Sexta-feira, 21 de Junho de 2024

Cursilho de PG faz apresentação em festival nacional de música neste sábado (7)

2020-11-03 às 17:00

Neste sábado (7), às 20 horas, o Ministério Adonai, da Diocese de Ponta Grossa, estará entre os quatro grupos a se apresentar no ‘1º Festival Nacional de Grupos de Folclores’. O festival online é voltado para grupos de ‘folclores’, como são chamados os músicos que cantam e animam o Cursilho. O evento é realizado pelo Cursilho da Diocese de Foz do Iguaçu está realizando, com o apoio do Grupo Executivo Nacional do Movimento de Cursilhos de Cristandade do Brasil. Esta é a última etapa da fase classificatória e a escolha de quem passa para a semifinal é feita por votação popular, no link divulgado durante a transmissão ao vivo, via Facebook e YouTube do Cursilho de Foz do Iguaçu, coordenadores do evento.

Além do Movimento de Cursilhos de Ponta Grossa, também se apresentarão grupos de Santarém (PA), Passo Fundo (RS) e Jundiaí (SP) e apenas dois grupos se classificam para a semifinal.  O Ministério Adonai é formado por Cleiton Crestani, Elaine Cação Ribeiro, Tiago Guerlinger, Evandro Guerlinger e Silvia Grazi. “O Festival apresenta músicas católicas conhecidas, como Utopia, por exemplo. Seria muito bom que as pessoas participassem, assistindo ao vivo e votando no nosso grupo”, pede a coordenadora diocesana do movimento, Jocélia Schafranski Guimarães. O link para a votação é informado momentos antes da transmissão.

Participam do Festival 23 grupos, de 17 dioceses, oito estados, das regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste. A primeira etapa aconteceu em agosto. A fase semifinal acontecerá em duas datas: dia 21 de novembro e 5 de dezembro. A final será no dia 19 de dezembro. Participarão da semifinal oito equipes, quatro em cada etapa. No próximo dia 21, se apresentarão as equipes de Taubaté (SP), São José dos Pinhais, Pouso Alegre (MG) e Foz do Iguaçu. Para o dia 5 de dezembro, já estão classificadas as equipes de Guarapuava e Santarém. As outras duas equipes serão conhecidas neste sábado.

“Não há premiação. O Festival nasceu dentro das atividades criadas para o período de pandemia com o intuito de criar interação entre os cursilhistas das mais diversas dioceses do Brasil, levando uma mensagem de esperança por meio da música católica”, explica o idealizador e apresentador do Festival, Lucas Eduardo Ghellere. Até agora, já foram cinco etapas classificatórias. “As equipes estavam divididas em duas chaves. O segundo lugar mais votado de cada chave também se classifica. A votação acontece durante a live”, acrescenta Ghellere.

Da assessoria