Segunda-feira, 08 de Agosto de 2022

D’P Gastronomia: Oak Bier – Ouro líquido

15/06/2022 às 13:41
Foto: Divulgação

por Enrique Bayer

Surgida com a missão de democratizar as cervejas artesanais, a Cervejaria Oak, localizada em Ponta Grossa, conquista prêmio nacional e se reafirma como expoente de um mercado crescente e promissor

Democratizar a cerveja. Essa é a missão da Cervejaria Oak, fundada pelos irmãos Ricardo, Ivan e Isnard Carvalho. A Oak (Carvalho, em inglês) nasceu em 2011 e é uma das mais proeminentes da região dos Campos Gerais. O sucesso, a busca por qualidade e excelência, e o consequente crescimento resultaram em uma premiação nacional. No último Concurso Brasileiro de Cerveja (CBC), realizado este ano em Blumenau (SC), a Oak Hop Lager, uma das variedades da fábrica ponta-grossense, foi premiada.

O prêmio, primeiro desse nível para a cervejaria, é resultado de um processo de aperfeiçoamento, experimentação, dedicação e ousadia – e que está dando certo. A fábrica, originalmente paulista, nasceu em Fartura, no interior de São Paulo, de onde os irmãos são naturais. Ricardo Carvalho (foto), mestre cervejeiro e um dos fundadores da Oak, relembra a primeira instalação, ainda em Fartura, quando trabalhava na indústria cervejeira. “Era pequena, com brassagem de 300 litros e tanques de 600 litros”, recorda.

A mudança para Ponta Grossa aconteceu em 2015, depois de uma breve passagem por Embu das Artes, também em São Paulo. “É interessante pensar no começo. Todo cervejeiro tem que aprender a errar. É como uma receita de bolo – e a receita que você quer é a receita que as pessoas gostam”, avalia. A Oak, que conquistou público e crítica, está nos Campos Gerais graças a uma parceria firmada com a Prefeitura e pela tranquilidade encontrada no distrito de Guaragi, onde está localizada a fábrica. Além disso, Ricardo tem um histórico com a cidade, já que fez a sua graduação em Química pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

A carreira acadêmica de Ricardo, aliás, é dedicada à cerveja: para ser cada vez mais assertivo nas receitas, o mestre cervejeiro foi além da graduação e fez mestrado em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). O objetivo de todo esse conhecimento, segundo ele, é agradar públicos cada vez mais diversos entre os tomadores de cerveja. Nesse sentido, Ricardo conta que já foi “traído” pelo próprio gosto. “Agora, quando vamos lançar uma cerveja, a gente faz degustações com amigos, mas antigamente não era assim. Já aconteceu de eu preparar uma receita e pensar ‘Nossa, essa ficou perfeita’ e aí colocar no mercado e o rótulo não vingar. O inverso também já aconteceu – com a Marula, por exemplo. Então, a gente está sempre adaptando as receitas”, relata.

Refrescante e aromática, a Oak Hop Lager faturou o prêmio do Concurso Brasileiro de Cerveja na categoria ‘Fresh Hop Bier’

Premiação

Aparentemente, adaptar as receitas tem dado certo, já que a cerveja Oak Hop Lager conquistou a premiação na categoria ‘Fresh Hop Bier’ do CBC 2022. Este ano, o CBC bateu recorde de inscrições, com 3.635 rótulos diferentes de 587 cervejarias do Brasil inteiro – um crescimento de 15% e 26%, respectivamente.

Ricardo explica que a Oak Hop Lager é uma cerveja de aroma clássico, bem lupulado, mas com graduação baixa. “É como se fosse uma prima da Pilsen, porém mais refrescante e mais aromática. É uma cerveja que você pode consumir bastante e sempre dá vontade de tomar mais”, detalha.

