Segunda-feira, 08 de Agosto de 2022

“Precisamos de um Senado mais próximo dos municípios”, declara pré-candidata Aline Sleutjes

24/06/2022 às 16:04
Pré-candidata ao Senado, Aline Sleutjes. (Foto: Eduardo Vaz)

A deputada federal Aline Sleutjes, pré-candidata ao Senado pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS), participou do programa Manhã Total, apresentado na Rádio Lagoa Dourada FM (105.9 para Ponta Grossa e Campos Gerais e 90.9 em Telêmaco Borba), nesta sexta-feira (24).

Aline, que vem construindo a pré-candidatura desde novembro, defende que a política precisa ser renovada. “Está na hora de mudar, precisamos de um Senado mais próximo dos municípios, com cara de Paraná, que seja uma pessoa do agro, que é a identidade econômica do nosso país, mas também uma pessoa que traga essa pauta conservadora, de liberdade de expressão, as pautas de reformas importantes. […] Sabemos que o Senado é mais robusto, tem mais recursos e tem condições de efetivar grandes sonhos”, afirma.

Troca de partido

Quando o antigo Partido Social Liberal (PSL), o qual Aline fazia parte, se uniu ao Democratas para formar o partido União Brasil, a vaga de Aline ao Senado foi comprometida e ela começou a buscar novas possibilidades. “A troca de partido foi um momento difícil”, conta.

Depois de diversas tentativas com outros partidos, encontrou espaço no PROS. “Duas ou três semanas antes de fechar o prazo, o deputado Toninho Wandscheer, uma pessoa que todo mundo que conhece sabe da idoneidade, da palavra, uma pessoa que respeita compromissos, me procurou em Brasília, fizemos uma reunião e eles falaram ‘a vaga do Senado está garantida para você no PROS,  se você quiser a gente te apoia. Você pode trazer seu time estadual, federal, nós vamos te apoiar, vamos te dar condições de percorrer o Paraná inteiro e você será a vice-presidente estadual do partido e vai ser a líder do partido na Câmara Federal'”, relembra.

Apoio de Bolsonaro

Em maio deste ano, o presidente Jair Bolsonaro declarou que o seu candidato ao Senado do Paraná seria o deputado federal Paulo Martins. Aline, uma das maiores defensoras do governo Bolsonaro, é enfática. “Continuo sendo fiel, vamos continuar trabalhando. Sou vice-líder do governo, sou de direita, sou conservadora, ele defende as pautas que eu acredito, ele continua sendo meu candidato e nós vamos até o final”, diz. Ela ainda completa. “Infelizmente, por esse jogo político, por esse sistema e por essas negociações, o presidente precisou se posicionar”, conclui.

Cenário político no Paraná

“O Paraná ainda está meio confuso, sabemos que há um jogo de interesses”, afirma, explicando que Álvaro Dias e o governador Ratinho Junior possuem antigas negociações. Além disso, como a candidatura de Sergio Moro não foi viabilizada em São Paulo, há a possibilidade que ele se candidate a deputado federal ou ao Senado pelo Paraná. “Sabemos que há possibilidade de desistência no meio do caminho, tanto dos outros candidatos, porque é difícil você conseguir concretizar uma campanha para o Senado”, afirma.

Ela ainda pondera que continua “fazendo política de boa vizinhança”. “Deixei aberto que podemos fazer uma coligação, a primeira e a segunda suplência tanto do PL, como do PP, como do Republicanos, como do União, estamos abertos conversando”, declara. A pré-candidata ao Senado ainda revela que não descarta alianças que somem forças à campanha.

Confira a entrevista na íntegra: