Segunda-feira, 17 de Junho de 2024

Prefeito de PG volta a criticar OMS: “Não trouxe nenhuma palavra amiga”

2020-08-04 às 08:55

Na manhã desta terça-feira (4), o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, voltou a criticar a postura da Organização Mundial de Saúde (OMS) na condução da pandemia de COVID-19.

Os comentários do prefeito foram motivados por uma entrevista recente do dr. Tedros Adhanom, diretor geral da OMS, em que ele afirma que talvez nunca exista uma vacina contra o coronavírus ou que a proteção oferecida possa durar apenas alguns meses. “Foi um balde de água gelada em cima de todos nós. Eu me pergunto o que ele ganha com isso? Ele fez um bem para a humanidade dizendo que as vacinas não vão funcionar?”, questiona Rangel.

Ele acredita que a OMS poderia trazer mensagens com um tom mais otimista para a população. “Desde o início eu fui meio crítico com relação à OMS, porque ela não trouxe nenhuma palavra amiga, ela não trouxe esperança, ela não foi proativa. Não tem uma manchete, uma notícia boa trazida pela OMS”, frisa.

Segundo Rangel, a OMS também demorou para recomendar o uso de máscaras de proteção. “Olha que coisa absurda. A cidade de Ponta Grossa, no Paraná, teve que inventar moda de dizer para as pessoas usarem máscara sendo que a OMS não tinha falado isso. Pelo contrário, falava que a máscara poderia infectar mais. Dá pra entender?”, alfineta

Na opinião do prefeito, a recomendação o uso de máscara deveria ter sido feita pela OMS ainda no início da pandemia. “Não era eles quem tinham que falar isso lá em janeiro? A função da OMS é dizer para os países para as cidades o que a gente o que a gente deve fazer”, lembra.

As declarações foram dadas durante o ‘Programa Nilson de Oliveira’, apresentado por Rangel na Rádio Mundi FM.