De acordo com o mestre cervejeiro, a Oak Hop Lager é o resultado de um crescimento pelo interesse nas cervejas artesanais e a consequente criação de novos sabores. Ele acrescenta que o rótulo é uma “geração nova de uma receita antiga”. A cerveja surgiu a partir de um processo conhecido como dry-hopping, que deixa o aroma da bebida mais marcante, além de garantir mais refrescância. “Ela é uma cerveja ‘fraca’, com característica maltada e essa refrescância acentuada”, descreve.

O gerente comercial da cervejaria, Rodrigo de Arruda Darros, afirma que o recebimento do prêmio foi uma “grande alegria”. “O mercado de cerveja artesanal é concorridíssimo, com muita cerveja excelente, e levar o ouro é o reconhecimento de mais de dez anos de trabalho e um sinal de que estamos no caminho certo. Que venham mais prêmios como esse”, comemora.

Mercado

Apesar do destaque, as cervejas artesanais ainda representam uma pequena parcela das comercializações no mercado brasileiro de cervejas. Segundo a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), as cervejas artesanais respondem por 4% do market share nacional. Apesar disso, Ricardo se mantém otimista. “Há dez, 15 anos, não se falava em cerveja artesanal aqui no Brasil. Um movimento parecido aconteceu nos Estados Unidos. Em 15 anos, as cervejas artesanais lá passaram de 2% para 17, 18% do mercado deles”, compara.

Os dados dizem que o otimismo de Ricardo tem razão de ser: segundo o Anuário da Cerveja de 2020 – último relatório publicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) –, o Brasil chegou a um total de 1.383 cervejarias com registro, um aumento de 14,4% em relação ao ano anterior. Conforme o mesmo relatório, o mercado, em crescimento, é responsável por 1,6% do PIB nacional – o que, segundo dados de 2017, representa um faturamento de R$ 107 bilhões. Além disso, o setor gera 2,7 milhões de empregos e, a cada R$ 1,00 investido, R$ 2,50 “voltam” para a economia nacional.

Na visão de Ricardo, o movimento no mercado brasileiro é promissor, com ações que integram parcerias público-privadas. Antes do prêmio nacional, a Cervejaria Oak já tinha sido reconhecida com a cerveja ‘Lobo Guará’. Comercializado no Buraco do Padre, o rótulo venceu um concurso de degustação às cegas, promovido em 2021 pela Associação Ponta-grossense da Indústria Cervejeira, com apoio do Sebrae do Paraná e da Secretaria Municipal de Turismo (SMT).

Além da felicidade pelo reconhecimento, Ricardo destaca a parceria com colegas do ramo na cidade. “Todo mundo aqui das cervejarias comemorou e nos parabenizou pelo prêmio. Há esse sentimento de parceria”, afirma.

Mestre cervejeiro da Oak, Ricardo Carvalho acredita que mercado cervejeiro do Brasil deve crescer como o dos Estados Unidos

Futuro

Para continuar ganhando mercado além dos Campos Gerais e do interior de São Paulo, a Cervejaria Oak, que vai expandir as atividades e se fixar em Curitiba, está focada em ser cada vez mais sustentável. Produzindo atualmente cerca de 80 mil litros de cerveja por mês, a cervejaria busca o pioneirismo. “Estamos investindo R$ 800 mil em um projeto que envolve a implantação de energia solar”, revela Ricardo. Esse investimento vai aumentar a capacidade produtiva da fábrica. A expectativa é que, em três anos, a Oak esteja produzindo 150 mil litros de cerveja por mês.

Ele conta que dar destinação correta aos resíduos já era um desejo, mas ressalta que o público procura empresas que adotem essa prática. “Reutilizamos a água para a limpeza, e a nossa matéria orgânica gera energia para o Hospital da Criança e para o prédio da Prefeitura. O bagaço de cevada nós doamos para agricultores aqui do distrito. Assim, podemos afirmar que somos uma das poucas cervejarias que estão caminhando para se tornarem autossustentáveis no Paraná”, finaliza.

Conteúdo publicado originalmente na Revista D’Ponta #290 Junho de 2022.