Quinta-feira, 25 de Julho de 2024

Ponto de Vista: “Não tem cama quentinha para a Educação no Paraná”, dispara secretário de Planejamento, Guto Silva

2024-06-15 às 14:53
Foto: Letícia Carneiro/Divulgação

“Não tem cama quentinha na Educação do Paraná, não tem conforto na Educação do Paraná”, disparou o secretário de Planejamento Guto Silva, com exclusividade ao Ponto de Vista, programa apresentado por João Barbiero na Rede T de rádios do Paraná, na manhã deste sábado (15), ao ser questionado sobre o que se pretende desenvolver para as escolas que não estão entre as 200 que serão atendidas pelo programa Parceiro da Escola.

Segundo ele, não haverá nenhum concurso público destinado a contratar pessoal especializado para a gestão administrativa dos demais colégios e auxiliar o diretor. “Concurso é para professor, pedagogo e diretor. O resto é privado. Não tem cama quentinha, nem conforto, na Educação do Paraná, porque esse é o mundo real que os alunos vão enfrentar. Se formos frouxos com a Educação agora, vamos penalizar os jovens daqui a cinco, 10 anos. Queremos alunos de ponta, estudando com qualidade, em escola boa, com pedagogia boa. Então, essa é a linha das outras escolas. Vamos continuar fazendo essa reflexão, melhorar a infraestrutura das escolas, três merendas no período escolar para poder alimentar. Mas esse enfrentamento da Educação faremos todos os dias”, frisa.

“No Paraná, não será Educação de sindicatos, não será educação ideológica. Esse enfrentamento, vamos de fazer de manhã, à tarde e à noite. Quem escolhe a Educação no Paraná são os pais, é a comunidade escolar. Sabemos que a Educação é algo disruptivo no mundo todo, as profissões do futuro estão vinculadas à tecnologia. Por isso que todos os dias temos 500 mil alunos estudando programação; temos 50 mil alunos aprendendo robótica. Precisamos preparar nossos jovens para competir no mercado de trabalho, pois, no futuro, vai competir com o aluno da [rede de educação] privada, com o aluno de São Paulo, da China, da Singapura, de onde for, acredita o secretário.

Silva afirma que a agenda da APP-Sindicato não condiz com a agenda do Governo do Estado. “Queremos uma Educação de qualidade, com o professor dentro da sala de aula; queremos um diretor acompanhando, pedagogicamente, a evolução do aluno e do professor”, enfatiza. “O Paraná já ostenta a melhor educação pública do Brasil, nós temos o melhor Ideb e isso nos orgulha muito e aqui há que se destacar o trabalho de muitos professores que também não se sentem representados pelo sindicato”, comenta.

Filho de professor do Estado e sendo um professor universitário que deve sua formação a instituições públicas, o secretário de Planejamento é categórico: “Tem muito boa gente, tem muitas boas pautas, mas a pauta do sindicato não é a nossa. Essa pauta é de outra banda ideológica, a nossa é menos ideologia e mais metodologia”, diz. Nessa pauta, o secretário defende o ensino de oratória, educação financeira, cooperativismo, programação, robótica e outros tópicos da vida prática contemporânea.

Questionado sobre o motivo de, mesmo com índices frequentemente comemorados pelo Governo do Estado como satisfatórios na Educação, ter sido formulado um projeto que terceiriza a gestão administrativa dos colégios (Parceiro da Escola), o secretário é enfático em dizer que apesar de o Paraná possuir “a melhor educação pública, o comparativo com a educação brasileira ainda é muito baixo”. “Não estamos satisfeitos ainda, não é porque somos o primeiro que vamos esperar as coisas acontecerem. Temos obrigação, como lideranças políticas, de oferecer a melhor educação, comparada com a educação dos países de primeiro mundo”, afirma.

Silva lembra que a implantação dos colégios cívico-militares também foi “uma briga” e que a aplicação do programa Parceiro da Escola em 200 instituições dá início a uma nova. “Tudo o que for a pauta do sindicato não nos interessa. Queremos uma pauta para o professor, para o aluno. O objetivo disso tudo é facilitar o dia a dia da gestão escolar e continuar aperfeiçoando, continuar melhorando”, reitera. “Não dá para aceitar mediocridade. Investimento em educação é qualidade; investimento em educação é oportunidade; melhorar a educação é dignidade. Não podemos imaginar a educação como custo e, muito menos, aceitar uma educação medíocre”, diz.

O secretário acredita que a terceirização da gestão escolar é um caminho eficiente para melhorar a educação no sentido de que vai dispensar o diretor de atribuições administrativas, como gerenciar notas fiscais de fornecedores, para acompanhar a aplicação do planejamento pedagógico em sala de aula. “O diretor tem que estar na sala de aula, acompanhando pedagogicamente. O diretor virou um síndico de escola. Não dá! Quanto custa um diretor de escola para o cofre público? Custa bastante, é caro. Quanto custa um professor com mestrado, um doutor? Não é barato. Olha os valores que os professores ganham no Paraná, são valores adequados, são bons valores. Gostaria de melhorar? Gostaria. Mas eu não posso pegar um diretor que ganha R$ 10 mil para ficar administrando lâmpada, ficar administrando reforma de muro. Queremos ele na sala de aula”, acrescenta.

