Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

Exclusivo: Taxa de contaminação da COVID-19 deve começar a cair a partir de março de 2021, acredita secretário adjunto Rodrigo Manjabosco

2020-11-03 às 17:47

Um parâmetro importante e que devemos levar em conta tratando-se da COVID-19 é o R0 (R zero) ou número básico de reprodução. O R0 mede a transmissibilidade do agente infeccioso e serve como base para identificarmos o número de indivíduos que serão contaminados a partir de um indivíduo infectado, que servirá como fonte do agente infeccioso. O R0 é calculado quando se tem uma população não vacinada, sem contato prévio com o vírus e também quando não há formas de controlar a dispersão.

Existem diferentes possibilidades quando falamos de R0, por exemplo: Se o R0 for menor que 1, significa que cada indivíduo infectado gerará menos que um outro indivíduo infectado. A chance de transmissão é muito baixa e a doença tenderá a desaparecer. Já se o R0 for igual a 1, cada indivíduo infectado causa uma nova infecção e a doença permanecerá, pois será transmitida de indivíduo em indivíduo e a doença pode permanecer na mesma região ou população por longos períodos de tempo. E por fim, se o R0 for maior que 1 a situação fica preocupante, pois cada indivíduo infectado, infecta mais que uma pessoa. São em casos como este que se ocorre uma pandemia, por exemplo.

Situação em Ponta Grossa

Segundo relato ao D’Ponta News, o secretário-adjunto de Saúde de Ponta Grossa, Dr. Rodrigo Manjabosco, alerta que ainda estamos vivendo uma pandemia, tanto no estado como no município. Sendo assim, o ‘R’ de Ponta Grossa segue maior que 1. “A pandemia existe no mundo justamente por ter esse R0 maior que 1. ou seja, uma pessoa contamina várias outras. Por isso, enquanto estivermos nesse momento de pandemia, inevitavelmente o ‘R’ será sempre maior que 1”, afirma.

Ele também acredita que os números podem começar a cair em Ponta Grossa quando atingirmos a ‘imunidade de rebanho’. “Os casos começam a cair quando temos uma suposta imunidade de rebanho, ou seja, mais pessoas contaminadas. Sendo assim, o vírus não acha pessoas não contaminadas para seguir se proliferando na mesma velocidade. Em virtude disso, existe possibilidade de queda a partir de março de 2021”, explica.

O secretário também enfatiza que todos os cuidados devem continuar sendo tomados para evitar o vírus. “Distanciamento social, não aglomeração e uso de máscaras são fundamentais”, conclui.

Com informações: PMPG/Professora Lucia Cangussu/Foto: Laísa Morais/D’Ponta News