Quinta-feira, 09 de Dezembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Diretora-geral do Hospital Universitário é exonerada do cargo e gera revolta em comunidade médica, acadêmica e profissionais da saúde

01/10/2020 às 21:32

Luciane Patrícia Andreani Cabral, diretora geral do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, foi exonerada do cargo nesta quinta-feira (01). A dispensa, assinada pelo reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Miguel Sanches Neto, foi publicada na portaria nº 2020.510.

A profissional afirma ter sido pega de surpresa com a decisão: “Diante de uma trajetória de dedicação, recebo minha inexplicada exoneração no dia de hoje, com sentimento de gratidão pela oportunidade de representar como Diretora Geral o Hospital Universitário, referência em atendimento na região dos Campos Gerais, deixo, porém, muito claro, que saio com sentimento de dever e missão cumprida, que  dei o melhor de mim, e que  as 10/ 12 horas diárias de  trabalho foram realizadas com muita seriedade, dedicação e comprometimento”, colocou Luciane em nota.

Revoltados com a decisão da Universidade, outros profissionais também pediram exoneração, como a médica e professora do curso de medicina, Tatiana Cordeiro, diretora acadêmica do HU. “Em solidariedade à professora Luciane e em protesto à atitude unilateral e desmedida do atual reitor, que, em meio a uma pandemia e a absorção de um novo hospital, exonerou, sem justificativa, a nossa diretora geral, comunico minha solicitação de exoneração do cargo de diretora acadêmica”.

Leia a nota de Luciane na íntegra

Em 2010 por meio de um concurso público fui nomeada enfermeira no Hospital Regional e como enfermeira intensivista, meu primeiro ano novo foi no plantão noturno fazendo assistência a um único paciente que estava internado. Lembro também que  no pronto atendimento ficavam as autoclaves,  na sala de emergência ficavam estocados o café e suprimentos e o almoxarifado do hospital era no quinto andar. Vivenciei muitas dificuldades e  acompanhei  todas as mudanças  de perto.
 
Com a passagem do Hospital para Universidade, vieram novos desafios, fui designada como ouvidora e trabalhei concomitantemente na educação continuada e em 2015 fui desafiada a escrever um projeto de residência multiprofissional.
Hoje sou coordenadora eleita da Comissão de todos os programas do nosso Hospital, sendo 09 programas de residências nas áreas de saúde, com 150 bolsas Federais, fruto de muito trabalho e dedicação, o que trouxe qualidade e melhor assistência aos pacientes.

Em 2018 como reconhecimento fui nomeada como Diretora Acadêmica e em 2019  nomeada Diretora Geral do Hospital Universitário.

Em 2020 vivenciamos grandes desafios, o primeiro estar a frente da gestão em um Hospital que é referência em atendimento ao COVID. Aprender com a doença, reorganizar e capacitar constantemente as  equipes,  criação de um comitê de análise dos casos, nos deparamos com a  falta de equipamentos e recursos humanos, muitas preocupações, dificuldade de todos os tipos,  medo, angústias, muito trabalho e profissionalismo sempre na busca pela administração com qualidade em prol dos usuários.

O segundo desafio foi organizar a mudança da Maternidade e UTI neonatal para um novo local, a fim de  que houvesse  menor risco de contágio das mães e das crianças. Ah, esse desafio foi gigante e só possível devido a dedicação de todos!
 
Diante de uma trajetória de dedicação, recebo minha inexplicada exoneração no dia de hoje, com sentimento de gratidão pela oportunidade de representar como Diretora Geral o Hospital Universitário, referência em atendimento na região dos Campos Gerais, deixo, porém, muito claro, que saio com sentimento de dever e missão cumprida, que  dei o melhor de mim, e que  as 10/ 12 horas diárias de  trabalho foram realizadas com muita seriedade, dedicação e comprometimento.  
 
Agradeço a  todos que me apoiaram profissionalmente, a todos que estiveram ao meu lado em momentos de decisões difíceis,  a toda gestão da SESA pelo excelente trabalho nesse momento, aos governantes, deputados e vereadores que ajudaram nosso hospital indiferente do partido, destaco que as verbas públicas fazem a diferença no SUS.

Por fim a melhor parte de estar onde estive foi poder representar os trabalhadores da saúde e em especial nesse momento, foi ver que a Saúde pode ser de qualidade no SUS, foi chegar todos os  dias para trabalhar e sentir sim que temos pessoas comprometidas.

A pior parte de estar onde estive foi ter estômago e resistência para esquivar-se dos interesses  escusos e inconfessáveis.

Continuarei minhas atividades como servidora Pública Estadual nesse gigante chamado Hospital Universitário ou Hospital Regional como é conhecido.

Espero ter correspondido às expectativas da gestão, enquanto estive no cargo

Luciane Cabral

Centro Acadêmico de Medicina emite nota de solidariedade à Luciane

Vimos por meio desta expor nossa solidariedade à Enfermeira Ms. Luciane Patrícia Andreani Cabral que, após exercer a função de Diretora Geral do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais desde o ano de 2019, foi autoritariamente exonerada da sua função na data de hoje (01/10/2020).

Em plena pandemia de Covid-19, em um momento de superação e dedicação sobrehumanas – onde a equipe do hospital universitário vem lutando de maneira exemplar – uma exoneração não debatida é imposta pelo reitoria.
Estendemos a nossa solidariedade, também, à Dra. Tatiana Menezes Cordeiro que, ao tomar ciência da situação, colocou o seu cargo de Diretora Acadêmica à disposição.

Pedimos que a reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa torne público o esclarecimento necessário para com a gravidade da situação.

Assinam essa nota:

  • Centro Acadêmico de Medicina
  • Centro Acadêmico de Enfermagem
  • Centro Acadêmico Valfrido Antônio Martins

Alunos manifestam revolta nas redes sociais

A reportagem do D’Ponta News entrou em contato com o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto, mas não teve retorno até o fechamento desta matéria.