Quinta-feira, 13 de Junho de 2024

Prefeitura de PG vai abrir sindicância para investigar denúncia de falta de equipamentos de proteção no Pronto Socorro

2020-08-06 às 10:39
Hospital Municipal Amadeu Puppi (Foto: Arquivo/Assessoria PMPG)

Na manhã desta quinta-feira (6), o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, afirmou que será aberta uma sindicância para apurar as denúncias feitas por uma enfermeira do Pronto Socorro Municipal Doutor Amadeu Puppi. Segundo a enfermeira, ela contraiu a COVID-19 por falta de equipamentos de proteção adequados. 

Inicialmente, Rangel descarta a possibilidade de falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais de saúde. “Essa história de falta de EPIs não existe. Inclusive, o Pronto Socorro ajudou o Hospital Regional mandando equipamentos e medicamentos”, lembra. 

De acordo com o prefeito, a denúncia precisa ser investigada e uma sindicância foi aberta para apurar o caso. “Não se sabe o que aconteceu lá, pode ser algum problema com relação a pessoa que distribui os equipamentos. Nós vamos avaliar e investigar”, garante. “Se de repente aquela pessoa que está fazendo a denúncia recebeu os equipamentos e está falando algo que não procede, também será responsabilizada”, alerta.

Rangel destaca ainda os investimentos realizados no Pronto Socorro ao longo do seu mandato. “Faz oito anos que nós estamos trabalhando e o Pronto Socorro Municipal, graças a Deus, teve um crescimento profissional e de atendimento espetacular. Para quem não se lembra, em 2012, o Pronto Socorro não tinha sequer tampa nas privadas, tudo sujo, sem manutenção, sem medicamentos, sem equipamentos, não tinha nada”, recorda. 

 As declarações foram dadas durante o ‘Programa Nilson de Oliveira’, apresentado por Rangel, na Rádio Mundi FM.