Planejamento a longo prazo

“Sem dúvida, temos a missão de pensar o futuro do Paraná e é um pouco do que o governador tem orientado: deixar um instrumento mais a longo prazo, longevo, nesse Brasil que tem dificuldade de planejar. O Brasil sempre olha para a próxima eleição, essa tradição horrorosa que nós temos”, destaca. Silva comemora o fato de que o PIB do Paraná teve alta de 5,8% em 2023, o dobro do índice brasileiro, e de que o estado está em “pleno emprego”, reforçado pela industrialização.

Silva atribui a crescente nos investimentos no Paraná à segurança econômica que o estado alcançou e à estratégia de trazer “paz política” para que as coisas aconteçam, porém “muito agressiva” na atração de novos investimentos. “O investidor é arisco, ele não vai colocar o dinheiro dele num lugar que tenha risco. O governador, de uma forma muito assertiva, desde o primeiro dia de trabalho, tem criado um ambiente favorável e tranquilo para que o investimento privado venha para o Paraná”, diz.

Nos últimos cinco anos, foram mais de R$ 300 bilhões em novos investimentos privados. “Por outro lado, nosso governo está com as contas em dia, nosso endividamento é muito baixo e o Paraná conseguiu se tornar o número 1 em solidez fiscal no Brasil, o que faz com que o Paraná tenha conseguido realizar investimentos. Temos dinheiro no Tesouro para fazer obra. O Paraná se tornou um grande canteiro: tem obra em todas as cidades”, salienta.

Outro fator de atração de investimentos é o programa Paraná Competitivo. “É um programa que permite que, quando se quer investir no Paraná, temos toda uma estratégia rápida para atrair os negócios. Não queremos incomodar quem quer produzir no Paraná”, afirma.

Próximo Governo

Bem avaliado e bem quisto pelo atual Governo do Estado, o nome de Guto Silva, filiado ao Progressistas, não foi ainda claramente cogitado para uma eventual candidatura à sucessão de Ratinho Junior, que vai concluir o segundo mandato consecutivo no final de 2026. No mandato anterior, já fez parte do alto escalão, como chefe da Casa Civil. “É importante lembrar que temos uma caminhada, faço parte de um grupo. Eu gostaria de ter disputado a eleição ao Senado na última eleição, mas não foi possível, em função das amarras políticas e voltei para auxiliar a campanha de reeleição do governador, na coordenação da campanha e estou muito feliz aqui na Secretaria do Planejamento. É lógico que agora estamos no processo eleitoral dos municípios, que é extremamente importante para definir o futuro. Mas acredito que temos um grupo político forte, com grandes nomes. Fico feliz em poder estar nesse rol de postulantes a projetos maiores. Me sinto preparado para qualquer desafio, mas, ao mesmo tempo, tenho consciência de que isso é uma construção diária e, naturalmente, um trabalho de convencimento de grupo e nós teremos, lá na frente, a possibilidade de disputar uma eleição majoritária”, observa.

O secretário de Planejamento do Estado do Paraná é também empresário, professor universitário, consultor internacional de empresas e foi deputado estadual por dois mandatos.

Confira a entrevista na íntegra:

Ponto de Vista 

Apresentado por João Barbiero, o programa Ponto de Vista vai ao ar semanalmente, aos sábados, das 7h às 8h, pela Rede T de Rádios do Paraná.

A Rádio T pode ser ouvida em todo o território nacional através do site ou nas regiões abaixo através das respectivas frequências FM: T Curitiba 104,9MHz;  T Maringá 93,9MHz; T Ponta Grossa  99,9MHz; T Cascavel 93,1MHz; T Foz do Iguaçu 88,1MHz; T Guarapuava 100,9MHz; T Campo Mourão 98,5MHz; T Paranavaí 99,1MHz; T Telêmaco Borba 104,7MHz; T Irati 107,9MHz; T Jacarezinho 96,5MHz; T Imbituva 95,3MHz; T Ubiratã 88,9MHz; T Andirá 97,5MHz; T Santo Antônio do Sudoeste 91.5MHz; T Wenceslau Braz 95,7MHz; T Capanema 90,1MHz; T Faxinal 107,7MHz; T Cantagalo 88,9MHz; T Mamborê 107,5MHz; T Paranacity 88,3MHz; T Brasilândia do Sul 105,3MHz; T Ibaiti 91,1MHz; T Palotina 97,7MHz; T Dois Vizinhos 89,3MHz e também na T Londrina 97,7MHz.