Domingo, 24 de Outubro de 2021
foto: Clebert Gustavo

COVID-19: Paraná aguarda “posicionamento definitivo” do Ministério da Saúde sobre vacinação de adolescentes

16/09/2021 às 15:50

Na tarde desta quinta-feira (16), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou uma nota esclarecendo que está aguardando o “posicionamento definitivo” do Ministério da Saúde sobre a aplicação de vacinas contra COVID-19 em adolescentes.

No documento, a Sesa afirma que o Estado não iniciou oficialmente a vacinação de adolescentes ” pois as doses que serão destinadas para este público serão carimbadas pelo Ministério da Saúde e não chegaram ao Estado”. E completa: “A Sesa está seguindo rigorosamente o Programa Nacional de Imunizações (PNI) e qualquer iniciativa que esteja desalinhada com as suas diretrizes implica em desorganização da estratégia de vacinação”, finaliza.

Relembre o caso:

O Ministério da Saúde revisou a recomendação de vacinação de adolescentes contra a covid-19. Em nota técnica publicada nesta quinta-feira (16) pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, o Ministério passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

Uma nota técnica anterior da pasta, também de setembro, recomendava que a imunização dos adolescentes tivesse início ontem (15), com a ressalva de que os que não apresentassem comorbidades deveriam ser os últimos a ser vacinados.

Confira a nota na íntegra divulgada pela Sesa:

A Secretaria de Estado da Saúde aguarda o posicionamento definitivo sobre a aplicação de doses em adolescentes, também em razão da manifestação do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que pede parecer da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a liberação dos imunizantes para todos os menores, conforme previsto inicialmente pelo Ministério da Saúde.

O Paraná não iniciou oficialmente a vacinação de adolescentes, pois as doses que serão destinadas para este público serão carimbadas pelo Ministério da Saúde e não chegaram ao Estado. A Sesa está seguindo rigorosamente o Programa Nacional de Imunizações (PNI) e qualquer iniciativa que esteja desalinhada com as suas diretrizes implica em desorganização da estratégia de vacinação.