Quinta-feira, 07 de Julho de 2022

Estudo aponta que canabidiol pode combater sintomas da síndrome de Burnout, afirma Dra. Marissa Schamne

17/05/2022 às 12:19
Foto: Eduardo Vaz

Durante o programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero na rádio Lagoa Dourada FM, nesta terça-feira (17), a Dra. Marissa Schamne, Doutora em Psicofarmacologia e co-fundadora da Escola Rigor Científico, participou de um bate-papo sobre o uso de canabidiol, substância a base de cannabis, no combate aos sintomas da síndrome de Burnout.

Segundo a profissional, esta síndrome está ligada à sobrecarga de trabalho, aliada a sintomas como esgotamento, cansaço físico e mental, apatia, estresse, ansiedade e depressão. “É como se a pessoa estivesse no limite, mas sempre esses sinais associados a uma rotina de trabalho excessiva, desgastante. Não necessariamente tem a ver com a quantidade de trabalho, ou trabalhar o dia todo no pesado ou sentado, mas com a quantidade de responsabilidades e demandas que a pessoa tem”, explica.

Durante a pandemia, o Burnout foi muito comum principalmente em profissionais da saúde que atuaram na linha de frente no combate à Covid-19, de acordo com Dra. Marissa. Ela revela que um grupo de cientistas desenvolveu um estudo com alguns destes trabalhadores, que receberam o tratamento com canabidiol para controlar os sintomas da síndrome. “Esses profissionais apresentavam depressão, esgotamento e ansiedade e, para essas três condições, o tratamento com canabidiol foi positivo, conseguiu reduzir esses sinais. Mas é importante ressaltar que o que funciona para mim, pode não funcionar para você. Algumas pessoas têm uma resposta muito positiva e outras que não”, pondera.

Dra. Marissa Schamne explica que a cannabis é uma planta utilizada desde a antiguidade. “A partir do século 20 começou a ser estudado esse potencial terapêutico da cannabis. Dentro da planta, nas folhas e caule, existem várias substâncias que ela produz, algumas com utilidade terapêutica e outras não. O cannabidiol, por exemplo, é uma dessas substâncias terapêuticas. Outra substância bem conhecida que a planta produz é o THC, que é a substância psicoativa da maconha”, conta.

No Brasil, a importação de medicamentos à base de canabidiol é liberada desde 2015 e hoje há 15 substâncias deste tipo autorizadas para consumo e venda no país. Além dos benefícios em casos de síndrome de Burnout, estes medicamentos também são usados no tratamento de convulsões, por exemplo, porém Dra. Marissa ressalta que a medicação necessita de indicação e receituário médico.

Acompanhe Dra. Marissa nas redes sociais: @rigorcientifico

Confira a entrevista completa: