Terça-feira, 16 de Julho de 2024

Prevenção: Paraná oferta exame para diagnóstico do câncer de cabeça e pescoço

2023-04-25 às 10:19

Com intuito de conscientizar a população sobre o câncer de cabeça e pescoço, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) é parceira da campanha que antecede as ações do Julho Verde, mês de conscientização mundial sobre este tipo de câncer. O objetivo é diagnosticar precocemente por meio do exame de videolaringoscopia (boca e garganta), os pacientes com potencial da doença, fumantes com mais de 40 anos e com indicação médica.

A campanha ocorre em parceria com a Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV), Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP).

Inicialmente, o exame, que está disponível durante o ano inteiro no Sistema Único de Saúde (SUS), será intensificado nos municípios de Curitiba, Arapongas, Francisco Beltrão, Maringá e Paranaguá até o dia 31 de julho.

“No decorrer da campanha, outros municípios também disponibilizarão o exame que, além de ser simples, contribui para o diagnóstico precoce e tratamento oportuno, o que consequentemente melhora o resultado do tratamento”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

O câncer de cabeça e pescoço é um termo genérico que engloba uma série de tumores malignos que podem aparecer na boca, orofaringe, laringe (cordas vocais), nariz, seios nasais, nasofaringe, órbita, pescoço e tireoide.

Predominantemente em homens acima de 40 anos, os principais fatores de risco são o tabagismo e etilismo, com cerca de 80% dos casos confirmados. Além disso, as infecções pelo Papilomavírus Humano (HPV, vírus que infecta pele ou mucosas, oral, genital ou anal) também favorecem o surgimento desses cânceres.

“A principal forma de prevenir este tipo de câncer é evitar o consumo de álcool e o uso de produtos com tabaco. Além disso, é importante estar em alerta e procurar atendimento médico caso apresente algum dos principais sinais e sintomas como rouquidão, pigarro, dor na garganta, dificuldades de engolir e feridas na boca”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

DADOS – No Paraná, em 2022, foram diagnosticados 1.085 casos de câncer da cavidade oral, sendo 750 em homens e 335 em mulheres. Dos diagnósticos de câncer de laringe, 334 casos foram confirmados, 286 em homens e 48 em mulheres. Os dados são do Painel de Oncologia, que agrega dados do Sistema de Informação Ambulatorial (SIA), Sistema de Informação Hospitalar (SIH) e Sistema de Informações de Câncer (Siscan).

Segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca), neste ano estão previstos cerca de 920 casos de câncer de cavidade oral (tumores de lábio, glândulas salivares e orofaringe), no Paraná, sendo 720 para homens e outros 200 para mulheres. Estima-se, ainda, 540 casos de câncer de laringe, sendo 420 no público masculino e 120 no feminino.

TABAGISMO – O tabagismo é um importante fator de risco para o câncer. No Paraná, atualmente, 74% dos municípios paranaenses contam com, ao menos, uma equipe capacitada para o tratamento do tabagismo, seja na Atenção Primária em Saúde ou na Atenção Especializada. O Programa Nacional de Controle do Tabagismo é ofertado em 296 municípios do Estado e atua por meio de equipes multiprofissionais que utilizam a abordagem cognitiva comportamental e medicamentos, quando indicado.

Confira abaixo os sinais de alerta para evitar os cânceres de boca, faringe e laringe:

– Lesão na cavidade oral que não cicatrizam em 15 dias

– Placas vermelhas ou esbranquiçadas em língua, assoalho, gengiva, palato (céu da boca) e mucosa jugal (bochechas)

– Dificuldade na mastigação

– Dor ou dificuldade na deglutição

– Dificuldade na fala

– Rouquidão persistente

– Nódulos (caroços) no pescoço

– Assimetria facial

– Pigarro persistente

Veja alguns cuidados que podem ser tomados para cuidar da voz e evitar doenças na garganta:

– Não fume

– Não force a voz, não grite nem cochiche

– Não pigarrei repetidamente

– Evite bebidas alcoólicas e alimentos que causem azia e má digestão

– Evite se expor a ambientes com ar-condicionado muito frio, vapores de substâncias químicas, poluídos por poeira, mofo ou cheiros fortes

– Se alimente e durma regularmente

da AEN