Quinta-feira, 25 de Abril de 2024

Exclusivo: “Um dos sedativos já acabou e os leitos de UTI seguem com 100% de lotação”, diz diretor técnico do Hospital Universitário de PG (25/07)

2020-07-25 às 19:34
DCIM100MEDIADJI_0378.JPG

Medicamentos começam a faltar no HU de PG e Hospital não consegue mais receber pacientes

Neste sábado (25), com a recente lotação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU-UEPG), muitas dúvidas surgiram na população com relação ao que será feito a partir de agora com relação aos leitos de UTI e com um dos sedativos que já está em falta no Hospital.

Em conversa exclusiva com o D’Ponta News, o cirurgião cardíaco e diretor técnico do HU-UEPG, Fernando Lima Torres, falou sobre esses temas que envolvem a luta contra à COVID-19 na Saúde de Ponta Grossa.

Remanejamento não é logisticamente viável

Quando indagado sobre o que fazer com relação a falta de leitos na cidade e se é possível remanejar pacientes de Ponta Grossa para outras cidades, o doutor afirma que não é viável por uma questão de logística. “É complicado essa questão por conta da logística, não teríamos como levar, por exemplo, um paciente daqui para Guarapuava, pelo tempo e pela urgência do caso também. Até porque essa é uma questão que deve ser definida pela secretaria de Estado da Saúde e as Regionais”, afirma.

Sobre receber pacientes de outras cidades da região no HU-UEPG, o doutor volta a falar da logística e da prioridade que são nesse momento os pacientes do município.

“Não podemos nesse momento trazer pacientes de fora, como por exemplo vinha acontecendo com pacientes das outras cidades dos Campos Gerais. Por exemplo, pacientes de Piraí do Sul (e de qualquer outra cidade da região), que eram transferidos para a UTI do HU, no momento não serão mais. Isso tudo por conta da logística, é mais viável trazer um paciente de Ponta Grossa que necessite de internamento, pois provavelmente se o caso for grave ele já estará próximo de nós, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) do Santa Paula”, acrescenta.

Sedativo em falta

De acordo com o diretor os medicamentos já estão acabando. E o principal sedativo para intubações, o midazolam (comercialmente conhecido como Dormonid) já entrou em falta no Hospital Universitário.

“O midazolam já terminou, este é um sedativo de primeira linha, que já está em falta. Temos outros sedativos disponíveis, porém, como disse, o de primeira linha, o ‘melhor’ já acabou”, diz.

Na terça-feira (21), o D’Ponta News fez uma matéria sobre a falta de remédios no HU-UEPG. Confira a reportagem completa no link a seguir: https://bit.ly/39fnbQ8.

Leitos de UTI

Sobre os leitos, o diretor é categórico em dizer sobre o dinamismo em que acontecem os casos. “Tudo é muito dinâmico, há pouco tempo atrás tínhamos uma paciente que recebeu alta e havia liberado uma vaga, porém, uma outra mulher que estava na UPA do Santa Paula já foi transferida e internada na UTI”, relata.

A Universidade Estadual de Ponta Grossa, por meio do Hospital Universitário, informou neste sábado (25) que está com os 30 leitos de UTI para pacientes COVID-19 ocupados e com apenas um dos 24 leitos clínicos disponíveis para tratamento da doença.

Diante da lotação, o HU informou que casos que requeiram UTI serão encaminhados para outras unidades da cidade ou outras localidades, por meio da Central de Leitos.

Veja o informativo enviado pelo HU-UEPG para a Central de Regulação e para a 3ª Regional de Saúde:

OCUPAÇÃO-DE-100-DE-VAGAS-1Baixar

O que diz a Prefeitura

A Prefeitura de Ponta Grossa informa que disponibilizará ao Governo do Estado os leitos do Hospital Municipal Amadeu Puppi para atendimento urgência de pacientes com COVID-19 em Ponta Grossa, se necessário.

No momento, estes leitos estão ocupados, porém, há a possibilidade de remanejamento de pacientes para dar suporte ao Estado no atendimento de casos de coronavírus.

Por fim, o Município informa que está em constante tratativas com Governo do Estado, que também já está preparando a ala COVID-19 do Hospital Bom Jesus para atendimento.

Por: Matheus Fanchin/Com informações: PMPG/UEPG/HU/Foto: SESA