Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

Ortopedista de PG dá dicas para evitar dores nas costas no home office

2020-07-27 às 10:58

Com a pandemia da COVID-19, muitas pessoas passaram a trabalhar em casa, o chamado home office. Porém, muitas vezes em casa a pessoa não tem os devidos cuidados com a ergonomia, com os exercícios físicos e até não sabe que pode se lesionar ou sentir dores com maior frequência.

Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aponta que 41% dos entrevistados passaram a sentir dores nas costas. Enquanto isso, entre os que já sofriam de dores crônicas, mais de 50% afirmam que o desconforto aumentou durante a quarentena.

O médico ortopedista dr. José Augusto Bach Junior, que atende em Ponta Grossa, afirma que as queixas de dores aumentaram muito durante a pandemia. “Com a mudança de rotina, muitas pessoas vêm ao consultório se queixando de dores, pessoas que não apresentavam qualquer sintoma antes da pandemia. Por isso é importante observar os cuidados que se deve ter com o trabalho em casa, por exemplo. São comuns dores na cabeça, nas costas, braços e em membros inferiores”, relata.

Com relação ao home office, o médico destaca a importância da ergonomia nos locais de trabalho, sobretudo quem trabalha com o computador ou notebook. “Em linhas gerais, quem trabalha com o computador ou laptop, deve observar a altura da tela, ela deve estar na altura do rosto, também os braços devem estar com os cotovelos apoiados na mesa, jamais suspensos. Outro ponto importante é uma cadeira adequada onde a pessoa não fique ‘arcada'”, aponta. Ele ainda lembra que muitas pessoas ficam numa mesma posição trabalhando por horas. “O ideal é que a cada meia hora levante-se e exercite-se para evitar as lesões”, complementa.

O ortopedista ainda destaca que é necessário fazer exercícios físicos, mesmo que em casa, para manter a saúde em dia. “Com a pandemia, muita gente teve a rotina alterada e com isso teve os exercícios prejudicados. Porém, é recomendável que mesmo em casa, quem tem por exemplo um quintal, uma calçada, uma área comum, possa fazer algum tipo de caminhada, ou qualquer exercício”, coloca.

Ele também lembra que a orientação de profissionais especializados é importante. “O ideal é que sempre procure-se um fisioterapeuta ou ortopedista para saber qual exercício é mais adequado para a sua realidade, pois há risco de lesão até em caso de um exercício feito de modo errado. E claro, sempre tomando os devidos cuidados, se protegendo da COVID-19”, finaliza.

Por: Matheus Fanchin/Foto: Reprodução/Operário Ferroviário