Sexta-feira, 17 de Setembro de 2021
foto: Clebert Gustavo

Júri popular do caso Tatiane Spitzner é adiado devido à COVID-19

O julgamento estava marcado para os dias 3 e 4 de dezembro, na comarca de Guarapuava.
02/12/2020 às 16:30

Um dos advogado que atuam no caso Tatiane Spitzer foi diagnosticado com COVID-19, o que levou a Justiça a adiar o júri popular do biólogo Luis Felipe Manvailer, acusado de matar a advogada em 2018.

O júri estava marcado para os dias 3 e 4 de dezembro, na comarca de Guarapuava. Ainda não há uma nova data prevista para o julgamento.

Relembre o caso

Tatiane foi encontrada morta no dia 22 de julho de 2018, no apartamento do casal, em Guarapuava. Manvailer, marido da jovem, foi preso horas depois, a mais de 340 quilômetros de distância, após se envolver em um acidente. A acusação afirma que ele tentava fugir para o Paraguai.

A versão defendida pelo Ministério Público é de que o acusado assassinou a esposa e a arremessou da sacada do quarto andar. Imagens de câmeras de segurança mostram que, pouco antes da tragédia, Tatiane foi agredida pelo companheiro dentro da garagem do prédio e no elevador.