Domingo, 14 de Agosto de 2022

Pessoas: Angelita Rocha, uma voz que cuida de muitas vozes!

21/11/2021 às 10:55
Conteúdo exclusivo publicado na Revista D’Ponta #287 Outubro/2021

Quem transita pelo ambiente da música em Ponta Grossa já deve ter ouvido falar sobre Angelita Rocha. Isto porque “ouvir” e “falar” são coisas que fazem parte da sua profissão: cantora, vocal coach, fonoaudióloga e professora.

Sua trajetória, iniciada há mais de 20 anos, ganhou conhecimento acadêmico, nos últimos anos, após sua formação em fonoaudiologia e a abertura de seu consultório. Durante esse tempo, passaram pelos seus ensinamentos muitas  cantoras e cantores que hoje são sucesso no Brasil e em outros países.

Muitas dessas vozes que foram moldadas e cuidadas por Angelita estão nas suas redes sociais, meios pelos quais ela usa para compartilhar suas experiências de ensino e aprendizado. A seguir, você confere um pouco mais dessa história e fica sabendo como essa voz influencia na voz de muita gente.

Um texto que te resume

Cantora, professora de canto e fonoaudióloga. Nasci em uma família simples e muito talentosa, pai, mãe e irmãos cantores.  Desde muito nova, ajudei em casa e sempre com muitos objetivos e determinações. Sou aquela pessoa que vive com desafios, que nunca ficou de braços cruzados, esperando que as coisas caíssem do céu. Muito pelo contrário, sempre coloco a mão na massa e estou pronta a ajudar. Sou uma mulher forte e corajosa, que ama a voz e a música incondicionalmente.

 

Tem ideia de quantos alunos já passaram pelo seu consultório?

Fiz uma breve conta desde 1995, quando comecei com as aulas de musicalização na escola Rosazul, e depois montei meu estúdio de aulas e canto em 1997. Desde então, acredito que foram mais de mil vozes que passaram por meus ensinamentos e cuidados (até fiquei assustada).

Há muita gente que diz que deve o sucesso a você. Outras tantas lhe agradecem por terem aprendido a cantar. Como encara uma responsabilidade dessas?

Encaro com muito orgulho como um sentimento de sonho realizado. Sempre estudando e trazendo as melhores técnicas para meus alunos e pacientes. Como cantora, me sinto no lugar de cada um deles. Sinto na pele a importância de uma voz para um cantor e tento entender o que cada um sente em relação a ela. É simplesmente surreal ver que hoje, com o sucesso dos meus alunos, sou reconhecida em todo Brasil e até internacionalmente, e isso é muito gratificante.

Pelo que sabemos, sua rotina de trabalho é intensa, mas o que você mais gosta de fazer quando está de folga?

Gosto de viajar ouvindo uma boa música, de ficar com minha família, e me retirar para aproveitar e recarregar as energias na natureza, e, é claro, de cantar.

Se pudesse voltar no tempo, mudaria alguma coisa?

Não mudaria nada, inclusive, faria tudo novamente.  Cada decisão, obstáculo e dúvida me tornaram a profissional e pessoa que sou hoje. Sou grata a tudo e a todos que me apoiaram e apoiam.

Qual é a música ideal ?

Não existe a música ideal, e sim aquela que te faz bem e que sinta prazer em ouvi-la, seja em momentos tristes ou felizes. Eu procuro ouvir músicas conforme o meu humor.

Qual sua sensação de ver um aluno ou uma aluna fazendo sucesso?

É um misto de felicidade extrema em ver meus frutos serem reconhecidos, graças a nós (eu e meus alunos) que construímos essas vozes que as pessoas do Brasil e de grande parte do mundo amam ouvir. Por outro lado, também o há sentimento de responsabilidade maior, pois esse cantor precisa estar bem e preparado para toda a agenda de shows e sua voz está em minhas mãos, então, preciso saber agir na hora certa e da maneira correta, sem erros.

 

Um livro: A menina que roubava livros

Um escritor: Oliver Sacks

Uma frase: “Quando tudo parece dar errado, acontecem coisas boas que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo.” (Renato Russo)

Um cantor/a: Freddie Mercury / Nina Simone

Uma música: Wind of Change (Scorpions)

Um diretor/a de cinema: Steven Spielberg

Um filme: Até o último homem

Um restaurante: Famiglia Zaparolli

Um prato: Fettucine Alfredo

Um alimento que lembra a infância: Sonho de creme