecer nenhuma letra a algum intérprete.

“Não sou cantor, mas já tento colocar a melodia em cima da letra. Músico também não sou. Eu tinha um grupo de pagode, mas músico mesmo eu não sou. Tocava pandeiro, mas meu pandeiro quebrou”, lamenta.

Assis acredita que, cada vez mais, é importante tomar cuidado com a conotação e denotação das letras de músicas, porque as palavras mal empregadas podem afetar a autoestima de quem ouve. “A letra de uma música pode tanto levantar a autoestima quanto rebaixá-la. Tem que ter muito cuidado com o que se diz e como se diz. É essencial esse cuidado. A música é para trazer alegria, emoção e não tristeza, angústia”, analisa.

Confira o bate-papo com o compositor Assis na íntegra: