Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

Egressos da UEPG integram pesquisas em parques nacionais dos EUA

2023-06-01 às 14:28

Da janela do avião, já se via as montanhas cobertas com neve dos Estados Unidos. A experiência é uma das que Billy Joy Vinticinco guarda na memória dos dias que vive no hemisfério norte. Assim como ele, mais dois egressos do curso de Turismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Larissa Martins e Ricardo Javier Hurtado, colecionam experiências profissionais pela Universidade de West Virginia. O trio participa do monitoramento socioeconômico e hábitos turísticos em parques nacionais há cerca de dois anos. A vida de muitas andanças pelos EUA não apaga o mesmo sentimento para os três: a influência da formação na UEPG para a atuação profissional.

O trio divide a experiência de trabalho na Missão Recifes Icônicos, pesquisa que coleta dados no Santuário Marinho Flórida Keys. O objetivo é ter melhor compreensão dos padrões e motivações de uso dos visitantes, para aumentar a capacidade de crescimento econômico e sustentabilidade dos serviços ecossistêmicos nas áreas. “Florida Keys é um conjunto de ilhas no sul da Flórida, conectadas por pontes, e um dos principais destinos de turismo náutico, mergulho, pesca e com diversidade de culturas dos moradores, principalmente a latina”, conta Billy.

Para conhecer melhor os hábitos de visitação, a equipe realizou entrevistas e preenchimento de formulários com visitantes do parque em pontos estratégicos: nas saídas das florestas, praias e pontes. “Foi simplesmente incrível, eu amo estar próxima da natureza e nesse projeto você trabalha em locais turísticos em áreas naturais, foi uma experiência bem enriquecedora no âmbito profissional e pessoal, um desafio interessante”, relata Larissa. Os resultados da pesquisa irão para uma base nacional, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, órgão federal parceiro do projeto. Na pesquisa, estão envolvidos, além dos egressos, Robert Burns, professor da Universidade de West Virginia; e a professora do curso de Turismo da UEPG, professora Jasmine Cardozo. As instituições são parceiras desde 2023. “O fato de termos bacharéis em Turismo, formados pela UEPG, trabalhando nos Estados Unidos, demonstra a importância do incentivo à internacionalização”, destaca Jasmine.

Não é somente no parque da Flórida que os egressos da UEPG atuam. A experiência abrange outros parque nacionais, sempre focada nos hábitos, tempo nos locais e serviços que os visitantes utilizam. Ricardo Javier Hurtado teve seu primeiro contato com a pesquisa da Universidade de West Virginia em outubro de 2020. “Nosso trabalho é realizado na Região 6, que inclui os estados de Oregon e Washington e um dos principais aprendizados é com gestão de pessoas, liderando a equipe de campo”, explica. Atualmente, os egressos atuam no projeto Monitoramento de Uso de Visitantes Nacionais, nas Florestas Nacionais de Ochoco, Deschutes, Fremont-Winema e Crooked River, no estado de Oregon, que tem uma sólida pesquisa sobre os locais.

Longe de casa

Para Billy, apesar da saudade de casa e dificuldades com idioma e cultura, os americanos são de maneira geral muito amigáveis e educados. “Mas o modo de pensar é diferente em muitas coisas e você tem que ter jogo de cintura para entender todos esses sotaques e culturas”. Depois de 10 meses de estadia nos EUA, Billy diz estar mais adaptado e confortável, sempre em fase de aprendizado. “Para um país em que o Turismo funciona melhor de maneira geral, é extremamente importante para que gente vivencie o que estudamos na faculdade”, salienta.

As florestas naturais são protegidas nos Estados Unidos há mais de 100 anos, exemplo que deve ser seguido no Brasil, segundo Billy. “Apesar de planejar passar meus próximos anos fora, eu ainda vou levar toda essa bagagem para o Brasil e estarei envolvido para dar minha pequena colaboração para o Turismo, pois não é novidade para ninguém que nós temos potencial de sobra para ser um destino turístico”, ressalta.

Influência da UEPG

Os sonhos e realizações têm forte influência da formação na UEPG. Ricardo é natural de El Salvador e também destaca que o curso de Turismo abriu muitas portas na vida profissional. “Dificilmente estaria aqui hoje trabalhando se não fosse pelo curso que fiz na UEPG”. O egresso relata que o cenário é muito diferente do que viu na América Latina. “Eu tenho curtido muito as florestas nacionais aqui da região. As paisagens são muito lindas e eu me sinto muito grato de poder realizar o meu trabalho, contribuindo para a conservação destas áreas”, destaca.

“Minha graduação na UEPG foi enriquecida com a participação de professores que estão sempre buscando inovação e incentivando os alunos a saírem da sua zona de conforto”, conta Larissa. A experiência com a prática começou ainda na graduação, quando foi bolsista de projetos de coleta de dados. “A Universidade me mostrou caminhos que jamais pensei que fosse participar, me mostrou a diversidade e que a educação é a ferramenta mais poderosa, a educação foi a porta de todas as oportunidades que venho participando com todas essas experiências”.

A Universidade abre portas para um novo mundo, para Billy. “Levarei os ensinamentos que adquiri na UEPG, grato pela confiança, insistência e oportunidades que alguns professores me deram, sentado na cadeira da sala de aula eu imaginei coisas legais, mas não imaginava isso, enfim, só tenho a agradecer”, finaliza.

Apresentação em simpósio

A UEPG marcou presença no 33º Simpósio Nacional de Ambiente e Recreação, também da Universidade de West Virginia, em Annapolis, Maryland. Participaram com apresentação de trabalhos a professora Jasmine Cardozo e a egressa Larissa Martins. O trabalho “Scuba Divers and Snorkelers in Florida Keys National Marine Sanctuary” (em português: Mergulhadores e Praticantes de Snorkel no Santuário Marinho Nacional de Florida Keys) foi apresentado em 17 de abril.  “O evento foi importante para a realização de contatos, encontrar professores americanos, e rever o professor Alan Graeff, que ministrou palestra na UEPG em 2017”, informa a docente.

da assessoria